segunda-feira, 1 de setembro de 2014

SALVE O BRASIL, EXORCIZANDO O PT DO GOVERN

SALVE O BRASIL, EXORCIZANDO O PT DO GOVERNO - ART 13 Doc. 75 2014


Estamos há mais de dez  anos sob  administração do PT,  dos partidos a ele
coligados e podemos  assegurar que perdemos mais uma década no nosso
desenvolvimento político, econômico, social,  técnico científico, além de
termos perdido também o nosso poder de competitividade entre os países do
mundo.
O PT recebeu o governo das mãos do PSDB com o país saneado economicamente,
com várias reformas estruturais realizadas, as instituições democráticas
republicanas fortalecidas, tudo pronto para darmos um novo salto na busca
de nossos destinos no concerto das nações do mundo, como havíamos feito,
magistralmente, na segunda metade do século passado, no período chamado  de
o “milagre brasileiro”.
Nesses anos o PT e seus Coligados conseguiram implantar o caos em todas as
atividades vitais  do país, fragilizaram-nas  pela corrupção, suborno e
subversão de valores, destroçaram  as principais Instituições da República,
avacalharam a instituição família, generalizaram o desrespeito a lei e a
impunidade agora institucionalizada nos 39 Ministérios e pela maioria dos
23 mil funcionários comissionados, usados para “aparelhar” o Estado,
visando a conquista de mentes doentes, locados nos pontos chaves da
administração do país a fim de assegurar a manutenção no poder desses
fanáticos ideólogos, na defesa de interesses inconfessáveis e na preparação
da implantação de uma República Socialista, onde a “nomenclatura”
substituirá as Instituições da República Federativa do Brasil: o
Legislativo, o Executivo e  o Judiciário, interdependentes, harmônicos e
autônomos, entre si. A conjuntura é altamente preocupante, nas áreas
econômicas, políticas, sociais,  técnico científica e militares. Podemos
afirmar que a situação é caótica. 
Já escrevemos 12 artigos intitulados:    VAMOS MUDAR E EXORCIZAR DO  PODER O
PT E OS MAUS POLÍTICOS, EM OUTUBRO”. Estamos dando continuidade,
convencidos de que os grande parte dos atuais políticos e os partidos 
precisam ser substituídos  a fim de que o país possa fazer as reformas
indispensáveis e inadiáveis,  a  começar pela reforma política, mãe de
todas as demais. Enquanto essa reforma não chega vamos deixar os partidos
de lado ( que só defendem interesses próprios e inconfessáveis)  e votar em
homens que representem as nossas comunidades, tais como: a castrense ( 10
milhões); a dos aposentados ( 15 milhões); da saúde( 15 milhões); a
ruralista (25 milhões); a religiosa cristã ( 25 milhões); a do magistério(
15 milhões); etc.. Depois da eleição vamos lutar pela redução dos 37
partidos  para , no máximo, cinco.
Essas comunidades precisam arregimentar-se para escolherem representantes
patriotas que coloquem os interesses do país em primeiro plano, a fim de
realizarem a reforma política que antecipará as demais reformas. No plano
federal, parte  da nossa comunidade está indicando Aécio para Presidente, 
Carlos Jereissati para senador. No plano estadual, cada um vote com sua
consciência, não esquecendo  que nossa luta de 23 anos de luta foi contra o
comunismo, contra a corrupção, pelo desenvolvimento do Brasil e pela
democracia, objetivo maior da contra-revolução de 1964, que salvou o Brasil
da desgraça de um esquerdismo criminoso e já abandonado pelo mundo.
Aqui não há espírito de corpo, nem amizade. O que está em jogo é bem do
Brasil. Não podemos deixar de votar, nem anular o nosso voto, pois assim
estaremos beneficiando os maus brasileiros. Veja a história:
Nas últimas eleições Dilma teve 55.752.529, Serra teve 43.711,388, votos
nulos 2.452.597, abstenções 29.197.152. Assim 75.361.137 eleitores não
votaram na Dilma, mas ela venceu, graças aos votos nulos e as abstenções.
Brasileiros! Pelo Brasil não deixe de votar, mesmo que esteja desobrigado,
pois não votando você está beneficiando QUEM LEVOU O BRASIL PARA DESGRAÇA.
O QUE ESTÁ EM JOGO É O BRASIL E O BEM ESTAR DE NOSSA FAMÍLIA.

Fortaleza, 19 de agosto de 2014

www.fortalweb.com.br/grupoguararapes

Nenhum comentário:

Postar um comentário