sábado, 24 de novembro de 2012

Dirceu prega 'julgamento do julgamento' do mensalão

Ex-ministro chamou militantes petistas para 'enfrentamento político'.
Ato de apoio a João Paulo Cunha, condenado, reuniu mais de mil pessoas.

O ex-ministro José Dirceu afirmou nesta sexta-feira (23) que a militância petista deve fazer o "julgamento do julgamento" do mensalão. Em evento do PT de São Paulo, que reuniu mais de mil pessoas em Osasco, Dirceu fez um apelo em prol de um "enfrentamento político" e um "enfrentamento jurídico" para contestar sua condenação, pelo Supremo Tribunal Federal, a 10 anos e 10 meses de prisão por corrupção ativa e formação de quadrilha.
"Nós temos que fazer o julgamento do julgamento agora. Nós não temos medo da verdade dos autos, porque nos autos está a prova da nossa inocência. Nos autos, lá no Supremo Tribunal Federal, na ação penal 470, nos votos dos ministros que são públicos, está a teoria do domínio do fato sem prova, está que não se pode condenar por presunção, que as testemunhas de acusação estão sob suspeição, não está o contraditório, que não foi feito. Então nós não precisamos de apelar, nós podemos fazer um enfrentamento político, um enfretamento jurídico, conforme os autos. E temos que fazer na sociedade, como este ato aqui hoje", discursou.
No discurso, que durou cerca de 11 minutos, Dirceu reiterou crítica, já manifestada pelo PT, que o julgamento da ação foi politizado e feito sob intensa pressão da imprensa.

O evento, feito num teatro no centro de Osasco, serviu como um ato de desagravo ao deputado João Paulo Cunha, condenado por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculato, mas cuja pena ainda não foi definida.
Em discurso, o deputado, que corre o risco de perder o mandato com a condenação, falou por mais tempo, 21 minutos. Ele relatou o abatimento com a decisão do Supremo. "Vocês não sabem como é dolorido, é de cortar o coração. Eu fiz uma opção, a de ficar do lado dos trabalhadores. Podem ficar tranquilos, desta mão aqui não sai sujeira", afirmou.
O ex-presidente do PT José Genoino, também condenado por corrupção ativa e formação de quadrilha, disse estar de "cabeça erguida". "O coração da gente está machucado, está doido, mas a cabeça está tranquila e erguida. Eu tenho a consciência da minha inocência. Aprendi na vida a nunca perder a esperança", disse. Genoino pegou 6 anos e 11 meses, e deve iniciar a pena em reg ime semi-aberto, ao contrário de Dirceu.
O ato em Osasco reuniu prefeitos, deputados e vereadores da legenda. Entre os dirigentes, estava presente o presidente estadual da sigla, Edinho Silva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário