quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Quer mais................

Repassando............Veja que vergonha!!!!!!!
 
Caros Colegas; em 18 OUT 2012 enviei a msg abaixo para o "Conversando c/a Reserva".....ontem passados mais de quatro (4) meses do meu questionamento recebí a resposta do C Com S Ex abaixo veja a "Cara de paú" para o que está escrito na mensagem em pauta.......Sinceramente esse não é o Meu Exército Brasileiro.......lamentável!!!!!!!!!
 
Abrs,
 
I A G


MINISTÉRIO DA DEFESA
EXÉRCITO BRASILEIRO
GABINETE DO COMANDANTE
CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO EXÉRCITO

Prezado Senhor(a),

O Exército Brasileiro é uma Instituição compromissada, de forma exclusiva e perene, com a sociedade brasileira, o Estado e a Constituição.

Em atenção ao seu email, agradecemos o envio para o Centro de Comunicação Social do Exército.

Atenciosamente,

Seção de Relações Públicas/CCOMSEx
Acesse:
www.exercito.gov.br
Exército Brasileiro, Braço Forte, Mão Amiga

Em 18/10/2012
Nome* : Ivan Américo Gonçalves
E-mail* : ivanag@17@gmail.com
Assunto :  Sugestões ou Comentários
Escreva aqui a sua Mensagem* : Prezado(s) Sr(s)
Saudações!

Condecorados que desonram as Condecorações Militares. No recente escândalo do Mensalão, atualmente sendo julgado no Supremo Tribunal Federal, já foram condenados algumas pessoas agraciadas com Condecorações Militares, de acordo com critérios conhecidos somente por seus proponentes, já que não há registro sabido de que hajam prestado relevantes serviços ao Exército. Pelo contrário, a atuação de pelo menos dois desses sujeitos no Congresso Nacional sempre foi de acentuado revanchismo contra a caserna, devido ao período de governo militar que se seguiu à Contrarevolução de 1964.
São eles:
João Paulo Cunha - Medalha do Pacificador em 2003; e Grande Oficial da OMM em 11 Fev 2005;
José Dirceu de Oliveira e Silva - Grande Oficial da OMM em 25 Mar 2003;
José Genoino Neto - Medalha do Pacificador em 2003;
Valdemar Costa Neto - Medalha do Pacificador em 1993, Comendador da OMM em 29 Mar 1995, e Grande Oficial da OMM em 25 Mar 2003;
O Comandante do Exército tem a obrigação legal e moral de propor ao Conselho da OMM a exclusão desses condenados; e de cassar, ex officio, as Medalhas do Pacificador a eles concedidas. E, aproveitando o ensejo, mandar verificar a situação processual de outros nomes que destoam na relação de agraciados com honrarias militares. Por exemplo:
- Geddel Quadros Vieira Lima, cujo "prontuário" pode ser lido em Aveloz - Medalha do Pacificador em 2009, e Comendador da OMM em 30 Mar 2000;
- Genebaldo de Souza Correia (um dos "anões do orçamento") - Comendador da OMM em 31 Jul 1991, e Grande Oficial da OMM em 02 Ago 1993;
- José Roberto Arruda - Comendador da OMM em 10 Abr 2001;
- Paulo Salim Maluf - Grande Oficial da OMM em 18 Ago 1980;
- Roberto Jefferson Monteiro Francisco - Medalha do Pacificador em 1995 e Comendador da OMM em 31 Mar 1997;
- Severino José Cavalcanti Ferreira - Medalha do Pacificador em 1998; Comendador da OMM em 30 Mar 2000, e Grande Oficial da OMM em 22 Mar 2005; 
E sendo muito otimista, poderia ser feita uma revisão para responsabilizar, pelo menos moralmente, os responsáveis pela indicação desses agraciados que deslustram as Condecorações recebidas, ao mesmo tempo em que se recomende maior cuidado quanto aos aspectos éticos dessas indicações. Afinal, não pode ser considerado minimamente correta a indicação, para essas honrarias, de pessoas que mancham o nome do Exército, enquanto que a grande maioria dos militares cumprem 30, 35 anos de dedicação e servidão mesmo, em prol da Instituição sem sequer sonharem com a chance de serem agraciados com alguma Condecoração a não ser a Medalha de Tempo de Serviço ou a de Tempo de Tropa, concedidas não por indicação mas unica e exclusivamente por seus méritos. Resta saber se haverá vontade política para cumprir a lei em vigor e a execução das providências necessárias para essa limpeza moral na lista dos agraciados com Condecorações Militares. Ou se será provide
nciada uma mudança urgente na legislação.Ou se a legislação vigente será simplesmente "esquecida" e a vida seguirá seu rumo com medalhas criadas para enaltecer virtudes militares sendo distribuídas sem critério algum, enquanto os verdadeiros militares, os que não possuem acesso aos gabinetes palacianos, tem seu merecimento solenemente ignorado. Já não basta a humilhação imposta por meio dos vencimentos abastardados, os militares que honram sua farda e seus valores tem que conviver com patamar de credores de homenagem especial do Exército Brasileiro.
Att.
Ivan Américo Gonçalves
Cap Refo
Floripa/SC
Email: ivanag17@gmail.com
 

Um comentário:

  1. Vc ainda crer que os oficiais "Culhões Roxo" ainda existem, pode tirar o chapéu meu irmão.Estamos há tanto tempo sem conhecer um sequer e nem esperança de surgir algum. Mas se fosse um de nós que tomasse uma punição severa, aí sim: pontos perdidos na carreira, perseguição implacável de toda oficialidade, desonra militar, etc... Mas agora, nesse governo com o inédito continuísmo de Comandante Militar, não podemos esperar nada. É farinha e meu pirão primeiro.

    ResponderExcluir