sábado, 8 de setembro de 2012

PT, PSDB e cia: Farinhas do mesmo saco






Tenho inúmeros motivos para elogiar e também criticar o ex-presidente Cardoso, mas este seu artigo merece críticas do começo ao fim. Começa que ele tenta fazer uma separação entre Lulla e Dilma, como se ela não tivesse sido a Ministra-chefe da Casa Civil e antes de isso ter comandado o Ministério de Minas e Energia. Sem contar que Dilma foi sua candidata terceirizada.



Seguramente que o bastão recebido foi e tem sido pesado, mas será mais pesado ainda para os políticos que os irão sucedê-los, principalmente pelo fato de que a herança maldita está começando a afetar as crianças que estão nascen do hoje, sem contar aquelas que foram mortas ainda no ventre materno.



Como que ninguém é responsável pela crise na economia mundial?



Somos sim, cada um de nós tem parcela de culpa, pois foi resultado de uma mentalidade que levou a permitir o excesso de intervencionismo na economia por parte de muitos governantes, nos países da franja do Mediterrâneo e nos países subjugados ao Foro San Pablo, principalmente, isso enquanto chilenos, ingleses, alemães poloneses, lituanos, etc. estavam fazendo a lição de casa.



Seguramente que há muitos infortúnios nos ciclos do capitalismo, mas é melhor assim, pior seria se tivéssemos optado pelo contínuo infortúnio que foi e ainda tem sido o socialismo, que muito bem, ou melhor, mal soube defender, a começar em seu livro “Dependência e Desenvolvimento na América Latina”, como se pudéssemos esquecer o que disse ou escreveu. As pessoas devem ser responsáveis, ainda mais quando são adultas e estão com o lápis e a caneta na mão.



O capitalismo tem legado um desenvolvimento fantástico a toda humanidade, inclusive à(s) China(s), com destaque a Hong Kong, Macau e Taiwan, as duas primeiras em especial, pois não se submeteram a um regime opressor, são Regiões Administrativas Especiais da República Popular da China, com constituição e demais leis e moeda próprias.



A crise moral no Brasil é mais que contemporânea, vem com a quartelada que muitos chamam de “Proclamação da República”. Foi a vitória da mentalidade do dono do Brasil, o Sr. José Ribamar Ferreira de Araújo Costa, da época. A impressão que temos é que ela vem se agravando a cada novo mandatário que o Brasil elege ou se apodera do comando da nação.



O problema é que vivemos um parlamentarismo às avessas, a nossa Constituição é parlamentarista e monárquica, monárquica, mas com o ranço de absolutismo que nem mesmo D. Pedro I ou D. Pedro II ousariam nos impor. Muito pelo contrário, souberam defender com honra a monarquia constitucional, em especial D. Pedro I que assim se tornou D. Pedro IV de Portugal e por conta disso é muito admirado pelos portugueses. Mas esta é uma história que os ignorantes não conhecem.



Mas vivemos um parlamentarismo às avessas, os dois governos do ex-presidente Cardoso não fugiram disso, primeiro foi eleito o primeiro-ministro, o próprio, depois se compôs a base afilhada. Não temos base aliada, temos políticos que defendem seus próprios interesses, que com Lulla e Dilma somente se ampliaram, introduziram a defesa de interesses própria de uma oclocracia.



Outro erro do ex-presidente Cardoso é separar o mensalão de Dilma, nada mais falso, o mensalão é do PT e de sua base afilhada. Foi a forma de se continuar o exemplo dos governos anteriores, “do toma lá, dá cá” que converteu Brasília num dos maiores prostíbulos do mundo. Não podemos esque cer das aulas que Lulla teve com o então ministro Sérgio Roberto Vieira da Motta, quando então ministro se envolveu no escândalo de compra de votos para a aprovação da emenda de reeleição de FHC. Não foi a aula inaugural de Lulla, certamente, ele teve outras antes disso. Assim como o Ivo Patarra está certo em seu bestseller, não podemos esquecer que o então ministro Sérgio Motta, o Serjão, estava no centro do esquema de compra de votos para a reeleição do ex-presidente. Afinal quem eram os principais beneficiários destes esquemas?



Mas Lulla é antes de tudo herança dos dois governos do ex-presidente Cardoso, é o mais do mesmo, com muito mais vulgaridade, mais ao gosto do brasileiro que tanto aprecia o BBB e as músicas escatológicas que ai estão. A eles devemos o crescimento assustador de um modelo que fez a carga tributária crescer exponencialmente, assim como a violência. Tanto é verdade que hoje o Brasil é um dos países mais violentos do mundo. E foi o ex-presidente Cardoso que deu a sua mais importante contribuição ao que temos hoje, senão vejamos:



a) Cada 5 minutos uma mulher é violentada no Brasil , muitas são mortas . E o Brasil somente tomou decisões acertadas sobre a questão quando o tema foi levado a fóruns internacionais. E é um tema que está sob estudo de uma CPMI, o que é pouco divulgado.



b) 14 das 50 cidades mais violentas do mundo estão no Brasil e Curitiba é uma delas;



c) A Costa Leste do Paraná é hoje uma das regiões mais violentas do mundo, onde se observa um dos mais elevados IHA ;



d) Tivemos nos últimos 30 anos mais de 1 milhão de homicídios e o crescimento é exponencial;



e) Em 2011 tivemos mais de 195 mil vitimas fatais devido a violência ;



f) O custo da violência supera 5% de nosso PIB, isso segundo estudos desatualizados realizados pelo IPEA, o Banco Mundial estima em 7,5%, eu estimo em mais de 10% e apresento as razões .



Foi ele o break-point, dos que começaram a confundir autoridade com autoritarismo. Foi ele que começou a destruir o que temos de mais valor dentro de nossa sociedade: a integridade dos e a integração entre os brasileiros, a religiosidade do povo, o valor dado à família e o reconhecimento da dignidade daqueles que tomaram parte de nossas Forças Armadas, mesmo com seus erros cometidos dentro de uma realidade de um mundo dividido, subjugando e dividindo nações, promovendo diásporas e não apenas um poucos exilados, com muros e cortinas.



Se formos falar em herança, esta se deve muito ao dono do Brasil, o Sr. José Ribamar Ferreira de Araújo Costa, e aos que o sucederam, em especial ao ex-presidente Cardoso.



Realmente o ex-presidente Cardoso acerta quando escreve que é longa a lista do que faltou fazer quando seria mais fácil. Mas quem é ele para criticar? Pouco fez, tinha seu projeto de reeleição, assim comprou, mas de outra forma sua base afilhada. Promoveu a sua privataria e nem mesmo soube depois defender a privatização.



A herança, tanto do ex-presidente Cardoso, como de seus sucessores está no placar instalado em meio físico na Rua Boa Vista, nº 51 em São Paulo, mas que pode ser acessado em meio virtual através do link: http://www.impostometro.com.br é lá que encontramos o termômetro que mede quanto de fato somos hoje escravos da incompetência, desde o tempo em que o dono do Brasil, o Sr. José Ribamar Ferreira de Araújo Costa, ocupava o Palácio do Planalto até os dias de hoje.



Mas o brasileiro não se dá conta disso, acredita numa fantasia, a de que o ex-presidente Cardoso seja adversário de Lulla ou Dilma. Ou que eles tenham um dia defendido os interesses do povo brasileiro. Nada mais falso. É falsa esta dicotomia,



Po r conta dela é que os brasileiros estão na posição de escravos, não apenas da burocracia, mas de fato, pois dos 366 dias deste ano, 150 a 162 dias estamos forçosamente destinando para pagar impostos, que irão representar 40% de um ano inteiro. Antes de se iniciar o governo do ex-presidente Cardoso, o percentual de escravidão era seguramente menor, era pouco mais da metade disso, o que por si só é muito elevado para o que recebemos como bens e serviços públicos.



E o brasileiro continua em festa ou no circo¹, teremos este ano mais de 130 dias que não serão dedicados ao trabalho, isso sem contar as férias ou as licenças de todo tipo. Mas quem paga a conta? O Brasil é um dos países com a maior carga tributária de todo o mundo. E temos que suportar toda uma estrutura sindical que não se comove com o fato de termos mais da metade dos trabalhadores na informalidade devido a forma com que a estrutura trabalhista e sindical foi implantada no Brasil. < br />

O ex-presidente acerta quando cita os entraves ao nosso desenvolvimento, quando cita que Lulla e Dilma somente estão a procrastinar, mas este é o problema que é de responsabilidade de todos os brasileiros, pois são mais afetos à cultura da lombada, longe de atacar os problemas na sua causa raiz ou fundamental. Mas eles tiveram excelentes professores, o dono do Brasil, o Sr. José Ribamar Ferreira de Araújo Costa, e seus principais aliados que ocuparam o Palácio do Planalto.



Quem sabe um dia o brasileiro venha e entender a importância de seu voto:







E que saiba diferenciar e não se deixe enganar sobre a o que de fato é democracia:


Isso sem contar a questão das drogas, onde os mesmos ex-presidentes se destacaram, um defendendo a maconha o outro os traficantes.


“Se me apontarem uma única liderança nova no PSDB e no PT, desdigo no próximo Blog o que afirmei neste.” (Poeta Jorge da Cunha Lima)

A realidade é que tanto o PT e PSDB são cabeças de um mesmo monst ro, a do PSDB foi utilizada para raciocinar, mas como a de todo réptil, é minúscula, e a do PT se presta para regular as funções vitais, como defecar, mas está doente.


Gerhard Erich Boehme é Engenheiro.

Artigo no Alerta Total
Por Gerhard Erich Boehme



Nenhum comentário:

Postar um comentário