terça-feira, 28 de outubro de 2014

Recontagem de Votos e Auditoria da Eleição para Presidente 2014

http://citizengo.org/pt-pt/12819-recontagem-votos-e-auditoria-da-eleicao-para-presidente-2014?m=5&tcid=7577617

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Vereador do PT mineiro diz:


DEBATE NESTA SEXTA-FEIRA NA GLOBO

DEBATE NESTA SEXTA-FEIRA NA GLOBO

​Caros Amigos (as)​

 JOGO
​POLÍTICO ​
SUJO É ISSO!!!
O Lul​la​ não tem limites. Agora ameaça jornalistas da Globo. O intuito deste facínora é estabelecer no Brasil um regime nos moldes da Venezuela. É o sonho dourado da quadrilha liderada por ele. Para isso conta com uma imensa legião de inocentes úteis.
​ ​
Vejam o texto. Ele citou nominalmente Willian Bonner e Miriam Leitão num discurso de ódio feito ontem em São Paulo

Todos sabem que a eleição pode ser decidida no debate da próxima sexta-feira, na Rede Globo. A audiência será recorde e o mau desempenho de um dos candidatos poderá fazer com que ele perca dois a três por cento dos votos, o que será fatal nesta eleição tão disputada.

Por isso, depois de ofender a mãe de Aécio dizendo que ela não deu uma "educação de berço" para o filho, depois de chamar Aécio de "bêbado", "drogado", "playboyzinho" e "filhinho de papai", depois de mentir de forma insana sobre a família e o caráter de um político cujo único crime é querer ser Presidente da República, ontem Lula atacou diretamente a imprensa.
Abaixo, um trecho do artigo escrito hoje em seu blog pelo jornalista Ricardo Noblat:
Lula foi além, ontem à noite, do limite da irresponsabilidade.
Em comício ao lado de Dilma em Itaquera, distrito da Zona Leste da capital paulista, ele falou mal da imprensa – até aí nada demais. É direito dele. E nada tem de original.
Mas a certa altura do seu discurso, ele citou os nomes dos jornalistas Miriam Leitão, do jornal O Globo, e de William Bonner, apresentador do Jornal Nacional da Rede Globo de Televisão.
Daqui para frente é a Miriam Leitão falando mal da Dilma na televisão, e a gente falando bem dela (Dilma) na periferia. É o (William) Bonner falando mal dela no “Jornal Nacional”, e a gente falando bem dela em casa. Agora somos nós contra eles - ameaçou Lula. 
As cerca de cinco mil pessoas reunidas para escutá-lo foram ao delírio. Mais tarde, no teatro da Universidade Pontifícia de São Paulo, no bairro de Perdizes, Lula voltou a criticar a imprensa. E a citar Míriam Leitão e a Rede Globo. 
Não dá para afirmar que ele tenha bebido antes de discursar. Aparentava estar sóbrio. Dilma e líderes do PT que testemunharam os discursos de Lula sorriram com o que ele disse. Certamente não pensaram numa coisa – e se pensaram não deram importância.
A saber: Lula expôs dois jornalistas à ira dos seus seguidores fanáticos.
Com Lula, nada é por acaso. O objetivo é um só: constranger o mediador do debate, colocando o eleitorado do PT contra ele. Se Dilma for interrompida porque estourou o tempo, a culpa será de Willian Bonner. Se Dilma tiver um desempenho pífio, as suas deficiências serão creditadas a um golpe da Globo e do apresentador, que a deixaram nervosa e pressionada. A partir de ontem, Bonner está desafiado a provar, sendo mais duro com Aécio, que não está contra Dilma. Pelo menos este é o objetivo de Lula, com o seu ataque ao jornalista.
Por trás disso tudo, que não é um episódio, é uma campanha, está a meta de Lula de implantar o controle social da mídia, a exemplo dos países que fazem parte do Foro de São Paulo. Destruída a oposição, por uma máquina de assassinar reputações, o último passo será calar a Imprensa. Ontem Lula deu nome aos bois. Em várias oportunidades, nos últimos meses, ao conceder longas entrevistas aos blogs patrocinados pelo governo, de onde são propagadas as piores calúnias contra Aécio Neves, já havia feito referências semelhantes.
L
​u​
la deixa muito claro aonde quer chegar.  Infelizmente, se Dilma vencer estas eleições, alcançará seu intento. As redações são majoritariamente bolivarianas e apoiarão. Os colunistas que ainda opinam contra o governo, estes serão dizimados. As empresas de comunicação serão perseguidas e varridas do mapa. A Venezuela e a Argentina moram ao lado. Só não enxerga quem não quer.

​" ACORDA BRASIL "​

Dia do Aviador


Eleições 2014








Prezado(a) Senhor(a) Integrante da Família Verde Oliva (Militar da ativa, inativo, servidor civil e pensionista),


1. Informo a VExa/VSa que o Exército Brasileiro encontra-se  em fase de implantação do novo Sistema de Pagamento do Pessoal (SIPPES), tornando o sistema mais preciso e rápido.

2. O SIPPES usará os dados cadastrados na Base de Dados Corporativa de Pessoal (BDCP), que é alimentada por meio do Sistema de Cadastramento de Pessoal do Exército (SiCaPEx).

3. Considerando o ineditismo da atividade, torna-se imperioso que os dados pessoais estejam atualizados. Dados incorretos e a falta de CPF poderão gerar erros no pagamento.

4. Assim, solicitamos a VExa/VSa que procure pessoalmente, no mais curto prazo possível, a sua Organização Militar ou o Órgão de Pagamento de Inativos e Pensionistas para atualização de dados.

5. O empenho de todos e a precisão das informações cadastradas constituem-se nos pilares de um sistema confiável.
http://www.dgp.eb.mil.br/index.php/eventos-do-dgp/283-campanhasicapexsipes

GOVERNO NÃO COBROU AINDA O RESSARCIMENTO DO MENSALÃO

GOVERNO NÃO COBROU AINDA O RESSARCIMENTO DO MENSALÃO
O julgamento do mensalão foi concluído, os condenados foram presos, alguns dos detentos progrediram do regime semiaberto para a prisão domiciliar e até já estourou um novo escândalo na praça, o petrolão. Tudo isso sucedeu em um ano e meio. E o governo não moveu até o momento nenhuma ação judicial para reaver o dinheiro roubado, devolvendo-o aos cofres públicos.
Ampliar

Veja os condenados do mensalão que foram presos 70 fotos

25 / 70
16.nov.2013 - A ex-presidente do Banco Rural Kátia Rabello embarca no jato da Polícia Federal na base área da Pampulha, em Minas Gerais, rumo a Brasília, na tarde deste sábado. Os condenados do mensalão deverão cumprir pena na capital federal Leia maisReprodução/Globo News

No último final de semana, Dilma Rousseff recitou para os repórteres uma posição que combinara com o marketing de sua campanha sobre o escândalo da Petrobras, espécie de mensalão 2, hipertrofiado. “Farei todo o meu possível para ressarcir o país”, disse ela, antes de admitir, pela primeira vez, a existência de crime. “Se houve desvio de dinheiro público, nós queremos ele de volta. Se houve, não. Houve, viu?.''
Diante do ímpeto de Dilma, o blog decidiu verificar que providências o governo da candidata à reeleição adotou no caso do mensalão. Vai abaixo resumo da encrenca. Percorrendo-o, você perceberá que, confrontadas com um caso concreto, as palavras de Dilma perdem o sentido:
1A nota da AGU: no dia 14 de dezembro de 2012, a Advocacia-Geral da União divulgara nota na qual prometera cobrar dos condenados do mensalão o ressarcimento das verbas que saíram pelo ladrão.
“…Os advogados públicos aguardam o acórdão do STF, fixando o ressarcimento, para iniciar a atuação”, dizia o texto. Preventivamente, a AGU cogitava requerer o bloqueio de contas, o sequestro e a penhora de bens, “para evitar o esvaziamento do patrimônio” dos condenados e “garantir que as quantias sejam restituídas à União”. E nada.
2O acórdãoO resultado do julgamento do mensalão foi publicado pelo STF em 22 de abril de 2013. Nesta quarta-feira, a publicação completa um ano e meio. No dia seguinte, na saída de um encontro com Henrique Eduardo Alves, presidente da Câmara, o ministro Luís Inácio Adams, advogado-geral da União, foi espremido pelos repórteres. E o ressarcimento? “Vou ver os embargos de declaração'', disse ele, realçando a necessidade de aguardar o julgamento dos últimos recursos a que tinham direito os 25 condenados.
Isso não é um expediente protelatório?, quis saber um repórter. E Adams: “Não é protelatório porque os embargos de declaração são um instrumento de esclarecimento do acórdão. Se isso vai resultar ou não em procedência, a Corte é quem tem que decidir. As ações da AGU, nós vamos analisar em cima do que foi publicado a possibilidade de tomar alguma medida de imediato.” E nada.
3A situação atual: procurada, a Advocacia-Geral da União informou ao blog que já decidiu buscar “o ressarcimento de recursos públicos que, segundo o STF, foram desviados da Câmara dos Deputados na gestão do ex-deputado João Paulo Cunha”, hoje um dos petistas que compõem a bancada da Papuda.
Em valores da época do escândalo, os desvios da Câmara foram orçados em R$ 1,32 milhão. A cifra foi malversada por meio de contrato de fancaria firmado com uma das agências de publicidade de Marcos Valério, a SMP&B. A Advocacia da União informa que aguarda informações requisitadas ao TCU para agir.
Obtidos os dados, a “AGU e o Ministério Público junto ao TCU atuarão em parceria para a efetiva devolução do dinheiro desviado.” Quando? Não foi informado. E quanto ao resto do dinheiro? Bem, “quanto aos recursos desviados do Visanet, a atuação caberá ao próprio Banco do Brasil e ao Ministério Público Federal.”
4O Fundo Visanet: o repórter apurou no STF que, seis dias depois das prisões dos primeiros mensaleiros condenados, a área jurídica do Banco do Brasil requisitou ao então ministro Joaquim Barbosa cópia da íntegra do processo do mensalão. Manifestava a intenção de reaver os R$ 73,8 milhões que seu ex-diretor de Marketing, o petista Henrique Pizzolatto, desviara da cota do BB no fundo Visanet para o esquema operado por Marcos Valério.
Sem hesitações, Barbosa repassou cópia dos autos em 25 de novembro do ano passado. Mas o Banco do Brasil até hoje não moveu a ação judicial. Por quê? A casa bancária estatal informou ao blog que, de fato, “solicitou cópia da Ação Penal 470 ao STF para estudar as medidas judiciais cabíveis para a salvaguarda de seus direitos.” De posse do material há quase um ano, o ex-empregador de Pizzolatto, hoje preso na Itália, informa:
“Diante da complexidade do processo, que é um dos mais volumosos já apreciados pelo Judiciário brasileiro, o BB destacou uma equipe de advogados específica para analisar o processo e implementar a estratégia processual que confira a necessária segurança jurídica aos interesses do Banco, a partir da análise das 8.400 páginas do acórdão e das 60 mil laudas dos autos que compõem os 295 volumes e mais de 500 apensos, incluindo diversos laudos periciais de elevada complexidade.”
Quando será protocolada, afinal, a ação destinada a reaver o dinheiro? Eis a resposta oficial: “A decisão do Banco do Brasil é promover a ação ressarcitória com a brevidade possível.”
5O montante: Ex-presidente do STF, Carlos Ayres Britto comandou a grossa maioria das sessões de julgamento do processo do mensalão. Antes de se aposentar, ele estimou em R$ 150 milhões as verbas drenadas de cofres públicos. Fez isso a partir de uma soma de cifras extraídas dos autos.
Somando-se a verba surrupiada na Câmara ao dinheiro desviado do Visanet, chega-se a R$ 75,12 milhões. Ainda que se adicione a esse valor mais R$ 2,9 milhões em verbas publicitárias do BB que, segundo o Supremo, foram apropriadas indevidamente pela DNA Propaganda de Marcos Valério, o montante fica longe dos R$ 150 milhões citados por Ayres Britto. E não há no governo quem se preocupe em refazer essas contas.
6O petrolão: no escândalo que derrama óleo queimado sobre a logomarca da Petrobras, há duas Dilmas. Uma, a presidente, sustenta que “não sabia” da existência da quadrilha que desviava 3% dos bilionários contratos da maior estatl brasileira para os bolsos de políticos e as arcas do PT e de legendas aliadas. Outra, a candidata, faz pose de gestora rigorosa.
“Tomarei todas as medidas para ressarcir tudo e todos”, disse a Dilma-candidata na entrevista que concedeu no final de semana passado. “Mas ninguém sabe ainda o que deve ser ressarcido. A chamada delação premiada, onde tem os dados mais importantes, não foi entregue a nós.''Verdade. Mas a papelada do mensalão está toda sobre a mesa. E nada.
A demora dos subordinados da presidente em agir no caso mensalão tornam sem nexo a pressa da candidata no escândalo do petrolão. Fica demonstrado, uma vez mais, que dinheiro público roubado do cofre é como pasta de dente que sai do tubo. Colocar de volta é tão difícil quanto desfritar um ovo.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

DEUS é Brasileiro...... Onde quem não trabalha fica milionário em 4 anos.


Cresce o número de milionários nas Assembleias Legislativas do país


Milionários - estaduais
O número de deputados estaduais milionários cresce a cada eleição. Levantamento feito pelo G1deus É  bRASIELIRO com base nos dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostra que 375 políticos eleitos para as Assembleias Legislativas declaram um patrimônio superior a R$ 1 milhão, mais de um terço do total.

Nas eleições passadas, eram 297 parlamentares milionários; em 2006, 205.
O patrimônio médio dos eleitos também é maior hoje: R$ 1,446 milhão (contra 1,039 milhão em 2010). Apesar disso, há 55 deputados que declaram não ter bem algum em seus nomes.
O deputado estadual mais rico do país é o empresário Zeca Viana (PDT-MT). Ele declara possuir R$ 87 milhões em bens, entre fazendas, terrenos, veículos diversos e quotas de aeronaves.
Bancadas
Entre os partidos, o que mais tem milionários é o PMDB: 67. Logo depois vem o PSDB, com 43. O DEM, com 32, o PDT, com 27, e o PSD e o PT, com 24, o PP, com 20, o PR, com 18, e o PTB e o PSB, com 17, completam a lista dos dez mais.


Por estado
São Paulo e Minas Gerais concentram o maior número de milionários: 39 cada um. Bahia contará com 27, o Rio de Janeiro, com 23, e o Paraná, com 22.

Em 2015, o PMDB ocupará o maior número de cadeiras no país. Veja as composições de todas as Casas.

Por Rosanne D'Agostino e Thiago Reis

Mais uma para prejudicar o trabalhador após as eleições..........ABRA O OLHO

BRASÍLIA (Reuters) - A reforma que modificará os tributos federais PIS e Cofins está em andamento mas não será apresentada nas duas semanas que antecedem o segundo turno da eleição presidencial, no dia 26 de outubro, disse o ministro da Fazenda, Guido Mantega, nesta segunda-feira.
"Não tem nenhum pacote. Estamos trabalhando há algum tempo, de modo que o PIS/Cofins vai vir reformado. Porém, não tem prazo para ficar pronto. Certamente não será nessas duas semanas de eleição. Será para depois, ainda este ano", disse o ministro a jornalistas ao chegar ao prédio do ministério nesta segunda-feira em Brasília.
A proposta de mudança dos dois tributos faz parte da agenda de temas do Ministério da Fazenda para a melhora da competitividade do setor empresarial. A possibilidade de apresentação da reforma do PIS/Cofins nas próximas duas semanas foi informada pelo jornal "O Estado de São Paulo" no último domingo.
De acordo com o ministro, as mudanças podem ser implementadas de forma espaçada, em dois anos, por exemplo, por conta do impacto na arrecadação.
"15 bilhões de reais é o que custa implementar o PIS/Cofins, permitindo a dedução de créditos, principalmente de serviços, que hoje não são permitidos", explicou.
Segundo ele, ainda faltam alguns detalhes técnicos e discussões com segmentos envolvidos.
O ministro disse ainda que juntamente com a reforma do PIS e da Cofins até o fim deste ano poderá ser apresentada também a reforma do tributo estadual ICMS.
Questionado por jornalistas sobre se o governo pode anunciar outras medidas econômicas nas próximas duas semanas, Mantega disse que não estão previstos novos pacotes no período e que o governo tem adotado medidas micro e macroeconômicas, no sentido de dar mais competitividade à iniciativa privada.
"Só medidas econômicas de curto prazo para o andamento da economia."
A economia é um dos temas centrais da disputa presidencial entre a presidente Dilma Rousseff (PT), que tenta a reeleição, e o candidato do PSDB, Aécio Neves.
(Reportagem de Nestor Rabello)

Aécio abre vantagem sobre Dilma, diz pesquisa Sensus

BRASÍLIA (Reuters) - O candidato pelo PSDB à Presidência da República Aécio Neves largou no segundo turno com ampla vantagem sobre a candidata Dilma Rousseff, que tenta a reeleição pelo PT, apontou no sábado pesquisa do Instituto Sensus divulgada pela revista Istoé.
Segundo o levantamento, o tucano registrou 52,4 por cento das intenções de voto, enquanto Dilma foi preferida por 36,7 por cento dos entrevistados. Brancos, nulos e indecisos somam 11 por cento na pesquisa, que tem margem de erro de 2,2 pontos percentuais.
Ao considerar apenas os votos válidos, descontados os brancos e nulos, a pesquisa aponta Aécio com 58,8 por cento e Dilma com 41,2 por cento, uma diferença de 17,6 pontos percentuais.
Esta foi a primeira Sensus depois do primeiro turno das eleições, com campo entre os dias 7 e 10 deste mês. O levantamento já pode ter captado parte do impacto da divulgação na quinta-feira de depoimento de ex-diretor da Petrobras à Justiça em que detalha suposto esquema de sobrepreço em contratos da estatal que abastecia partidos políticos, citando o PT, o PP e o PMDB.
As entrevistas também ocorreram após o anúncio de apoio formal de partidos à candidatura tucana, como o PSB e o PPS.
As pesquisas mais acompanhadas pelos analistas são Ibope e Datafolha, que têm abrangência maior.
As primeiras pesquisas Datafolha e Ibope para o segundo turno divulgadas na quinta-feira também apontaram vantagem do candidato do PSDB. Segundo esses levantamentos, Aécio teria 51 por cento dos votos válidos contra 49 por cento de Dilma. Como a margem de erro é de 2 pontos percentuais, a presidente e o tucano estão em empate técnico em ambas as pesquisas.
(Reportagem de Maria Carolina Marcello)

Todos que puderem dar sua contribuição são bem vindos

O psiquismo petista, nos últimos dias

O psiquismo petista, nos últimos dias, entrou em um estado de alucinação coletiva. É difícil entender, de um ponto de vista de esquerda, que tipo de “estratégia” poderia levar a escolhas políticas e de comunicação tão erradas, numa véspera de eleição tão delicada. A ideia de que vivemos num país cindido de cima a baixo (ou, mais exatamente, na linha de fronteira entre o Espírito Santo e a Bahia) sempre foi alimentada pela direita alarmista. É a direita que gosta de teses bisonhas como a da preparação de um “golpe comunista” (exatamente por um governo refém do crescimento do consumo, como o de Dilma?). A eleição de Lula, e sua melhor fase no governo, baseou-se exatamente no sentimento contrário. Foi o cacife popular (e populista) de Lula que permitiu estabilizar a economia com ferramentas da ortodoxia de mercado, e iniciar uma distribuição de renda. Lula sim é que executou uma frase famosa dita pelo então ministro Delfim Netto durante a ditadura, “é preciso que o bolo cresça para depois dividi-lo”. Confrontada com a “ameaça” das eleições, Dilma perdeu completamente a mão. Eu sei que as principais decisões de campanha são tomadas pelo marqueteiro João Santana (foto), mas todo publicitário sabe que o marketing tem que manter alguma relação com o “produto” (a candidata, o partido) para não soar completamente falso. image Depois de todas as suposições otimisticamente erradas que fez antes da campanha, Santana sabia que enfrentar Aécio num segundo turno seria uma arapuca. Mas não soube como dosar os ataques a Marina Silva para evitar o reempoderamento de Aécio Neves. Aécio que num determinado ponto da campanha do primeiro turno estava totalmente batido, como bem nos lembramos (afinal faz apenas seis semanas). Foi o psiquismo petista que levou à agressiva desconstrução de Marina no primeiro turno. O efeito colateral foi turbinar Aécio de novo. E é esse mesmo psiquismo que está esboçando a derrota do PT diante do candidato do PSDB. De fato, a campanha de João Santana passou um tanto dos limites contra Marina – mas serviu de mote para que a militância passasse muito mais. Marina não é uma candidata fácil de administrar. Passa muito o recibo de que a realidade é complexa (porque é mesmo), e às vezes é até melhor buscar um bom oráculo para produzir uma chispa de sabedoria em momentos difíceis, do que confiar em “lógicas” e certezas ilusórias (o que provocou chacota contra seu hábito, nesse sentido até saudável, de consultar a bíblia em busca de um insight). Marina portou-se um tanto como Lula, ao tentar abraçar forças dicotômicas. Mas Lula executou essa manobra como um tio conciliador, boa praça e cervejeiro, e Marina queria executá-la com base em uma fala severa (pode-se dizer também que severidade é um elemento que está faltando muito na nossa política). Era relativamente fácil de desconstruí-la, com base no anseio popular por um candidato com superpoderes e soluções fáceis. Mas algumas escolhas moralistas da campanha funcionaram bem demais. Foi o caso dos ataques à educadora Neca Setubal, que é dona de menos de 2% do Itaú, e foi apresentada como uma representante dos banqueiros na campanha de Marina, quando era exatamente o contrário (uma figura abastada porém simpática ao ativismo social e ambiental, ou seja, algo que absolutamente nos faz falta no contexto brasileiro). O mesmo com os ataques à posição do programa de Marina relativizando a importância do petróleo como combustível (o mote do “poderio do pré-sal” foi abraçado com gosto pelo sindicalismo mais simplório); e a semântica irrelevante do ambientalista Chico Mendes ser “elite” ou não (é óbvio que qualquer liderança social pode ser chamada de elite, se se atribuir um significado positivo à palavra). E assim por diante. Os petistas bateram com gosto (e injustiça), enquanto Marina era levada às cordas e não tinha tempo nem habilidade para se explicar. E assim perdeu-se o momento mágico: um cenário em que duas mulheres, vindas do campo da esquerda, uma delas negra, disputariam o segundo turno mais qualificado da história eleitoral do Brasil. Esse teria sido o grande legado de Lula ao país: o embate de suas duas ex-ministras. Escrevi já um pouco sobe isso neste texto, O desserviço final do PT ao Brasil. Acontece que na equação petista não entrou um elemento: o fato de que o partido vem construindo, ao longo do tempo, uma sólida antipatia em setores da sociedade. Não só os da assim chamada direita, que repelem o PT pelas razões erradas (aversão aos programas de inclusão social e de horizontalização da sociedade), mas também com setores que têm uma percepção mais “à esquerda”, ou com preocupações sociais. E é aí que começa o grande problema para o PT. No seu curso à direita, nestes 12 anos de poder, o partido foi de enorme inabilidade política, ao deixar se romperem os laços com muitos movimentos sociais. Os ápices da incompreensão foram junho de 2013 e as manifestações contra os gastos na Copa, em que o PT alienou e tratou como inimigos aqueles que seriam aliados naturais. Substituiu-os por bagaços políticos que o próprio PSDB havia abandonado à sua sorte, como Sarney, Maluf, Collor etc. Lula, o “tio conciliador”, teve a ideia duvidosa de chamar para si esses resíduos do pior da política do século passado, contando controlar e alimentar um pouco os seus minguantes poderios locais. Perdeu parte da credibilidade à esquerda, sem ganhar nenhuma à direita. O mesmo erro aconteceu com os políticos neopentecostais, que Lula, num primeiro momento, também supôs que controlaria politicamente, como contrapeso à influência da igreja católica nos seus ambientes políticos de origem – os mesmos que fundaram o PT. E essa origem psicossocial igrejeira e sindical do PT merece um comentário à parte. Certamente ela tem a ver com esse psiquismo petista que agora fugiu ao controle: o de que toda a complexidade social, cultural e política nacional se reduz a um “eles contra nós”, um “nós que temos o monopólio das boas intenções”, um “exigimos um voto de confiança contra os bandidos”. E ninguém vê isso de fora. Esse paradoxo se apresentou na época da denúncia do mensalão, em 2005. Foi quando uma ala petista com um pensamento político mais saudável falou em “refundação do partido” – e não em tentar varrer o problema para baixo do tapete (não deu certo, como vimos). Essa duplicidade petista, que é tão estranha e indigesta vista daqui, vista pelos petistas parece gerar ainda maior aflição e urgência. E inconveniência. No momento em que precisa atrair eleitores à esquerda (porque os de direita já estão perdidos para o Aécio), a campanha dá destaque à senadora ruralista Katia Abreu? Exatamente a que é conivente com o armamento de fazendeiros para o assassinato de índios? No momento em que é confrontada com mais um escândalo na Petrobrás, Dilma discursa contra a corrupção… tendo ao seu lado, no mesmo palanque alagoano, representantes clássicos da corrupção como Collor e o filho de Renan Calheiros? No momento em que mais precisa do voto paulista (estado central na história do PT, cuja capital já elegeu Erundina, Marta e Haddad), incentiva o mito de que o estado só tem reacionários? Laura Capriglione desenvolve o assunto em seu blog:”Bairros pobres e históricos redutos do PT, como o Campo Limpo, na zona Sul, terra onde vive Mano Brown, por exemplo, ou Itaquera e São Miguel Paulista, na zona Leste, sufragaram mais Aécio do que Dilma. Capela do Socorro, lar do sarau da Cooperifa, do poeta Sergio Vaz, também. E a Pedreira, Ermelino Matarazzo e Cangaíba (…) Vai falar lá que aquela gente morena, parda e preta, que eles são a elite branca, fascista, oligarca ou coisa que o valha”. Dilma, o PT e a militância deveriam tratar a questão com mais desassombro e delicadeza (até porque, na verdade, qualquer presidente eleito estará subordinado exatamente às mesmas forças políticas, representadas no PMDB e nos partidos fisiológicos, e não no PT nem no PSDB). Mas certamente estão alienando mais ainda os eleitores que perderam nos últimos anos. Parece difícil, a esta altura do campeonato. Sem que haja o menor motivo prático, os petistas continuam agredindo não só Marina, mas quem pensou em votar nela, naquele não tão distante momento em que o Brasil quase teve uma eleição presidencial decente. O PT surtado se parece muito com a caricatura, chantagista, desleal e descompensada, que os colunistas de direita tanto gostam de fazer dele. E parece querer confirmar a tese de que só na oposição poderá se requalificar na importância política e social que já teve.

https://br.noticias.yahoo.com/blogs/alex-antunes/o-chilique-chantagista-do-pt-013530317.html#more-id

sábado, 11 de outubro de 2014

Chamem a policia

O ESCÂNDALO DE BENEDITO DE OLIVEIRA NETO

O ESCÂNDALO DE BENEDITO DE OLIVEIRA NETO E PORQUE O PT QUER ESCONDÊ-LO DE VOCÊ Conhecido como Bené, o empresário beneficiado do PT se misturava com núcleo de espionagem do partido e era um dos ocupantes do avião em que a Polícia Federal apreendeu mais de 116.000 Reais na noite desta terça-feira, em Brasília. Junto com Bené estava Marcier Trombiere Moreira, que deixou em julho deste ano o cargo de assessor especial do ministro das Cidades, Gilberto Occhi, para trabalhar na área de comunicação da campanha de Fernando Pimentel. Saiba mais em: http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/operador-de-campanhas-petistas-estava-em-aviao-que-transportava-dinheiro-vivo PSDB O ESCÂNDALO DE BENEDITO DE OLIVEIRA NETO E PORQUE O PT QUER ESCONDÊ-LO DE VOCÊ Conhecido como Bené, o empresário beneficiado do PT se misturava com núcleo de espionagem do partido e era um dos ocupantes do avião em que a Polícia Federal apreendeu mais de 116.000 Reais na noite desta terça-feira, em Brasília. Junto com Bené estava Marcier Trombiere Moreira, que deixou em julho deste ano o cargo de assessor especial do ministro das Cidades, Gilberto Occhi, para trabalhar na área de comunicação da campanha de Fernando Pimentel. Saiba mais em: http://veja.abril.com.br/…/operador-de-campanhas-petistas-e…

VOTE CERTO 45

VOTO CERTO

Os Marginais recebendo Bolsa Família

AJUDEM A ESPALHAR: CHEFÃO DO PT PEDE ABERTAMENTE A CABEÇA DE JORNALISTAS NA PÁGINA DO PARTIDO. ESTOU NA LISTA. NÃO SEI O QUE FARÃO OS OUTROS. ESTOU ANUNCIANDO AQUI QUE VOU PROCESSAR O SR. ALBERTO CANTALICE POR CALÚNIA E DIFAMAÇÃO. CABE INDAGAR SE CHEFÃO PETISTA NÃO ESTÁ DANDO UMA ORDEM PARA QUE ESSAS PESSOAS SEJAM AGREDIDAS NAS RUAS. É PRECISO CUIDADO! ELE É DO PARTIDO A QUE PERTENCIA CELSO DANIEL!
Alberto Cantalice, vice-presidente do PT, divulga no site do partido lista negra de jornalistas. Um assunto para a Justiça e para a Polícia Federal Os petistas, saibam os senhores, pedem a cabeça de jornalistas para seus respectivos patrões. O partido tem nas mãos instrumentos para fazê-lo: anúncios da administração direta e propaganda de estatais. Alguns cedem, outros não! Denunciei aqui a fala de um certo José Trajano na ESPN e AFIRMEI QUE ELE NÃO ESTAVA PENSANDO APENAS POR SUA CABEÇA. DEIXEI CLARO QUE ELE VOCALIZAVA PALAVRAS DE ORDEM DO PT. Muitos não acreditaram. Pois é… A opinião do sr. Trajano sobre mim e sobre os demais que ele atacou (Augusto Nunes, Diogo Mainardi e Demétrio Magnoli) pode ser moralmente criminosa, mas não vai além disto: dolo moral. Ele tem o direito de achar a respeito dos meus textos o que bem entender. E eu tenho o direito de responder. Se ele se sente bem com o seu oficialismo de contestação, aí é problema dele. É diferente, no entanto, quando um político acusa jornalistas de cometer um crime. Aí a coisa pega. O sr. Alberto Cantalice, vice-presidente do PT e “coordenador das Redes Sociais do partido” escreveu um artigo no site do PT em que se pode ler esta pérola. Cantalice acusação Observem que os quatro da lista de Trajano estão também na de Cantalice, que vem ampliada. Não sei o que farão os outros. Sei o que eu farei. Estou anunciando aqui que vou processá-lo. E a razão é claríssima. Ele está me acusando se estimular a que outros “maldigam os pobres” e os discriminem em ambientes públicos. Se eu faço isso, então eu sou um criminoso. Violo um artigo da Constituição e da Lei 7.716, alterada pela Lei 9.459. Vale dizer: transgrido a Carta Magna do meu país e cometo um crime previsto em lei. ENTÃO O SR. CANTALICE VAI TER DE PROVAR O QUE DIZ. ELE VAI TER DE DIZER EM QUE ARTIGO E EM QUE MOMENTO EU PREGUEI A DISCRIMINAÇÃO CONTRA OS POBRES. Para esclarecer a questão constitucional e legal. Estabelece o Inciso XLI da Constituição: “XLI – a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos direitos e liberdades fundamentais”. Define a Lei 7.716, depois de alterada pela 9.459: “Art. 20. Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. (Redação dada pela Lei nº 9.459, de 15/05/97) Pena: reclusão de um a três anos e multa.(Redação dada pela Lei nº 9.459, de 15/05/97) Como sabem os advogados, a discriminação por condição econômica tem sido considerada pelos juízes da mesma natureza das categorias acima previstas. Assim, o sr. Cantalice acusa esse grupo de jornalistas de cometer crimes que rendem até três anos de prisão. Vai ter de provar. Se não provar, incorre no crime de calúnia e difamação. Atenção! Este senhor é o “coordenador da redes sociais DO partido”, entenderam? Não é que ele seja o coordenador do partido para as redes sociais. Não!!! Levadas as palavras ao pé da letra, os petistas julgam já ter privatizado as redes sociais. Não deixa de ser verdade. O sr. Cantalice vai mais longe, Ele descobriu que esse grupo de jornalistas — e vejam quanto poder ele nos confere — é responsável pela vaia que Dilma levou nos estádios. Também ele recorre à metáfora canina para nos designar. Leiam: Cantalice acusação 2 Muito bem! Vocês sabem o que isso significa: quando o maior partido político do país, que tem, de fato, milhares de seguidores — alguns deles podem estar dispostos ao tudo ou nada — nomeia um grupo restrito de jornalistas como propagador do ódio, acusando-o, adicionalmente, de responsável por vaiais e xingamentos de que foi alvo a presidente Dilma, isso corresponde, me parece, a um convite a uma ação direta. Não é segredo para ninguém que certo tipo de militância não precisa de palavras explícitas para agir. O sr. Cantalice está pondo em risco a segurança de profissionais da imprensa. Talvez queira isto mesmo: calar a divergência por intermédio da intimidação e do terror. Que este post sirva de alerta à Polícia Federal e ao Ministério Público. Evidentemente, nenhum de nós deve esperar a solidariedade e o protesto de entidades de defesa da categoria. Sabem por quê? Porque os respectivos comandos da maioria delas pensam a mesma coisa. Também elas acham que deveríamos ser proibidos de escrever o que escrevemos, de falar o que falamos, de pensar o que pensamos. IMAGINEM O QUE ACONTECERIA SE UM GRUPO OU UMA ENTIDADE CONSIDERADOS DE DIREITA TORNASSE PÚBLICA UMA LISTA DE DESAFETOS. O MUNDO VIRIA ABAIXO. O PT repete a tática da ditadura militar e resolveu espalhar no mural da rede os nomes e as fotografias dos “Procurados”. Bando de fascistas! O petismo é a mais perfeita definição do que muitos chamam nos EUA de “fascismo de esquerda”. Qualquer pessoa que tenha lido o que escrevemos ou ouvido o que falamos sabe que pensamos coisas distintas sobre um monte de assuntos. Nunca nem mesmo conversei com Guilherme Fiúza, por exemplo. Duvido que Arnaldo Jabor queira papo comigo. Com isso, estou deixando claro que não formamos um grupo. Pode ser que os petistas estejam acostumados a conversar com quadrilheiros disfarçados de jornalistas. Não é o caso. Eu, sim, acuso o governo do seu partido, sr. Cantalice, de financiar com dinheiro público páginas na Internet e blogs cujo propósito é difamar a imprensa independente, as lideranças da oposição e membros do Poder Judiciário que não fazem as vontades do PT. E o senhor certamente não vai contestar porque é autodemonstrável. O PT começou a sua trajetória no poder hostilizando a imprensa que não se limitava a prestar assessoria ao partido. Depois, passou a financiar o subjornalismo “livre como um táxi”. Aí tentou (e tenta ainda) criar mecanismos de censura. Agora, já chega ao ponto de estimular, ainda que de modo oblíquo, a agressão aos profissionais que não rezam segundo a sua cartilha. A esmagadora maioria da categoria vai silenciar — até porque alguns fazem esse mesmo trabalho em suas respectivas colunas, não é mesmo? Ok. Hoje, somos nós. Amanhã, chegará a vez de vocês. É simples assim. E é sempre assim. Vaias Eu sou responsável pelas vaias? Eu não! Quem estimulou as manifestações de rua em junho foi o PT. Eu sempre as critiquei. Ademais, sabem o que motiva vaia em estádio, meu senhor? Eu conto: roubalheira, safadeza, associação com o PCC. Sem contar que quero encontrar cara a cara com esse sujeito num tribunal. Quero perguntar quais são as suas credenciais e sua origem para falar em nome do povo. Quero opor as minhas às suas. Quero lhe dizer que o governo que ele representa financiou, por exemplo, a ação de sem-terra e índios que resultou em policiais feridos em Brasília. Quero lhe dizer que seus aliados deram suporte a coisas como a “Mídia Ninja” na esperança de que os alvos seriam os adversários. O tiro saiu pela culatra, a despeito das intenções da turma. O sr. Cantalice quer saber onde estão os responsáveis pela hostilidade a Dilma nos estádios? Comece por se olhar no espelho. O PT estimula a desordem. O PT estimula o desrespeito às leis. O PT estimula o desrespeito a qualquer hierarquia. O PT estimula o desrespeito até mesmo à organização familiar. O partido esperava escapar do clima que ele próprio criou? De resto, se as hostilidades a Dilma foram um “gol contra” dos que não gostam dela e se a maioria “abominam” (sic) aquele comportamento, o sr. Cantalice deveria estar contente, não é mesmo? O PT está empenhado em fazer do limão uma limonada. Ao isolar o grupo dos “jornalistas do mal”, ameaça, na prática, todos os outros. É como se dissesse: “Comportem-se, ou vocês vão entrar na lista negra”. E, claro!, muita gente vai se comportar e ainda achar pouco! É claro que fico preocupado quando lembro que o sr. Cantalice pertence ao partido de Celso Daniel. Terei, é certo, de tomar as devidas providências para a minha segurança. E acho que os outros devem fazer a mesma coisa.

Pense na hora de votar

ASSISTA O VÍDEO E VEJA O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM OS CRISTÃOS.

O vídeo tão falado. Não deixe de assistir. Sobre a poupança fraterna, assisti o vídeo onde um deputado do PT do Piauí apresentou a proposta. Não sei se é igual ao conteúdo abaixo. ASSISTA O VÍDEO E VEJA O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM OS CRISTÃOS. Já vimos esse filme antes... lembram do COLLOR? Vai que... acontece tudo de novo. REPASSANDO... Absurdo se for verdade!!!!!!!!! Dêem uma lida neste artigo... Informações importantes. CONFISCO DE POUPANÇA E SALÁRIOS PELO GOVERNO FEDERAL VEM AI. Dê uma olhada nesse artigo. Comentei seu conteúdo com a gerente de minha conta, e ela entrou na web na hora com '' Poupança Fraterna " e lá estava o projeto de lei, pronto pra ser aplicado. Ficou muito surpresa e disse que o banco não havia sido informado de nada. É preocupante ! Outro dia, já havia ouvido um comentário à respeito , mas achei que seria impossível de acontecer. Porém , hoje me chega essa notícia. erá que vamos ter confisco de novo??? E agora? Em todo o caso, fica o aviso. Pergunto, já sabiam ou desconfiavam de algum procedimento como esse? Abraço. Eu conferi na Página do Congresso Nacional. Está lá, faz algum tempo! A hora oportuna será após as próximas eleições... Enquanto os brasileiros estão entorpecidos com o futebol...Copa....Olimpíadas...o governo PT está trabalhando sorrateiramente. Vejam e depois, procurem no site ao final. FIQUEM ATENTOS: CONFISCO DE POUPANÇA E SALÁRIOS... Projeto de Lei para obter controle total das finanças dos brasileiros. Está ativo na Câmara 'aguardando' a aprovação. Que, ao nosso sentir, em verdade o que estava sendo aguardada era a 'neutralização' da oposição no Congresso. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Fica criado o Limite Máximo de Consumo, valor máximo que cada pessoa física residente no País poderá utilizar, mensalmente, para custear sua vida e as de seus dependentes. § 1º O Limite Máximo de Consumo fica definido como dez vezes o valor da renda per capita nacional, mensal, calculada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, em relação ao ano anterior. Art. 2º Por um período de sete anos, a partir do dia primeiro de janeiro do ano seguinte ao da publicação desta Lei, toda pessoa física brasileira, residente ou não no País, e todo estrangeiro residente no Brasil, só poderá dispor, mensalmente, para custear sua vida e a de seus dependentes, de um valor menor ou igual ao Limite Máximo de Consumo. Art. 3º A parcela dos rendimentos recebidos por pessoas físicas, inclusive os que estejam sujeitos à tributação exclusiva na fonte ou definitiva, excedente ao Limite Máximo de Consumo será depositada, mensalmente, a título de empréstimo compulsório, em uma conta especial de caderneta de poupança, em nome do depositante, denominada Poupança Fraterna. § 1º A critério do depositante, sua Poupança Fraterna poderá ser depositada no Banco do Brasil ou na Caixa Econômica Federal, podendo ser livremente movimentada, pelo seu titular, entre estas duas instituições financeiras, as quais desenvolverão seus melhores esforços para assegurar a correta e eficiente aplicação dos recursos assim captados. § 2º Qualquer pessoa, independente do seu nível de renda, poderá abrir uma conta de Poupança Fraterna. § 3º Caberá à fonte pagadora reter o valor a que se refere o caput deste artigo, realizando o depósito na Poupança Fraterna, em nome do poupador, no mesmo dia da realização do pagamento ao beneficiário. I – A retenção do valor excedente ao Limite Máximo de Consumo, sem a realização do correspondente depósito na Poupança Fraterna, implicará multa equivalente a duas vezes o valor retido, além de juros de mora. § 4º As pessoas físicas que auferirem rendimentos de mais de uma fonte deverão, até o quinto dia útil do mês seguinte ao do recebimento, realizar o depósito do valor dos seus rendimentos, excedente Ao Limite Máximo de Consumo, na Poupança Fraterna. I – a não-realização do depósito na Poupança Fraterna, ou sua realização em valor inferior ao determinado no art. 3º desta Lei, por período superior a trinta dias, implicarão a automática e imediata inserção do retentor no cadastro da dívida ativa da União, pelo valor correspondente a duas vezes a diferença entre o valor depositado e o valor devido. Art. 4º Caberá à Secretaria da Receita Federal: I – a elaboração do cadastro anual dos poupadores compulsórios da Poupança Fraterna, constituído de todas as pessoas físicas com rendimento mensal igual ou superior ao Limite Máximo de Consumo; II – a fiscalização do volume e regularidade dos depósitos, relativamente à renda de cada um dos poupadores compulsórios. Art. 5º Os recursos compulsórios aplicados na Poupança Fraterna serão devolvidos aos seus titulares nos catorze anos seguintes ao período mencionado no art.. 2º, com prestações mensais de valores equivalentes à metade de cada um dos depósitos realizados, respeitada a ordem em que os depósitos foram feitos, mais os juros acumulados no período. § 1º Os titulares da Poupança Fraterna, ou seus herdeiros, poderão sacar seus recursos nas hipóteses: I – de morte do titular da conta, a totalidade dos recursos, conforme destinação definida no inventário; II – para aquisição de casa própria para fins de residência permanente, limitada ao valor de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais); III – de doença grave do titular, do seu cônjuge ou de dependentes diretos, até o limite dos gastos incorridos com o tratamento; IV – de aplicação, a partir do terceiro ano de contribuição, em projetos aprovados pelo Conselho a que se refere o art. 8º desta Lei. a ) os saques previstos neste inciso serão limitados a 20% (vinte por cento) do total de depósitos na Poupança Fraterna, efetuados em nome de depositantes que participem como acionistas do projeto no qual os recursos sacados serão investidos. § 2º Os depósitos efetuados na Poupança Fraterna capitalizarão juros equivalentes a 95% (noventa e cinco por cento) do valor dos juros cobrados nos financiamentos concedidos com os recursos nela depositados. § 3º Os depositantes voluntários poderão sacar seus recursos no decurso de quatro anos, após decorridos dois anos de contribuições. Leia tudo no site da Câmara: http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=156281 http://www.camara.gov.br/sileg/integras/202553.pdf http://www.camara.gov.br/sileg/integras/327088.pdf http://www.facebook.com/l.php?u http://www.facebook.com/l.php?u