segunda-feira, 2 de julho de 2012

Qual o custo desta brincadeira ao povo brasileiro que padece nos corretores dos hospitais públicos

Nunes: 'Agenda secreta não afeta a


autoridade da Comissão da Verdade'



SEN. ALOYSIO NUNES O senador Aloysio Nunes (SP) afirmou nesta segunda-feira (2) à Coluna que a decisão da Comissão da Verdade de trabalhar com uma agenda secreta é uma questão de método, que “não afeta a autoridade da Comissão”. “O fato é que os resultados serão públicos. A lei permite que seja sigiloso. É um método de investigação”, explicou. Nunes disse que não conversou com os membros da comissão após a cerimônia de instalação, mas garantiu: as famílias das vítimas da Ditadura Militar saberão o que foi dito e ouvido na Comissão da Verdade. “A lei prevê uma sistemática de troca de informações”, afirmou. Para ele, as críticas de que a comissão só ouviu depoimentos frustrantes até agora eram esperadas. “É um trabalho de garimpagem difícil e as acusações fazem parte da natureza e das circunstâncias do trabalho. Tem de garimpar, não é na primeira tentativa que a comissão vai achar ouro”, disse. O senador Aloysio Nunes foi relator, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), do projeto de lei do Executivo que criou a Comissão da Verdade. O objetivo é investigar graves violações de direitos humanos ocorridas no período de 1946 a 1988.

Nenhum comentário:

Postar um comentário