sexta-feira, 21 de julho de 2017

Instruções Reguladoras para o Fornecimento de Medicamento de Custo Elevado e Produtos Médicos aos Beneficiários do Fundo de Saúde do Exército (FUSEx). (EB 30-IR-10.004).

PORTARIA Nº 139-DGP, DE 7 DE JULHO DE 2015

Aprova as Instruções Reguladoras para o Fornecimento de Medicamento de Custo Elevado e Produtos Médicos aos Beneficiários do Fundo de Saúde do Exército (FUSEx). (EB 30-IR-10.004). 

O CHEFE DO DEPARTAMENTO-GERAL DO PESSOAL, no uso da atribuição que lhe confere o art. 4º do Regulamento do Departamento-Geral do Pessoal (EB 10-R-02.001), aprovado pela Portaria do Comandante do Exército nº 70, de 18 de fevereiro de 2013, e de acordo com as Instruções Gerais para os Atos Administrativos do Exército (EB 10-IG-01.002 e EB 10-IG-01.003), aprovadas pela Portaria do Comandante do Exército nº 771, de 7 de dezembro de 2011, resolve:

Art. 1º Aprovar as Instruções Reguladoras para o Fornecimento de Medicamento de Custo Elevado e Produtos Médicos aos Beneficiários do Fundo de Saúde do Exército (FUSEx) (EB 30-IR- 10.004). 

Art. 2º Determinar que a Diretoria de Civis, Inativos, Pensionistas e Assistência Social e a Diretoria de Saúde adotem em seus setores de competência as providências decorrentes. 

Art. 3º Estabelecer que esta portaria entre em vigor na data de sua publicação.

Art. 4º Revogar a Portaria nº 281-DGP, de 12 de dezembro de 2007.


http://www.dsau.eb.mil.br/images/phocadownload/legislacao/portariaN139-DGP.pdf

Raul Jungmann diz que vai reajustar salário dos militares das Forças Armadas

TEMOS QUE ESPERAR ATÉ QUANDO???

O SENHOR MINISTRO DA DEFESA, NÃO FALOU MAIS SOBRE O ASSUNTO????

VOLTOU ATRÁS COMO UM BOM POLÍTICO ????


O ministro da Defesa, Raul Jungmann disse em entrevista ao programa "Forças do Brasil" da rádio Nacional que o governo vai reajustar o salário dos militares das Forças Armadas, de forma a assegurar a esses servidores paridade salarial das demais carreiras de Estado.

O aumento será escalonado, segundo o ministro. Os percentuais estão sendo discutidos entre a Defesa e a equipe econômica com a participação dos comandantes da Aeronáutica, Marinha e do Exército - como uma espécie de contrapartida à reforma da Previdência dos militares. — Estaremos dando um salto em termos de carreira, em termos salariais e em termos de resgate do poder de compra dos militares no Brasil.

Evidentemente, que será parcelado ao longo do tempo, mas vai voltar a colocar os militares em paridade com as demais carreiras de Estado que hoje ganham muito mais do que os nossos efetivos — disse o ministro. Jungmann destacou que os salários dos militares estão defasados.

Ele disse que o reajuste salarial virá acompanhado por uma ampla revisão da carreira nas Forças Armadas. A proposta de reforma da Previdência dos militares, no entanto, somente será enviada ao Congresso depois da aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287 que altera as regras previdenciárias dos civis.

Mas com a crise política, deflagrada pelas delações da JBS e que atingiram o presidente Michel Temer, a previsão é que a PEC seja aprovada só no segundo semestre. Jungmann defende a fixação de idade mínima para a transferência para a reserva (aposentadoria no jargão militar), mas os militares insistem no aumento do tempo na ativa dos atuais 30 anos para 35 anos (homens e mulheres).

Já está definido que soldados, cabos e pensionistas passarão contribuir para o regime. Atualmente, os militares transferidos para a reserva continuam recolhendo para o sistema, mas na pensão por morte a contribuição é suspensa. Soldados e cabos também não recolhem, o que vai mudar.

Também é consenso que a contribuição atual, de 7,5%, vai subir. Mas deverá ficar abaixo dos 11% pagos pelos servidores civis. Na entrevista, o ministro disse que a carreira militar é diferente de outras categorias.

Ele destacou que esses servidores têm dedicação exclusiva, não podem ter outro emprego, filiar a sindicatos, fazer greves e não têm direito a benefícios trabalhistas, como o FGTS. — É uma vida de sacrifícios, compromisso e muita dedicação. Os militares não podem ter outro emprego como as demais categorias. Por isso,acumulam patrimônio de forma lenta — disse Jungmann.

Geralda Doca

EX-PILOTO de CAÇA publica manifesto se posicionando contra a situação atual



Cada vez mais categorias influentes se posicionam contra a onda de corrupção que assola o país. No manifesto publicado em um site de abaixo assinados, o EX-piloto de CAÇA e autor do romance “O céu da Itália”, Flavio Kauffmann, contesta o sistema de votação, critica políticos e governo, menciona a passividade da sociedade e convoca toda a categoria de pilotos a endossar seu posicionamento.
O documento já conta mais de 7 mil visualizações e centenas de assinaturas.
Não é possível que milhões de brasileiros insatisfeitos assistam impassíveis a que poucos maus brasileiros mantenham o Brasil neste estado de vergonha.”
“É nessa condição, juntos, e mantendo nossas responsabilidades individuais como brasileiros, e com esse espírito, que, à guisa de alerta à sociedade sobre nossa atenção e disposição, publicamos este manifesto de indignação com a atual conjuntura de nossa Nação, rogando que outros homens e mulheres de bem partilhem de nossa visão e que as autoridades legalmente responsáveis recoloquem o Brasil no caminho do bem, da ordem e do progresso, como reza o lema de nossa única bandeira, verde, amarela, azul e branca”
“A sociedade brasileira tem a obrigação de manifestar, seja por meio de associações de classe, ou de atitudes individuais, sua insatisfação com o atual estado de coisas. 
Não é possível que milhões de brasileiros insatisfeitos assistam impassíveis a que poucos maus brasileiros mantenham o Brasil neste estado de vergonha. Não pregamos a volta ao regime militar, não falamos em nome de qualquer instituição, reafirmamos o respeito a nossos comandantes, não temos pretensões políticas, não somos políticos e não possuímos qualquer político de estimação. Que prossigam as investigações em curso, com as devidas punições de todos os culpados, sejam eles quem forem, uma vez cumpridos os ritos processuais. Atentos e unidos na defesa da Pátria, mantemos ainda vivo em nossa memória o antigo juramento – feito no campo de batalha contra o nazifascismo – de manter incólumes sua honra e sua integridade, se preciso, com o sacrifício da própria vida.
Senta a Pua, Brasil!”
https://www.abaixoassinado.org/assinaturas/assinar/36694#inicio

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Os dias eram assim: Exército homenageia soldado morto em atentado terrorista


Os dias eram assim: Exército homenageia soldado morto em atentado terrorista



São Paulo (SP) – No dia 26 de junho, foi realizada, pelo Comando Militar do Sudeste (CMSE), a solenidade em homenagem ao Terceiro-Sargento Mário Kozel Filho, morto em um atentado no Quartel-General do Ibirapuera, há exatos 49 anos. A cerimônia ocorreu no pátio de formaturas que leva o nome do próprio homenageado.
Durante o momento solene, foi depositada uma corbelha de flores no busto do Sargento Kozel, ao som do clarim executando o toque de "Silêncio".
Estiveram presentes o Comandante Militar do Sudeste, General de Exército João Camilo Pires de Campos; o Comandante da 2ª Região Militar, General de Divisão Adalmir Manoel Domingos; o Chefe do Estado-Maior do CMSE, General de Brigada Ricardo Miranda Aversa; e a Sra. Suzana Kozel Varela, irmã de Mário Kozel Filho.
O Atentado
Em 26 de junho de 1968, a 49 anos atrás, às 4 horas e 45 minutos da manhã, um veículo aproximou-se da entrada do aquartelamento e foi lançado em direção ao Quartel-General. Mesmo com o motorista o tendo abandonado, o veículo avançou, desgovernado, ultrapassando os limites do portão da guarda do quartel, capotou e bateu contra a parede do edifício.
Os sentinelas deram o alarme, buscando reagir à ameaça. Um dos soldados, acreditando que havia alguém ferido dentro do veículo, aproximou-se, momento em que foi atingido por uma forte explosão, que destruiu parte do prédio, atingindo, também, aqueles que se encontravam nas imediações.
Tratava-se de um atentado. O veículo estava carregado de explosivos. Cinco soldados da guarda foram atingidos, dos quais um foi ferido mortalmente: o Soldado nº 1803, Mário Kozel Filho, do então 4° Regimento de Infantaria, hoje 4° Batalhão de Infantaria Leve.
Pouco mais de seis meses antes, o Soldado Kozel fora incorporado às fileiras do Exército Brasileiro. Após seu falecimento e, devido às circunstâncias de seu assassinato, foi promovido à graduação de Terceiro-Sargento. (Imagens e texto: CMSE)

segunda-feira, 29 de maio de 2017

PORTARIA Nº 071 -DGP, de 07 de agosto de 2001 Estabelece Orientação, no âmbito do Exército, acerca dos Benefícios da Lei nº 3.765, de 4 de Maio de 1960, vigentes até 28 Dez 2000 e que foram mantidos de acordo com a redação dada pelo Art 31 da MP nº 2.188-8, de 27 Jul 2001. PM 1,5%,

Armas República

*MINISTÉRIO DA DEFESA*

*EXÉRCITO BRASILEIRO*

*DEPARTAMENTO-GERAL DO PESSOAL*

*_(SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA GUERRA E ESTRANGEIROS/1808)_*

PORTARIA Nº 071 -DGP, de 07 de agosto de 2001

Estabelece Orientação, no âmbito do Exército, acerca dos Benefícios da
Lei nº 3.765, de 4 de Maio de 1960, vigentes até 28 Dez 2000 e que foram
mantidos de acordo com a redação dada pelo Art 31 da MP nº 2.188-8, de
27 Jul 2001.

*O CHEFE DO DEPARTAMENTO-GERAL DO PESSOAL*, no uso das atribuições que
lhe são conferidos pela Portaria nº 139, de 27 de Março de 2001, do
Comandante do Exército, resolve:

Art. 1º Esclarecer que a Medida Provisória nº 2.188-8/01, que dispõe
sobre a reestruturação da remuneração dos militares, ao revogar ou dar
nova redação a vários artigos da Lei nº 3.765/60, extinguiu benefícios,
até então em vigor. Entretanto, como regra de transição, o seu Art 31
assegurou aos militares que já contribuíam para a pensão militar, a
manutenção de alguns desses benefícios, mediante contribuição mensal
específica de um vírgula cinco por cento das parcelas constantes do Art
10 da referida MP.

Art. 2º Os militares que não desejarem descontar a contribuição mensal
citada e, em consequência, optarem pela renúncia, permanecerão regidos
pelas MP e Lei citadas no Art. 1º.

§ 1º Os militares enquadrados neste artigo deverão assinar o Termo de
Renúncia previsto na Portaria nº 139-CmtEx, de 27 de Março de 2001, até
31 Ago 01, irrevogável após esta data.

§ 2º Os militares que já tiverem assinado o Termo de Renúncia poderão
torná-lo sem efeito, até 31 Ago 01, mediante parte dirigida ao Cmt, Ch
ou Dirt, ou Ch SIP (militares da reserva), devendo essa parte ser
publicada em BI/OM. Neste caso, deverão recolher, ao Setor Financeiro da
OM, a (s) parcela (s) de 1,5% que não tiver (em) sido descontada (s)
após a assinatura do Termo de Renúncia.

§ 3º Os militares que optarem pela renúncia serão regidos pela MP nº
2.188-8/01 e Lei nº 3.765/60, com as modificações introduzidas pela
citada MP, a partir de 29 Dez 2000.

Art. 3º Os militares que não desejarem renunciar ao pagamento da
contribuição específica de 1,5% terão mantidos os seguintes benefícios,
prescritos na Lei nº 3.765/60:

I – da relação de beneficiários constante do Art 7º:

 1. a filha em qualquer condição;
 2. as irmãs germanas e consangüíneas, solteiras, viúvas ou desquitadas,
    mantidas pelo contribuinte; e
 3. os netos, órfãos de pai e mãe, nas condições estipuladas para os filhos;

II – do Art 29, o acúmulo de duas pensões militares.

Art. 3º Os Comandantes, Chefes e Diretores de OM e Chefes de SIP deverão
dar ampla difusão desta Portaria aos militares da ativa e inativos, a
fim de que todos tenham pleno conhecimento das modificações introduzidas
pela MP nº 2.188-8/01 e possam confirmar ou renunciar à manutenção dos
benefícios existentes na Lei nº 3.765/60, vigentes até 28 de dezembro de
2000, na forma do Art 2º acima.

Art. 4º Revogar a Portaria nº 028-DGP, de 12 de abril de 2001.

Art. 5º Esta Portaria entrará em vigor na data de sua publicação.

   

    _______________________________

    Gen Ex ALCEDIR PEREIRA LOPES

MILITARES podem abdicar / cancelar o desconto de 1.5% - Modelo de Requerimento Marinha do Brasil

Informações sobre a possibilidade de cancelamento da contribuição de 1,5% Pelo Parecer nº 21/2015 da Consultoria Jurídica-Adjunta do Comando da Marinha foi apresentado o seguinte entendimento:
“os Requerimentos contendo pedido de cancelamento da referida contribuição deverão ser deferidos, desde que o militar não possua dependentes que se beneficiariam com tal contribuição.”
 No caso de militar inativo, a competência para despachar os requerimentos é do Diretor do Serviço de Inativos e Pensionistas da Marinha.
Nesse requerimento o inativo requer e declara renunciar, em caráter irrevogável, à contribuição da parcela específica de 1,5% por não possuir dependentes em condições de se tornarem pensionistas beneficiados com a referida contribuição.
O modelo do requerimento está disponível na página do Serviço de Inativos e Pensionistas da Marinha (SIPM) e deverá ser encaminhado: por intermédio das OM de Apoio e Contato fora de Sede; pelo correio; ou através dos Setores de Atendimento ao Público do SIPM na Sede.
Fica reservado ao SIPM o direito de indeferir o pedido, caso verifique nos registros do Banco de Dados de Pessoal (BDPes) a existência de dependentes passíveis de habilitação futura à pensão militar deixada pelo militar.
Com o propósito de orientar os militares inativos acerca da contribuição de 1,5%, o SIPM presta as seguintes informações que devem ser consideradas antes do encaminhamento do requerimento:
a) a contribuição de 1,5% foi instituída pela MP nº 2.215-10/2001, para a manutenção dos benefícios previstos na Lei nº 3.765/1960 (Lei de Pensões);
b) para o militar que OPTOU por contribuir com o 1,5%, os seguintes benefícios da Lei nº 3.765/1960 foram mantidos: As filhas de qualquer condição terão direito à pensão;
  • Os beneficiários da pensão poderão acumular duas pensões militares (por exemplo:
  • pensionista viúva de militar acumular com a pensão de filha de militar); A mãe viúva, solteira ou desquitada, e o pai inválido ou interdito terão direito à pensão;
  • As irmãs germanas e consanguíneas, solteiras, viúvas ou desquitadas, bem como os
  • irmãos menores mantidos pelo contribuinte, ou maiores interditos ou inválidos terão direito à pensão; e A pensão para netos, (órfãos de pai e mãe), nas mesmas condições estipuladas para os filhos.

c) para o militar que NÃO OPTOU por contribuir com o 1,5%, a pensão militar será deferida na seguinte ordem, de acordo com as alterações introduzidas pela MP nº 2.215-10/2001:
  • Cônjuge, ex-cônjuge pensionada ou companheira (o);
  • Filhos, enteados, menor sob guarda ou tutela até 21 anos de idade ou até 24 anos de idade, se estudantes universitários ou, se inválidos, enquanto durar a invalidez; Mãe ou pai que comprovem dependência econômica do militar;
  • Irmão órfão, até vinte e um anos de idade ou, se estudante universitário, até vinte e
  • quatro anos de idade, e o inválido enquanto durar a invalidez, comprovada a dependência econômica do militar; e Pessoa designada, que viva na dependência econômica do militar, sendo menor de vinte e
  • um anos de idade ou inválida (enquanto durar a invalidez), ou maior de sessenta anos de idade.

https://www.sipm.mar.mil.br/visao/principal.php?action=geral
MODELO de REQUERIMENTO para cancelamento do desconto de 1.5%
http://www.sociedademilitar.com.br/wp/2016/07/requerimento-de-cancelamento-de-desconto-de-1-5-militares.html

quinta-feira, 23 de março de 2017


A quase  impossibilidade de tirar o PT do poder seja por eleições livres, mas 
> viciadas pela prática de estelionatos eleitorais e fraudes, seja por 
> um golpe contra o país lançado pelas forças paramilitares a serviço de 
> um projeto de poder comunista, o clima de uma guerra civil está cada 
> vez mais se afirmando como única saída para livrar nosso país de ser 
> transformado em uma Cuba Continental.
>
> A qualquer momento os efeitos sobre a caserna da overdose da covardia, 
> da cumplicidade e da omissão que domina o comportamento apátrida de 
> uma minoria de comandantes, militares - lacaios dos comunistas - 
> poderá acabar, pela reação coletiva dos contrários, provocando uma 
> intervenção militar muito mais grave do que a ocorrida em 1964, e 
> colocando todos os corruptos genocidas diante de um Tribunal de Guerra 
> para responderem diante da sociedade por todos os milhões de cidadãos 
> assassinados por desgovernos traidores do país e mentores da Fraude da Abertura Democrática.
>
> Os desgovernos do PT demonstraram e continuam demonstrando, 
> diariamente, sua incapacidade de ter a auto crítica necessária para 
> perceber ou aceitar seus erros como indicativos da péssima 
> administração pública que têm exercido durante os últimos 12 anos.
> Com o assistencialismo comprador de votos, e com a corrupção e o 
> suborno de milhares de canalhas esclarecidos, os donos do poder acham 
> que tudo está dominado e que não têm mais que dar satisfações a 
> ninguém quando são criticados por suas atitudes, a não ser as 
> costumeiras e deslavadas mentiras, leviandades, falsidades e 
> hipocrisias que não enganam a mais ninguém.
>
> As ameaças e ações punitivas contra militares da ativa e da reserva 
> que estão se posicionando contra a destruição das FFAA e contra a 
> comunização do país e sua degeneração social e econômica pelo projeto 
> de poder do PT, gestado nas reuniões do Foro de SP, estão perdendo o 
> limite, no mínimo, do bom senso.
>
> Depois de semear durante os três últimos anos um inaceitável conflito 
> de classes sociais, o desgoverno Dilma procura, insistentemente, 
> demonstrar que não tem mais nada a perder, quando continua perseguindo 
> sistematicamente as FFAA em ações diretas contra os que se colocam 
> como críticos dos atos de um desgoverno que está jogando o país na 
> ladeira de se transformar em uma Cuba Continental.
> Por outro lado a sociedade vem sendo tratada como idiota, imbecil e 
> palhaça do Circo da Corrupção que se instaurou no país durante a 
> Fraude da Abertura Democrática.
>
> As posturas da presidenta e seus lacaios significam interpretar que a 
> calmaria da covardia e da omissão de alguns comandantes pode ser o 
> qualificativo de toda a caserna.
>
> Até quando esses canalhas traidores do país acham que o genocídio de 
> milhares de pessoas inocentes como resultado do bilionário roubo do 
> dinheiro público, a transformação do poder público em um Covil de 
> Bandidos e de porcos comunistas, e o país em um Paraíso de Patifes, 
> continuarão sendo aceitas por uma caserna, por enquanto defensora da 
> disciplina militar em relação aos atos de desgovernos que estão destruindo o país?
>
> Uma minoria de comandantes militares, lacaios de levante comunista que 
> está tomando conta do país, não será capaz de segurar uma revolta 
> latente que já se instaurou nos ambientes dos quartéis, pois todos os 
> militares e superiores imediatos estão sendo testemunhas do 
> assassinato de milhares de civis todos os anos como consequência do 
> roubo do dinheiro público. Todos esses também têm filhos e famílias 
> que estão na fronteira de se tornarem lacaios de uma Cuba Continental.
> A qualquer momento as parcelas das FFAA não subservientes a bandidos, 
> as polícias civis e militares, e a Polícia Federal, assumirão a 
> consciência de que estão sendo feitas cúmplices do assassinato de 
> milhares de cidadãos todos os anos pela obediência a um sistema de 
> governo absolutamente corrompido e criminoso em todas as suas instâncias.
>
> O resultado será um conflito armado com as forças leais ao desgoverno 
> petista e seus cúmplices que, ao contrário do que pensam, serão 
> mortalmente derrotadas, pois as armas necessárias para combater os 
> inimigos de nossa pátria aparecerão, e a revolta se fará presente em 
> uma guerra civil de absoluta responsabilidade do PT, que plantou 
> durante décadas as sementes de um conflito civil-militar armado no país.
>
> Que o submundo do PT continue tentado destruir as FFAA e chamando os 
> comandantes militares de comandantes de merda. O preço a pagar por 
> tanto atrevimento comunista se aproxima de ser pago.
>
> De qualquer forma, pela insistência de muitos, estamos ainda 
> procurando acreditar que a traição militar ao país se situe apenas no 
> círculo de comandantes militares omissos, covardes e cúmplices e não 
> em um comportamento coletivo da caserna.
>
GENERAL DE EXERCITO PEDRO LUIS DE ARAUJO BRAGA
>
> Este é um alerta à nação brasileira, assinado por homens cuja 
> existência foi marcada por servir à pátria, tendo como guia o seu 
> juramento de por ela, se preciso for, dar a própria vida. São homens 
> que representam o exército das gerações passadas e são os responsáveis 
> pelos fundamentos em que se alicerça o exército do presente.
>
> Assinam, abaixo, os oficiais generais por ordem de antiguidade e 
> demais militares e civis por ordem de adesão.
>
> > Oficiais Generais
> > 1 - Gen Ex Pedro Luiz de Araujo Braga
> > 2 - Gen Ex Angelo Baratta Filho
> > 3- Gen Ex Luiz Guilherme de Freitas Coutinho
> > 4 - Gen Ex José Carlos Leite Filho
> > 5 - Gen Ex Domingos Miguel Antônio Gazzineo
> > 6 - Gen Ex José Luis Lopes da Silva
> > 7 - Gen Ex Luiz De Góis Nogueira Filho
> > 8 - Gen Ex Valdésio Guilherme de Figueiredo
> > 9 - Gen Ex Gilberto Barbosa de Figueiredo
> > 10 - Gen Ex Luiz Edmundo Maia de Carvalho
> > 11 - Gen Ex Antônio Araújo de Medeiros
> > 12 - Ten Brig Ar (Refm) Ivan Frota
> > 13 - Gen Ex Domingos Carlos Campos Curado
> > 14 - Gen Ex Ivan de Mendonça Bastos
> > 15 - Gen Ex Rui Alves Catão
> > 16 - Desembargador do Tribunal de Justiça/RJ Bernardo Moreira Garcez
> > Neto
> > 17 - Gen Ex Cláudio Barbosa de Figueiredo
> > 18- Gen Ex Carlos Alberto Pinto Silva
> > 19 - Gen Ex Luiz Cesário da Silveira Filho
> > 20 - Gen Ex Maynard Marques de Santa Rosa
> > 21- Gen Div Francisco Batista Torres de Melo
> > 22 - Gen Div Amaury Sá Freire de Lima
> > 23 - Gen Div Leone da Silveira Lee
> > 24 - Gen Div Cássio Rodrigues da Cunha
> > 25 - Gen Div Aloísio Rodrigues dos Santos
> > 26 - Gen Div Robero Viana Maciel dos Santos
> > 27 - Gen Div Marcio Rosendo de Melo
> > 28 - Gen Div Luiz Carlos Minussi
> > 29 - Gen Div Gilberto Rodrigues Pimentel
> > 30 - Gen Div Ulisses Lisboa Perazzo Lannes
> > 31 - Gen Div Luiz Wilson Marques Daudt
> > 32 - Maj Brig Ar Edilberto Telles Shirotheau Corrêa
> > 33 - Maj- Brig do Ar Cezar Ney Britto de Mello
> > 34 - Maj Brig Ar Irineu Rodrigues Neto
> > 35 - Maj Brig Ademir Siqueira Viana
> > 36 - Ge n Div Clóvis Puper Bandeira
> > 37 - Gen Div Roberto Schifer Bernadi
> > 38- Gen Div Remy de Almeida Escalante
> > 39 - Gen Div Sérgio Ruschell Berganaschi
> > 40 - Gen Div Sérgio Pedro Coelho Lima
> > 41- Gen Bda Rui Leal Campello - Detentor do Bastão da FEB
> > 42 - Brig Ar Leci Oliveira Peres
> > 43 - Gen Bda Dickens Ferraz
> > 44 - Gen Bda Paulo Ricardo Naumann
> > 45 - Gen Bda Gilberto Serra
> > 46 - Gen Bda Aricildes de Moraes Motta
> > 47 - Gen Bda Durval A. M. P. de Andrade Nery
> > 48 - Gen Bda Carlos Augusto Fernandes dos Santos
> > 49 - Gen Bda Miguel Monori Filho
> > 50 - Gen Bda Iberê Mariano da Silva
> > 51 - Gen Bda Eduardo Cunha da Cunha
> > 52 - Gen Bda Tirteu Frota
> > 53 - Gen Bda César Augusto Nicodemus de Souza
> > 54 - Gen Bda Geraldo Luiz Nery da Silva
> > 55 - Gen Bda Marco Antonio Felício da Silva
> > 56 - Gen Bda Newton Mousinho de Albuquerque
> > 57 - Gen Bda Paulo César Lima de Siqueira
> > 58 - Gen Bda Marco Antonio Tilscher Saraiva
> > 59 - Gen Bda Manoel Theóphilo Gaspar de Oliveira
> > 60 - Gen Bda Hamilton Bonat
> > 61 - Gen Bda Elieser Girão Monteiro
> > 62 - Gen Bda Pedro Fernando Malta
> > 63 - Gen Bda Mauro Patrício Barroso
> > 64 - Gen Bda Marcos Miranda Guimarães
> > 65 - Gen Bda Zamir Meis Veloso
> > 66 - Gen Bda Valmir Fonseca Azevedo
> > 67 - Gen Bda Marco Antônio Sávio Costa
> > 68 - Brig.Ar Sérgio Luiz Millon
> > 69 - Gen Bda Carlos Eduardo Jansen
> > 70 - Gen Bda Mario Monteiro Muzzi
> > 71 - Gen Bda Paulo Roberto Correa Assis
> > 72- Gen Bda Iram Carvalho
> > 73 - Brig Ar Danilo Paiva Alvares
> > 74- Gen Bda Jos´e Alberto Leal
> > 75 - Gen Bda José Luiz Gameiro Sarahyba
> > 76 - Gen Brig Ar - Guido de Resende Souza
> > 77 - Gen Bda Sady Guilherme Schmidt
> > 78 - Contra- Alm Med Luiz Roberto Matias Dias
>
> > Oficiais Superiores
> > 1- Cel Jarbas Gonçalves Passarinho
> > 2 - Cel Carlos de Souza Scheliga
> > 3 - Cel Carlos Alberto Brilhante Ustra
> > 4 - Cel Ronaldo Pêcego de Morais Coutinho
> > 5 - Capitão-de-Mar-e-Guerra Joannis Cristino Roidis
> > 6 - Cel Celso Seixas Marques Ferreira
> > 7 - Cel Pedro Moezia de Lima
> > 8 - Cel Cláudio Miguez
> > 9 - Cel Yvo Salvany
> > 10 - Cel Ernesto Caruso
> > 11 - Cel Juvêncio Saldanha Lemos
> > 12 - Cel Paulo Ricardo Paiva
> > 13 - Cel Raul Borges
> > 14 - Cel Rubens Del Nero
> > 15 - Cel Ronaldo Pimenta Carvalho
> > 16 - Cel Jarbas Guimarães Pontes
> > 17 - Cel Miguel Netto Armando
> > 18 - Cel Florimar Ferreira Coutinho
> > 19 - Cel Av Julio Cesar de Oliveira Medeiros
> > 20 - Cel.Av.Luís Mauro Ferreira Gomes
> > 21 - Cel Carlos Rodolfo Bopp
> > 22 - Cel Nilton Correa Lampert
> > 23 - Cel Horacio de Godoy
> > 24 - Cel Manuel Joaquim de Araujo Goes
> > 25 - Cel Luiz Veríssimo de Castro
> > 26 - Cel Sergio Marinho de Carvalho
> > 27 - Cel Antenor dos Santos Oliveira
> > 28 - Cel Josã de Mattos Medeiros
> > 29 - Cel Mario Monteiro Campos
> > 30 - Cel Armando Binari Wyatt
> > 31 - Cel Antonio Osvaldo Silvano
> > 32 - Cel Alédio P. Fernandes
> > 33 - Cel Francisco Zacarias
> > 34 - Cel Paulo Baciuk
> > 35 - Cel Julio da Cunha Fournier
> > 36 - Cel Arnaldo N. Fleury Curado
> > 37 - Cel Walter de Campos
> > 38 - Cel Silvério Mendes
> > 39 - Cel Luiz Carvalho Silva
> > 40 - Cel Reynaldo De Biasi Silva Rocha
> > 41 - Cel Wadir Abbês
> > 42 - Cel Flavio Bisch Fabres
> > 43 - Cel Flavio Acauan Souto
> > 44 - Cel Luiz Carlos Fortes Bustamante Sá
> > 45 - Cel Plotino Ladeira da Matta
> > 46 - Cel Jacob Cesar Ribas Filho
> > 47 - Cel Murilo Silva de Souza
> > 48 - Cel Gilson Fernandes
> > 49 - Cel José Leopoldino e Silva
> > 50 - Cel Pedro Carlos Pires de Camargo
> > 51 - Cel Antonio Medina Filho
> > 52 - Cel José Eymard Bonfim Borges
> > 53 - Cel Dirceu Wolmann Junior
> > 54 - Cel Sérgio Lobo Rodrigues
> > 55 - Cel Jones Amaral
> > 56 - Cel Moacyr Mansur de Carvalho
> > 57 - Cel Waine Canto
> > 58 - Cel Moacyr Guimarães de Oliveira
> > 59 - Cel Paulo Carvalho Espindola
> > 60 - Cel Nelson Henrique Bonança de Almeida
> > 61 - Cel Roberto Fonseca
> > 62 - Cel Jose Antonio Barbosa
> > 63 - Cel Jomar Mendonça
> > 64 - Cel Carlos Sergio Maia Mondaini
> > 65 - Cel Nilo Cardoso Daltro
> > 66 - Cel Vicente Deo
> > 67 - Cel Av Milton Mauro Mallet Aleixo
> > 68 - Cel José Roberto Marques Frazão
> > 69 - Cel Brigido Montarroyos Leite
> > 70 - Cel Flavio Andre Teixeira
> > 71 - Cel Jorge Luiz Kormann
> > 72 - Cel Aluísio Madruga de Moura e Souza
> > 73 - Cel Aer Edno Marcolino
> > 74 - Cel Paulo Cesar Romero Castelo Branco
> > 75 - Cel Carlos Leger Sherman Palmer
> > 76 - Cel Gilberto Guedes Pereira
> > 77 - Cel Carlos da Rocha Torres
> > 78 - Cel Paulo Soares dos Santos
> > 79 - Cel Mário Luiz de Oliveira
> > 80 - Cel Wilson Musco
> > 81 - Cel Luiz Fontoura de Oliveira Reis
> > 82 - Cel Rubens Reinaldo Santanaf
> > 83 - Cel Arthur Paulino Tapajoz de Souza
> > 84 - Cel Josimar Gonçalves Bezerra
> > 85 - Cel Affonso Correa de Araújo
> > 86 - Cel Era Derli Stopato da Fonseca
> > 87 - Cel Elmio David Dansa de Franco
> > 88 - Cel Antonio Carlos Pinheiro
> > 89 - Cel Av Silvio Brasil Gadelha
> > 89 - Cel Av Sílvio Barreto Viana
> > 90 - Cel Jorge Caetano Souza do Nascimento
> > 91 - Cel Sérgio Augusto Machado Cambraia
> > 92 - Cel Manoel Soriano Neto
> > 93 - Cel Nelson Roque Vaz Musa
> > 94 - Cel Rubens Vaz da Cunha
> > 95 - Cel Mário Muzzi
> > 96 - Cel Luiz Caramuru Xavier
> > 97 - Cel Av Valdir Eliseu Soldatelli
> > 98 - CMG (FN) Guilherme Gonzaga
> > 99 - CMG Cesar Augusto Santos Azevedo
> > 100 - Cel José Alberto Neves Tavares da Silva
> > 101 - Cel Pedro Figueira Santos
> > 102 - Cel Respício Antonio do Espírito Santos
> > 103 - Cel Av Silvio da Gama Barreto Viana
> > 104 - Cel Djair Braga Maranhoto
> > 105 - Cel Airton Alcântara Gomes
> > 106 - Cel Arcanjo Miguel Vanzan
> > 107 - CMG Francisco Heráclio Maia do Carmo
> > 108 - Cel Ary Vieira Costa
> > 109 - Cel Ricardo Perera de Miranda
> > 110 - CMG Edmundo Amaral Baptista
> > 111 - Cel Nicolau Loureiro Neto
> > 112 - Cel AV Sérgio Ivan Pereira
> > 113 - CMG Geraldo da Fonseca
> > 114 - Cel Nelsimar Moura Vandelli
> > 115 - Cel Cesar Augusto de Jesus Magalhães
> > 116 - Cel Rogério Oliveira da Cunha
> > 117 - Cel José Augusto de Castro Neto
> > 118 - Cel Benedito Luiz Longhi
> > 119 - CMG Rogério Ferreira Esteves
> > 120 - Cel Albérico da Conceição Andrade
> > 121 - Cel Orlando Galvão Canário
> > 122 - Cel AV José Alfredo de Tolosa Andrade
> > 123 - Cel Pedro Arnóbio de Medeiros
> > 124 - Cel Sérgio dos Santos Lima
> > 125 - Cel Cezar Nunes de Araújo
> > 126 - Cel Ivan Fontelles
> > 127 - Cel Paulo Soares de Souza
> > 128 - Cel Renato Brilhante Ustra
> > 129 - Cel Ariel Rocha de Cunto
> > 130 - Cel Rui Pinheiro Silva
> > 131 - Cel Milton Moraes Sarmento
> > 132 - Cel Paulo Sérgio da Silva Maia
> > 133 - Cel Ney de Oliveira Waszak
> > 134 - Valneir deMesquita Nobre
> > 135 - Cel Abilio Ramos Pimenta
>
SE VOCÊ NÃO QUER O COMUNISMO OU O SOCIALISMO NO BRASIL, REPASSE ESTE 
> E-MAIL PARA O MAIOR NÚMERO POSSÍVEL DE PESSOAS, PARENTES, AMIGOS, 
> CONHECIDOS OU ATÉ MESMO PESSOAS QUE VOCÊ SÓ TEM O ENDEREÇO DE E-MAIL.
>
> VEJA BEM, OU TENTAMOS ACABAR COM ISSO, OU SERÁ TARDE, DEPOIS QUE ELES 
> CONSEGUIREM MONTAR O ESQUEMA DELES.

Todavia, General, estas esperanças começam a esmorecer

Rio de Janeiro, 10 de maio de 2015
Exmo. Sr. Gen. Ex EDUARDO DIAS DA COSTA VILLAS BÔAS
COMANDANTE DO EXÉRCITO BRASILEIRO
                Sr. General
                Preliminarmente, solicito a V. Exa que aceite minha apresentação: Cel Int Ref WALCYR MONTEIRO DA MOTTA (AMAN Tu69), vinculado ao Cmdo 1ª RM.
                Encheu-nos de esperança a nomeação de V. Exa para o comando da Força; afinal, seu antecessor era homem de apenas duas expressões: “sim senhora” e “permissão para me retirar”. Subserviência total. Esqueceu-se de uma das máximas do General Manuel Luís Osório, o patrono da Cavalaria: “o soldado é obediente mas não é servil”.
Todavia, General, estas esperanças começam a esmorecer. O 31 de março passou e V. Exa. nada disse. Ordens de cima? Medalhas continuam a reluzir no peito de marginais condenados a prisão pela Justiça, com sentença transitada em julgado, e providências visando sua cassação não são tomadas, mesmo amparadas e, até, determinadas pela legislação em vigor; sua ordem do dia no Dia do Exército foi, usando nosso jargão castrense, uma ordem do dia M1. Esperávamos, General, algo mais, uma observação, um recado velado, uma insinuação de que o Exército, o Exército Brasileiro, o Exército de Caxias não aguenta mais ser enxovalhado, achincalhado, vilipendiado, recebendo missões de  polícia, sofrendo um revanchismo injustificável, um revanchismo torpe, por aqueles que não se conformam terem sido derrotados na luta armada,  tratado pior que os  triários, a última linha das legiões romanas depois das quais a História nada mais fala.  Esperávamos, General, algo como a circular do Gen Castello Branco em 1964. E note-se que, quando a escreveu, o General Castello era oficial general da ativa, Chefe do Estado-maior do Exército. Recordemos alguns trechos: “Os meios militares nacionais e permanentes não são propriamente para defender programas de Governo, muito menos a sua propaganda, mas para garantir os poderes constitucionais, o seu funcionamento e a aplicação da lei... Não sendo milícia, as Forças Armadas não são armas para empreendimentos antidemocráticos. Destinam-se a garantir os poderes constitucionais e a sua existência”.
Embora, à época, V. Exa provavelmente cursasse o ginasial (eu era aluno do 2° ano colegial do CMRJ) aposto ter tomado conhecimento deste texto. O General Paulo Chagas, em seu artigo “O ’Exército de Sempre’ e o Caminho do Dever, publicado no site “Ternuma” (www.ternuma.com.br/index.php/art/2499-o-exercito-de-sempre -e-o-caminho-do-dever-gen-bda-paulo-chagas) tece comentários sobre o silêncio das Forças Armadas. Um trecho merece transcrição:“infelizmente entendo que, se as Forças Armadas continuarem silenciosas em relação aos atos e fatos que interferem em sua missão constitucional, ocorridos interna ou externa mente, mantendo-se, por inação, coniventes com os projetos de poder do governo da ocasião, elas verão surgir, rapidamente, a cizânia e a quebra de coesão entre seus quadros e se transformarão (...) em milícias manipuladas pelo interesse corrupto dos políticos, mal equipadas, despreparadas e, principalmente, mais preocupadas em sobreviver do que em servir! Considero que a omissão é a mais destrutiva das atitudes de um soldado, e que será tanto mais destrutiva quanto mais alto seja seu posto ou graduação.”
Durante a luta armada (da qual não participei – as unidades em que servi não foram engajadas naquele combate) companheiros nossos receberam missão de exterminá-la. Cumpriram a missão! De armas nas mãos, com risco da própria vida e, pior, com risco de suas mulheres e filhos que ficavam expostos à sanha dos terroristas. General, o que o nosso Exército faz, hoje, por estes homens? Nada, General! São xingados, chamados de assassinos, torturadores, denunciados por comissões da verdade totalmente espúrias e revanchistas. Sofrem processos judiciais absurdos. Tem que custear advogados para a sua defesa com seus próprios recursos; ainda bem que o nosso excelente nível remuneratório permite que tais despesas sejam suportadas. O que fizeram para merecer tal tratamento? Cumpriram a missão! Os terroristas, como já disse, não se conformam de terem sido derrotados e, mesmo anistiados, fazem de tudo para infernizar a vida daqueles que os derrotaram e, pior, com o beneplácito, a conivência, a cumplicidade, o incentivo do governo constituído que, mutatis mutandis”, é terrorista. E, tal qual o poema de Maiakowski, não dizemos nada! E não fazemos nada!
Preocupa-nos ainda, General, o atual estado de penúria da Força. Circula na Internet boatos de que o combustível do Exército esgotar-se-ia em julho; que a munição estocada seria suficiente para uma hora de combate; que seria adotado o regime de meio expediente nos quartéis em virtude de restrições de rancho. Consta que no PDC (Palácio Duque de Caxias), no Rio de Janeiro, torneiras teriam sido retiradas dos banheiros para economizar água e que não se estaria ligando os aparelhos de ar condicionado para economizar energia. A maior preocupação, General, consiste em, num quadro desses, como barrar forças e situações adversas caso venham a ocorrer (e, com certeza, ocorrerão).
Vivemos dias preocupantes e sombrios. A tentativa de tomada do poder (tal qual em 1964 eles já têm o governo) desta vez, não será, numa primeira etapa, pela força. Basta ler Gramsci. O Gen Coutinho, Sérgio Augusto de Avellar Coutinho, recentemente falecido, brindou-nos com “A Revolução Gramscista no Ocidente”, onde, num fantástico poder de síntese, conseguiu resumir os não sei quantos volumes dos “Cadernos do Cárcere”, de Antonio Gramsci, em um pequeno livro de 135 páginas. Lê-lo (acredito que V. Exa já o tenha feito), fazendo um paralelo do que ali está escrito com o que acontece atualmente no Brasil, é mergulhar fundo na situação do Brasil de hoje, é muito mais que uma radiografia do momento nacional, é uma verdadeira ressonância magnética deste momento. Iniciamos a “fase estatal”, a transição para o socialismo. E o que fazemos? Nada!
E o decálogo? V. Exa. se lembra do decálogo? Decálogo para tomada do poder pela via pacífica? Tomei conhecimento do decálogo quando cadete, quando na AMAN estudávamos Guerra Revolucionária. Acredito que V. Exa também o tenha feito embora não sejamos contemporâneos na Academia. Recordemos:
- controlar politicamente o Judiciário;
- desmoralizar o Congresso Nacional;
- amordaçar o Ministério Público;
- arrochar a coleta de impostos;
- valer-se de dossiês para impor a vontade a banqueiros, empresários e adversários políticos;
- direcionar a produção artística e cultural e controlar a imprensa (e, hoje, a INTERNET)
- instalar núcleos de ativistas em todos os órgãos da administração pública;
- promover a instabilidade no campo;
- desmoralizar e desmantelar as Forças Armadas, inclusive com a criação de forças paralelas e
- desarmar a população.
    
Como V. Exa pode notar, o que acontece hoje, no Brasil, não é mera coincidência; é um processo pensado, planejado, com execução acompanhada em seus mínimos detalhes. Ademais, o que vemos no nosso dia a dia? Vemos uma incitação à luta de classes, quando se joga brancos contra pretos, patrões contra empregados, ricos contra pobres. Vemos uma total degradação moral com a televisão mostrando comportamentos sexuais esdrúxulos, principalmente se levarmos em consideração a hora em que são apresentados, quando as crianças ainda estão acordadas, tudo de acordo com a doutrina marxista-leninista; vemos um ex-presidente da república (sem erro de ortografia, com minúsculas mesmo) conclamar milícias ilegais e assassinas para uma guerra civil, vemos o líder dessas milícias, nada mais que um bandido, solicitar apoio a governos estrangeiros, parceiros no Foro de São Paulo, para combater nessa guerra civil; vemos organizações narcoterroristas estrangeiras treinando e instruindo gente dos chamados movimentos sociais para o combate. E que faz o nosso Exército, o que fazem as nossas Forças Arma das para neutralizar este quadro? Nada!
E que vemos mais, General? Vemos um quadro de corrupção institucionalizada. O mensalão foi um escândalo. Resultou na cúpula do partido do governo condenada a prisão, com sentença transitada em julgado, ou seja, sem mais possibilidade de recurso. O mensalão, porém, comparado ao PTrolão, deveria ser julgado num Juizado Especial de Pequenas Causas. Imagine V. Exa quando abrirem a caixa preta do BNDES. Por muito menos, Getúlio suicidou-se. Por uma Fiat Elba Collor renunciou para não sofrer impechment. O povo, General, já percebeu e já disse “não” a esta situação com marchas que lotaram as principais cidades brasileiras. A presidente está acuada. Não aparece em público, se o fizer, sabe que receberá uma uníssona, estrondosa e retumbante vaia. A Nação, bem como o Estado, estão a deriva.
Constituímos, nós, Exército Brasileiro, nós Forças Armadas, a “Grande Barreira”, a ultima ratio regis”. O povo brasileiro confia em nós e nós, ainda, confiamos em nossos comandantes. Não nos decepcionem.
Antes de encerrar, General, um fato novo. Leio no blog Alerta Total carta de uma mãe de aluna do CMRJ. Narra aquela senhora que, os livros de História e Geografia adotados no Colégio, antes escritos por historiadores militares e publicados pela BibliEx estão sendo substituídos, por pressão do governo, por outros, de cunho marxista leninista. Isto é fato General? V. Exa tinha conhecimento disto? Estamos “jogando a toalha”? Estamos sucumbindo à sanha vermelha? Estamos permitindo que nossas crianças, nossos “curumins”, sejam “catequizados” por esta corja? Leia o artigo “Colégio Militar do RJ com orientação comunista?”, de Percival Puggina. Como já disse foi publicado no blog “Alerta Total”, neste domingo, 10/05/2015.
Finalmente, deixo a V. Exa uma expressão do Mal Deodoro da Fonseca que, mesmo sendo amigo do Imperador e apesar da crise de asma e dos 39° de febre, montou em seu cavalo baio para dar vivas à República: “o Exército é um leão que dorme e que pode acordar raivoso!”
Queira aceitar Gen Villas Bôas (e merecer) a nossa admiração, os nossos respeitos e a nossa continência.

SELVA!
BRASIL ACIMA DE TUDO!
                                                                                                                                            WALCYR M MOTTA

O Brasil tem solução???

*Falando em campanha, onde está o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para se manifestar sobre o comício de Lula e Dilma na Transposição do São Francisco? Sabemos que é proibido fazer campanha antecipada, sob pena de proibição de concorrer a qualquer cargo eletivo, para quem comete esse delito. Quem pagou aquele palco gigantesco? De quem era o JATINHO que levou Lula ao comício ? Quem pagou a viagem de Dilma até o Nordeste ? Quem pagou o enorme aparato de segurança que existia no local? Foi o governo da Paraíba? Foi a Prefeitura de Monteiro ou o próprio PT? Quem pagou a ida de 15 senadores, dezenas de deputados e os presidentes do PT e do PC do B? Quem fez e onde foram feitas as camisetas onde se lia "Lula 2018 "? Quem pagou o show de Chico Cesar? Esperamos que o TSE nos esclareça estas questões. Quem tiver as mesmas dúvidas repasse estas questões a outros grupos para que o TSE se manifeste. Será que o Sr. Lula pode tudo, e, mais uma vez, não sabia que não podia ?*O Brasil tem solução???

Muitas Duvidas..........Vem pra Rua

terça-feira, 7 de março de 2017

Temos que correr atrás

 
Reestruturação dos soldos dos militares
 
Apoiar a tramitação da PEC 249/2008 que se encontra na Comissão de Relações exteriores e Defesa Nacional, pois os soldos dos militares pode ser considerado como um dos mais baixos de todas as categorias de servidores do poder Executivo. Acresce que a carreira Militar das Forças Armadas é considerada pela Constituição como sendo uma carreira de Estado e sua remuneração não atende este requisito nem é compatível com a situação de outras categorias consideradas como servidores do Estado
 
Efetuar uma tramitação urgente da PEC 249/2008 (há sete anos no Congresso Nacional para sua apreciação e votação!)
http://www12.senado.gov.br/ecidadania/visualizacaoideia?id=45469

MILITAR DAS FFAA. 4,31 ATIVOS CONTRIBUINDO PARA CADA INATIVO OU PENSIONISTA

MILITAR DAS FFAA. 4,31 ATIVOS CONTRIBUINDO PARA CADA INATIVO OU PENSIONISTA. ÚNICA CATEGORIA QUE SE AUTO-SUSTENTA PREVIDENCIARIAMENTE.
MILITAR DAS FFAA. SEM 1 TOSTÃO EXTRA
 DE RECURSOS DA UNIÃO PARA O SISTEMA PREVIDENCIÁRIO
 MILITAR, POIS SÃO 4,31 ATIVOS CONTRIBUINDO PARA CADA
 INATIVO OU PENSIONISTA (11% DIVIDIDOS EM 7,5% DE PENSÃO
 MILITAR E 4,5% PARA O SISTEMA DE SAÚDE PRÓPRIO). SEM DIZER
 QUE O MILITAR INATIVO AINDA CONTRIBUI(!!!) ÚNICA CATEGORIA
 QUE SE AUTO-SUSTENTA PREVIDENCIARIAMENTE (!!!). ENTÃO, PARA
 QUÊ 35 DE CONTRIBUIÇÃO(!)?

 Os Militares, que provém recursos para suas próprias
 aposentadorias e pensões, não são onerosos para a
 nação, como querem fazer crer seus opositores.  Em
 2013 foi realizado um estudo detalhado que visava determinar
 o gasto das forças armadas relacionado às pensões. O
 estudo causou surpresa para aqueles que insistiam em dizer
 que os militares eram mais onerosos do que deveriam na
 questão da previdência. O texto é bastante completo, ver
>em  
http://www.planejamento.gov.br/secretarias/upload/Arquivos/sof/orcamento_14/Anexo_IV.7_a_Militares_1_.pdf
 , e concluiu que as próprias contribuições dos militares
 são suficientes para o custeio de suas aposentadorias e
 pensões. Para cada pensão existem 4,31 militares ativos e
 inativos das Forças Armadas. Relembrando, ambos contribuem.
 Esta proporção se comporta da seguinte forma para cada
 Força: Marinha do Brasil: 4,09; Exército Brasileiro: 4,09
 e Força Aérea Brasileira: 5,36. Esta proporção é
 favorável ao equilíbrio do sistema quanto maior for o seu
 valor, pois significa que existem mais contribuintes do que
 pensões.


 http://www.planejamento.gov.br/secretarias/upload/Arquivos/sof/orcamento_14/Anexo_IV.7_a_Militares_1_.pdf

 http://sociedademilitar.com.br/index.php/colunistas/robson-augusto/1312-35-anos-de-servico-para-os-militares-das-forcas-armadas-boato-ou-realidade.html


23 anos depois, vemos que tudo já estava combinado...

23 anos depois, vemos que tudo já estava combinado...


Em entrevista exibida pela Globo News em 2009, Luiz Felipe Lampreia, ex-ministro das Relações Exteriores, diagnosticava: “O que explica a confusão da América Latina é o Foro de São Paulo”. E ele tinha razão!
O Foro de São Paulo é uma organização que reúne, de maneira promíscua, partidos políticos legais, organizações terroristas e grupos narcotraficantes.  
Ele foi fundado em 1990 por Lula e Fidel Castro, que prometiam reconquistar na América Latina o que se havia perdido no Leste Europeu.

O sonho de Fidel e de Lula é criar a URSAL – União das Repúblicas Socialistas da América Latina.

A unidade estratégica dessas organizações visava tomar o poder em todo o continente americano, criando uma frente de governos socialistas em oposição aos Estados Unidos.
Hoje, duas décadas depois, o Foro de São Paulo já governa 16 países, nos quais aplica a mesma agenda de aparelhamento do Estado, de limitação das liberdades civis, de relaxamento no combate ao narcotráfico, de perseguição à oposição e à imprensa livre.
O “Plan de Acción” aprovado e publicado nas atas do seu 19.º Encontro, ocorrido em São Paulo no começo deste mês, confirma e reforça o pacto estratégico e o compromisso solidário estabelecidos 23 anos atrás.
Os efeitos práticos dessa solidariedade política ficam claros quando observamos a submissão do governo petista às diretrizes do Foro, em detrimento dos interesses nacionais, como ilustram alguns casos da nossa política recente.
Em 2005, o representante das Farc no Brasil, Olivério Medina, foi preso numa ação conjunta entre a Polícia Federal e a Interpol. Medina era procurado na Colômbia por diversos crimes – homicídio, sequestro e contrabando de armas – e o governo colombiano pediu sua extradição.
presidente Lula não apenas negou o pedido do governo colombiano como ainda  concedeu ao terrorista o status de refugiado político. Logo em seguida, a esposa de Medina, Angela Maria Slongo, veio a pedido de Dilma Rousseff, então ministra da Casa Civil, a ocupar um cargo de confiança no Ministério da Pesca, .
Em maio de 2006, Evo Morales estatizou duas refinarias da Petrobras na Bolívia, depois de grotescamente ocupadas e tomadas pelo exército boliviano. O governo brasileiro respondeu com um afago e, dois anos depois, Lula anunciava um empréstimo de US$ 332 milhões a Morales, para a construção de uma rodovia.
Em 2011, Dilma Rousseff anunciou mudanças no Tratado de Itaipu com o Paraguai, cujo presidente e membro do Foro de São Paulo era Fernando Lugo,  .
A senadora Gleisi Hoffmann, do PT, foi a relatora da matéria no Senado e defendeu a aprovação das alterações, que fizeram triplicar a taxa anual paga pelo Brasil ao Paraguai pela energia não usada da Usina de Itaipu, saltando de US$ 120 milhões para US$ 360 milhões
A decisão do governo federal de trazer médicos cubanos ao Brasil é apenas uma manobra do Foro de São Paulo para financiar a indústria de “missões humanitárias” de Havana.


Raúl Castro arrecada nada menos que US$ 6 bilhões anuais com o envio de médicos ao exterior. Calcula-se que o Brasil enviará centenas de milhões de dólares aos cofres cubanos com a importação dos médicos. O dinheiro que poderia ser investido no sistema público de saúde brasileiro vai financiar uma ditadura comunista.
Quando o filósofo Olavo de Carvalho começou a denunciar o Foro de São Paulo, políticos, empresários e jornalistas preferiram ignorá-lo, acreditando que o bicho era manso. Mas o bicho era bravo e agora cresceu formidavelmente; já não sabemos se ainda é possível derrotá-lo.

Publicado no jornal "Gazeta do Povo".
Silvio Grimaldo de Camargo é sociólogo e editor.



“A principal característica de um governo esquerdista é que ele jamais se contenta em governar de acordo com a ordem legal, instituída. Ele sempre acredita que detém a chave, a poção, a receita miraculosa para transformar o país no que ele imagina que  seria o melhor dos mundos. O problema é que o melhor dos mundos, quando se trata da esquerda, está sempre próximo do que imaginamos ser o Inferno, quando não é o próprio Inferno.”Rodrigo Gurgel .
“Quando todas as armas forem propriedade do governo e dos bandidos, estes disputarão entre si  a quem caberão as outras propriedades.” Benjamin Franklin

- Não é triste mudar de ideias; triste é não ter ideias para mudar.
(Barão de Itararé, ou Sun-Tzu, ou U-Tan. Mas é certo que não foi nenhum socialista/comunista,  na verdade foi o Barão).

- "Quem se omite, indiretamente se associa.” (Benjamim Constant)

-"O mundo estaria salvo se os homens de bem tivessem a mesma ousadia dos canalhas". (frase bem atual)

-“ Tudo o que é necessário para que o mal triunfe é a omissão dos homens de boa índole."  (Edmund Burke).

-"Há um IDIOTA no poder, mas os que o elegeram estão bem representados".   (Aparício Torelli, Barão de Itararé, FRASE MAIS DO QUE ATUAL .

 por SILVIO GRIMALDO DE CAMARGO