sexta-feira, 27 de julho de 2012

A redução vai ocorrer no dia 31 de Fevereiro.......

Tarifa de energia elétrica deve cair




MIN. EDISON LOBÃO O ministro Edison Lobão (Minas e Energia) disse nesta quinta (26) que o governo suprimiu encargos setoriais que incidem sobre tarifas de energia elétrica. Segundo ele, isso será feito porque a geração de energia elétrica é uma atividade barata, mas que encarece no meio do caminho. "Vamos retirar estes obstáculos que estão no meio do caminho e, com isso, vamos ter uma tarifa reduzida sobretudo para o consumidor mais forte que são os industriais. Vamos retirar todos (os encargos)", afirmou. Além do corte de tributos, o governo está concluindo a proposta de renovação dos contratos de concessão de energia que vencem em 2015. Como a renovação das concessões vai deixar de remunerar os ativos depreciados, aliada à eliminação dos encargos, a tarifa de energia deve cair pouco mais de 10%.



Socorro!!!! Quero um comandante verdadeiro............

Guerra à vista


O Diário Oficial da União publicou ontem a criação de 225 cargos em confiança e gratificações na Defesa, onde falta grana até para rancho.


Por CH


quinta-feira, 26 de julho de 2012

Mais uma do Lula...

TCU: reserva cobrada na conta de luz teve finalidade desvirtuada

Criada em 1957, a RGR deveria terminar em 2011, mas foi renovada até 2035 por medida provisória de Lula, aprovada no apagar das luzes de 2010

O Tribunal de Contas da União (TCU) apontou em acórdão divulgado nesta quarta-feira que a Reserva Geral de Reversão (RGR), fundo que corresponde a 1,2% da tarifa cobrada dos usuários de energia elétrica no país, foi durante anos usada para finalidades diferentes das originais, favorecendo principalmente a Eletrobras.

No documento, o TCU determinou que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) - que já havia identificado irregularidades na gestão desses recursos - exija, em 180 dias, que a Eletrobras divulgue periodicamente dados sobre arrecadação e aplicações dos recursos da RGR. O Tribunal também fez determinações ao Ministério de Minas e Energia, para que justifique a necessidade de prorrogação da RGR até 2035, que foi definida no fim de 2010, quando o encargo deveria ter sido extinto, além de pedir diretrizes para a gestão desses recursos nos próximos dez anos.

No fim de 2010, a RGR tinha em caixa R$ 17,5 bilhões em valores que foram pagos por usuários de energia elétrica no país. Desde 1996, quando foi criada, arrecadou mais de R$ 30 bilhões. Na prática, porém, o TCU avaliou que os recursos da RGR foram desvirtuados de sua finalidade original, que seria compensar concessionárias que perdessem seus contratos, mas ainda tivessem direito a compensação por investimentos não amortizados.

O dinheiro da RGR foi aplicado recentemente, por exemplo, na expansão dos serviços de distribuição de energia elétrica em áreas rurais e urbanas de baixa renda, bem como no Programa Luz para Todos e na produção de energia a partir de fontes renováveis e pequenas centrais hidrelétricas, barateando o financiamento às empresas do setor. "A finalidade do fundo é a constituição de reserva de reversão e de recursos para financiamento do setor elétrico, e não fonte de financiamento para operações ordinárias da empresa (Eletrobras)", escreveu o ministro Raimundo Carreiro, relator do processo.

O tribunal identificou também que os recursos da RGR não são movimentados exclusivamente em conta específica, o que acaba por confundir os recursos da RGR com outros fundos públicos no balanço da estatal. "O orçamento, os balanços patrimoniais e os registros contábeis da RGR e da Eletrobras não podem se confundir por pertencerem a dois entes independentes, sendo a Eletrobras tão-somente a gestora da RGR", determinou Carreiro em seu voto.

Por conta do comprometimento dos recursos da RGR em finalidades diferentes das originais, o tribunal apontou, ainda, preocupação com eventual necessidade de se usar os recursos para compensar empresas que poderão perder a concessão a partir de 2015, quando 30% dos contratos do setor vencem. "Não se pode afirmar que o saldo da RGR será suficiente para cobrir eventuais indenizações das concessões que vencerão em 2015. Caso se confirme a previsão negativa, o Tesouro Nacional terá que honrar as restituições decorrentes de eventuais reversões de ativo", apontou Carreiro. (Por Danilo Fariello, em O Globo de hoje)







Nós novamente......E O AUMENTO!!!!!!

Justiça Eleitoral fecha acordo com Forças Armadas para garantir segurança nas eleições municipais


Brasília – A Justiça Eleitoral, por meio do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e o Ministério da Defesa, que comanda as Forças Armadas, fecharam acordo nesta quarta-feira (25) para garantir a logística e a segurança das eleições municipais de 2012. Diferentemente dos outros anos, o acordo detalha como os profissionais das duas áreas devem atuar para que a votação ocorra com normalidade.

“O importante no documento de hoje, que não é uma novidade porque isso já ocorreu em 2008 e 2010, é que ele fixa também os procedimentos básicos acordados, porque sempre pode haver uma dúvida. Será que soldados podem fazer isso? Devem aparecer fardados em tal lugar ou não devem?”, explicou o ministro Celso Amorim, da Defesa, que assinou o documento com a presidenta do TSE, Cármen Lúcia Rocha.

A Justiça Eleitoral costuma solicitar duas modalidades de serviço às Forças Armadas. O primeiro é o apoio logístico para o transporte de materiais, urnas e pessoas a locais de difícil acesso. Neste ano, o apoio logístico já foi requerido pelos tribunais eleitorais de quatro estados - Acre, Amapá, Mato Grosso do Sul e Roraima – para atender a 77 localidades.

A segunda forma de apoio das Forças Armadas é o emprego de tropas para a manutenção da lei e da ordem. Nesse quesito, tribunais do Amazonas, Maranhão, Rio de Janeiro e Tocantins já pediram reforço, com base em informações prestadas pelo governador de cada estado sobre a segurança local.

Segundo o acordo firmado hoje, a solicitação de reforços pelos tribunais eleitorais estaduais tem que passar pelo aval do TSE, que encaminha os pedidos para a Presidência da República e para o Ministério da Defesa. O TSE analisará os pedidos já encaminhados pelos tribunais locais a partir de 1º de agosto, quando volta do recesso.

O acordo também determina que as tropas só podem desempenhar funções para garantir a votação e a apuração de votos, obedecendo a legislação e as instruções da autoridade judiciária eleitoral.

Fonte: Agência Brasil





Pode isso, Presidente?



O texto, por razões óbvias, é anônimo o que não lhe tira a veracidade.


Presidente Dilma, veja meu contracheque de Capitão do Exército Brasileiro, em anexo.

MEU SALÁRIO LÍQUIDO: 5.299,00.


- Comando 48 homens (imagine o salário deles... bem menor que o meu).

- Trabalho cerca de 50 horas por semana, mas estou há 15 anos de prontidão, pronto para ser acionado (em caso de garantia da lei e da ordem, ou outro motivo julgado necessário por meu comando).

- Por lei, não posso fazer greve. Mas faço operações de fronteira com colegas da Polícia Federal que ganham 3 vezes mais que eu. Eles podem fazer greve.

- Vários Natais, Carnavais e aniversários de minha filhinha, hoje com 6 aninhos, e do meu guri, com 8, passei na selva, em treinamento.

- O armamento que uso, Presidente, é ultrapassado.

- Minha esposa até tinha conseguido um trabalho com artesanato, que dava um ganho de uns 200,00 a cada mês e meio, + ou -. Mas desde nossa última transferência, ela está meio deprimida, e não consegue ajudar aqui no sustento da casa.

- Jurei que não colocarei meus filhos em escola pública. Só consigo mantê-los atualmente na escola particular graças à ajuda do diretor do colégio (fez um "pacote" mensal para mim, pra 2012, de R$ 1.620,00).

- Tento economizar em outras coisas... O carro, por exemplo, é o mesmo há 6 anos. E já me dá um trabalhão de oficina.

- As crianças e minha esposa usam as mesmas roupas do ano passado. Sim. Estamos em julho; e a última roupa comprada para os três foi no Natal.

A próxima roupa? Se Deus quiser, no Natal.

- Mês passado, tomei uma decisão (pena que minhas crianças é quem mais vão sofrer): cortei a TV por assinatura (eu tinha um pacote básico).

- Agora nosso tormento vai ser tirá-los da TV aberta. Leitura? É o que eu e minha esposa gostaríamos de incentivar neles. Mas... Presidente... Como livro é caro, viu!

- Moro na Vila Militar. Não consigo sequer planejar a compra de um imovelzinho... um apartamento pequeno, para que quando a reserva chegar, não pegue de surpresa um "Coronel desavisado" (como já vi acontecer com dois conhecidos).

- Bem, Presidente:

Como não posso economizar na Amoxilina e outras medicações, que de vez em quando meus filhos tomam;

Como não posso economizar no composto feito em farmácia de manipulação, que a endócrino prescreveu para minha esposa (ainda bem que a minha saúde ainda é muito boa);

Como não posso economizar com a gasolina, nem com limpeza (a quantidade de sabão em pó, detergente, etc, é fixa);

Como a conta de luz e telefone já chegou a um mínimo, de onde não dá mais para economizar; e

Como o meu filho sabe que não posso pagar a ele os passeios (meio caros) que a escola propõe para a turma...

Para fugir dos empréstimos, passei a economizar comprando menos comida.

Isso, Presidente.

Jurei não recorrer mais às financeiras... a muito custo estou abolindo cartão de crédito. Mas para isso digo que estou cada vez comprando menos comida.

Há quatro anos me "sobra", para o supermercado e a feira do mês, de 1200 a 1300 reais.

Só que as coisas sobem. A inflação está baixa... mas as coisas sobem.

Pode parecer ridículo, mas passei a comer menos vegetais... até mesmo menos arroz e feijão.

Pelo menos tenho o café da manhã e o almoço no quartel, onde posso até repetir o prato, de vez em quando, quando a comida tá boa...

A sra viu quanto está o preço da couve? do brócolis? Eu queria ter esses vegetais todos os dias na mesa de casa... mas atualmente, só dá 1 vez na semana.

E o que dizer do leite? E do acém? E o preço do quilo do peixe?

Há dois anos, comíamos peixe a cada duas semanas, pelo menos.

Hoje não dá.

Em casa, hoje em dia, substitui-se legumes por pão, em algumas ocasiões.

É menos saudável, eu sei.

Mas enche mais a barriga. É barato.

Já faz um tempão que não usamos azeite de oliva. Puxa, presidente, como o azeite é saboroso! Lembra minha infância.

Hoje, consigo comprá-lo muito raramente. Muito caro, Presidente!

Eu não tomo mais iogurte em casa, nem minha esposa. O litro que consigo comprar, semana sim, semana não, fica para as crianças.

Minha esposa adorava um chocolate. Não come mais.

E os guris ficam com o que consigo comprar. Adianto, Presidente, que faz três anos que o chocolate não é mais Nestlé, Garoto ou Lacta.

Compro uma barra, semana sim, semana não, da marca mais barata.

Comer fora? Consigo levar minha família ao McDonald's a cada seis meses. A cada dois meses, um Habib's. Duas esfihas p/ cada.

Sim! Precisamos economizar.

Ainda por cima, já faz quase cinco anos que mando 150,00 por mês para meus sogros.

Eles bem que precisariam de mais, mas não consigo aumentar essa quantia...

Tenho uma esposa que, graças a Deus, me compreende.

O chato, Presidente, é que tem coisas que não dá para fugir. Por exemplo: eu tenho que economizar para dar a minha filha, no Natal, a boneca que não pude dar em seu aniversário.

Aniversário que, diga-se de passagem, foi na lanchonete, com mais duas amiguinhas... e não numa casinha de festa, como ela queria, com todas as amiguinhas da sala...

O chato, Presidente, é que AMO meu Brasil e meu Exército...

Agora pergunto a V.EXA: é justo isso, Presidente?...

Por que outras carreiras do Executivo são tão bem pagas??...

Servidores protestam em frente ao Palácio do Planalto enquanto presidente se preparava para ir a Londres.....Governo prevê reajuste 'mais amplo' para os militares




Servidores do Executivo terão reajuste salarial linear

Para os militares, o reajuste deve ser mais amplo, porque já há uma percepção no governo de que é a carreira mais defasada salarialmente.

Dilma teve reuniões com ministros que enfrentam greves de categorias especializadas



BRASÍLIA - Nesta terça-feira, antes de embarcar para Londres, a presidente teve reuniões com ministros que enfrentam greves de categorias especializadas, como Anvisa, Receita Federal e Polícia Federal. O Planejamento avalia quanto cresceram os rendimentos de cada categoria desde 2003 para definir os índices de reajuste e focar a reposição nos servidores menos favorecidos no período.

Considerando que o aumento linear para as carreiras básicas do Executivo em 2013 seria a reposição da inflação de 2012, ou um pouco mais, esse impacto seria de R$ 7,5 bilhões a R$ 8 bilhões sobre a folha de pagamento do governo deste ano, que é R$ 152,5 bilhões. Isso sem contar os reajustes diferenciados. Muito distante, portanto, do impacto projetado pelo Planejamento caso o governo atendesse todas as reivindicações dos servidores em greve: R$ 92 bilhões.

Para os militares, o reajuste deve ser mais amplo, porque já há uma percepção no governo de que é a carreira mais defasada salarialmente. Dados do Ministério do Planejamento indicam que a despesa média da União com os militares da ativa aumentou bem menos do que com os civis ativos: cresceu 123% entre 2003 e 2012 para os civis e 78% para os militares, contra uma inflação de 52,7% no período.

Além disso, as tensões na caserna, que se acirraram com a criação da Comissão da Verdade, precipitaram a decisão do governo. Foi bem recebida pela presidente Dilma a atuação dos oficiais, que refrearam o movimento rebelde da reserva quando a comissão foi instalada. Nesta terça-feira, Dilma teve nova reunião com o ministro da Defesa, Celso Amorim, e com os chefes das Forças Armadas.

Para outras categorias, o Planalto insiste no conceito da meritocracia. Uma fonte do governo resume a determinação da presidente:

— Quem tem patente, título e “paper” vai ganhar mais. É uma questão de princípios.

O Globo/montedo.com

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Governo federal sugere trégua de 15 dias a servidores em greve...PARA NÓS NADA!!!!

Brasília - O governo sugeriu nesta terça-feira (24) aos servidores públicos federais uma trégua de 15 dias na paralisação da categoria para apresentação de uma proposta que garante o pagamento dos 12 dias de ponto cortados em junho. A sugestão foi apresentada pelo secretário-geral da Presidência da República, ministro Gilberto Carvalho, a representantes dos servidores.

“A proposta é muito clara: primeiro que a gente faça uma trégua de 15 dias para o governo poder devolver o salário que foi confiscado dos contracheques. Segundo: neste período de 15 dias, o governo apresentará uma proposta às nossas reivindicações. Não falou se é de 1 centavo, ou se é de R$ 1 milhão”, resumiu o secretário-geral do Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Distrito Federal (Sindisep-DF), Othon Pereira, após deixar a reunião com Carvalho.

De acordo com a Secretaria-Geral, a trégua não é uma proposta formal do governo, apenas uma sugestão do ministro aos trabalhadores até que o governo apresente uma resposta às reivindicações, e seria uma forma de evitar perdas salariais com o corte do ponto.

Segundo Pereira, a trégua é, “a princípio, “inaceitável”, mas será levada aos trabalhadores para avaliação. A próxima rodada de discussões deverá ser em uma reunião, ainda nesta semana, entre os comandos de greve e o secretário de Relações de Trabalho no Serviço Público, Sérgio Mendonça, do Ministério do Planejamento, responsável pela negociação entre governo e servidores em greve.

“A princípio, acho difícil essa proposta face ao exíguo tempo que se tem para fechar o Orçamento, no dia 31 de agosto. Se dermos uma trégua agora de 15 dias, qual vai ser o tempo que teremos para analisar e enfrentar uma nova greve, se a proposta do governo daqui a 15 dias for ruim?”, questionou.

Além do prazo curto para retomar a negociação, Pereira também disse que não há garantias de que a proposta a ser apresentada seja razoável. “O governo não garante qual seria o reajuste nem para quem, exatamente. Neste período haveria uma proposta de reajuste do governo para 2013, mas sem se comprometer com nenhum parâmetro, nenhum índice, nenhum valor”, avaliou.

Representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), da Confederação dos Trabalhadores no Serviço PúblicoFfederal (Condsef), da Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social (Fenasps) também participaram da reunião, definida por Pereira, como “tensa”.

Em todo o país, cerca de 350 mil servidores federais aderiram à paralisação, segundo o Sindisep.

Fonte: Agência Brasil





Governo federal oferece reajustes entre 25% e 40% a professores universitários

Aumento pequeno......


Brasília – O governo federal cedeu e ofereceu nova proposta de reestruturação de carreira às entidades sindicais dos professores dos institutos e universidades federais. Depois de mais uma rodada de negociação, para colocar fim à greve que já dura 69 dias, foram oferecidos reajustes que variam entre 25% e 40% para todos os docentes. Além disso, a data para entrada em vigor do aumento foi antecipada.

Na oferta da semana passada, o aumento variava entre 12% e 45%, já somados os 4% aprovados em maio, pela Medida Provisória 568, que teve efeito retroativo a março. A proposta não agradou os representantes da categoria, que alegaram que o governo não contemplou a reestruturação da carreira para todos os níveis de docentes.

A nova proposta do governo foi aumentada em 7,7%. Com isso, a reestruturação de carreira, apresentada na terça-feira (24) aos professores universitários, terá impacto de R$ 4,2 bilhões no Orçamento Federal. O montante é R$ 300 milhões a mais que a oferta anterior, de R$ 3,9 bilhões. Os aumentos, que serão escalonados durante os próximos três anos, começam a vigorar a partir de março de 2013. Na proposta anterior, feita no último dia 13, o aumento iria vigorar a partir de julho do próximo ano.

Para o secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento, Sérgio Mendonça, a contraproposta mostra o recuo do governo em prol do fim da paralisação e descarta novo aumento. “Em uma negociação sempre tem margem, mas o governo já fez movimento de avanço ouvindo críticas e necessidades. Estamos convictos que essa é proposta para fazer acordo”, assegurou.

O secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, Marco Antônio de Oliveira, dá a entender que essa é a proposta final e que o governo chegou ao “limite” tanto em “critérios de ascensão quanto em valores”. “Nós já adaptamos a proposta, fizemos uma série de alterações. No caso de valores, chegamos ao limite. Temos que pensar na situação que o país está vivendo de incertezas, que decorre do cenário de crise internacional”, disse.

Fonte: Agência Brasil

Comento:

 Mas, bem merecido. Num país como o nosso onde um funcionário com o ensino fundamental ganha mais de R$ 24.000,00 mil reais como ocorre no Poder Legislativo e Judiciário que é uma vergonha essa politicagem suja e políticos corruptos.

E NOS MILITARES DAS FORÇAS ARMADAS......NADA!!!!!

quarta-feira, 18 de julho de 2012

PT paga a fatura Maluf.


PT paga a fatura Maluf.






O apoio do PP à candidatura de Fernando Haddad (PT) à Prefeitura de São Paulo coincidiu com uma disparada na destinação de verbas federais para obras e projetos apadrinhados por parlamentares do partido. Em um quadro atípico, o PP do ex-prefeito Paulo Maluf foi, desde o dia 1º de junho, o segundo partido mais beneficiado pelo governo no atendimento das emendas parlamentares, mostra levantamento da Folha. As emendas são o mecanismo pelo qual os congressistas inserem obras e projetos no Orçamento.





O mês de junho marcou a reta final da definição das alianças para as eleições municipais de outubro.Quinta maior bancada no Congresso, o PP ficou à frente do PT e só atrás do PMDB -donos das maiores bancadas no Congresso. A eleição de Haddad em São Paulo é vista como principal objetivo eleitoral do PT, maior partido de sustentação do governo federal. Polêmica, a aliança com Maluf garantiu ao petista, neófito em eleições e em desvantagem nas pesquisas de intenção de voto, equilíbrio em relação a seu principal adversário, José Serra (PSDB), no tempo da propaganda de rádio e TV.





A partir de 14 de junho, data em que Paulo Maluf passou a considerar publicamente a possibilidade de apoiar Haddad em vez de Serra, a liberação de emendas para o PP quintuplicou. Até aquela data, a liberação acumulada desde janeiro era de R$ 7,2 milhões. De um mês para cá, foram mais R$ 36,6 milhões para emendas do partido. O levantamento foi feito com base nas 20 ações de governo que mais concentram emendas. Um dos principais aliados de Maluf em São Paulo, o deputado federal José Olímpio foi o segundo mais beneficiado entre os pepistas, obtendo R$ 4,2 milhões para ações apoiadas por ele. Outro parlamentar do PP paulista beneficiado foi Beto Mansur, ex-prefeito de Santos e que tem Maluf como seu padrinho dentro do partido.


A aliança do PT com o PP em São Paulo foi celebrada na casa de Maluf no dia 18 de junho, com a presença de Haddad e do ex-presidente Lula, que posaram para fotos. Na ocasião, o governo entregou um posto-chave do Ministério das Cidades a um afilhado do ex-prefeito. O ritmo de liberações de emendas indica também que, além do salto nas verbas para o PP, a ex-prefeita e hoje senadora Marta Suplicy (PT) foi a terceira mais agraciada entre 174 parlamentares que foram contemplados no período, com R$ 5,6 milhões. Marta, que pretendia ser a candidata petista em São Paulo, tem resistido a entrar na campanha de Haddad.(Folha de São Paulo)


 
http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/4335

Vencimentos dos Militares - Porque Estamos Assim








Dia desses conversei com o Mike, um inglês boa praça casado com uma brasileira, dono de uma lan house perto da minha casa. A conversa descambou para política, pobreza e corrupção no Brasil. No meio do papo, o Mike externando a verve da lógica saxônica soltou a seguinte pergunta: o Brasil tem muitos pobres, mas alguém perguntou o motivo da pobreza? Espantosa e simples indagação. Concluímos que a pobreza é prima da ignorância, filha da corrupção, neta da omissão, irmã do populismo e bastarda da ausência de oportunidades. Saí de lá com esse pensamento. Diante dos atuais, e porque não dizer históricos problemas salariais dos militares brasileiros, cabe também a lógica pergunta do Mike: porque as Forças Armadas ganham mal ?

As explicações são várias: estrutura verticalizada da autoridade, com as decisões centradas no que manda mais, ou seja o Comandante. Quem manda é o Comandante. Por isso, quem está logo abaixo quer o cargo dele. É a fila que anda sem marolas, e assim vai até a base. Daí o círculo vicioso dos emarolados que não querem se queimar ou se indispor, de olho numa merreca a mais como insinuou o Lula. Militares são “migalheiros”, o Lula acertou.

"O que é mais feio: esposa batendo

panela ou a penúria com disciplina?"

Outra explicação, consequência da primeira, é a acomodação com a miséria. Estamos precariamente aparelhados e equipados, nos acostumamos a cumprir a missão constitucional dessa forma, aliás muito bem. Nossos hotéis de trânsito são ruins, habitamos moradias acanhadas porque incorporamos esse modo acochambrado de viver, afinal somos militares e militar não pode ter conforto. Daí nos contentarmos com migalhas salariais, como disse o Lula. Sempre foi assim. É o conformismo da merreca, pior do que não vir nada...., já dizia o meu avô.

Uma terceira explicação é a conveniência da disciplina. A disciplina é usada para justificar a mudez conveniente. Não podemos dizer isso ou tomar tal atitude porque somos disciplinados, o regulamento não permite, temos de acreditar nos chefes, não posso manifestar porque o estatuto assim o exige, então só resta mandar a mulher protestar batendo panela, isso é ridículo. Alguém já viu mulher de juiz, político, diplomata, auditor da receita ou procurador batendo panela no meio da rua?

Marola quando justa não faz mal a ninguém, pelo contrário, alerta sobre um estado de coisas. O que é mais feio: esposa batendo panela ou a penúria com disciplina? As carreiras citadas acima são carreiras de estado, mas os militares pagam mais pelas mazelas do estado.

Uma quarta e última explicação é a mania de se desvalorizar. Militar não se dá valor. Os cursos são difíceis, as exigências profissionais são absurdas, mas o militar despreza esse fato. Quando faz um curso, tira do contracheque a habilitação anterior. Não incorpora gratificações, não ganha hora extra e está disponível ao empregador em regime integral, sem receber por isso, ao contrário, os chefes antigos até aquiesceram quando a MP 2215 subtraiu injustamente a gratificação por tempo de serviço e o posto acima na reserva, só que quem negociou e assinou embaixo não perdeu nada. A culpa não é do Chefe “A” ou do Comandante “B”. A culpa é do patriotismo errante, da postura filha do carreirismo, irmã da autoflagelação merrequeira , neta do comodismo da marola, prima do complexo de inferioridade e bastarda da conveniência verticalizada.

Um dos sinais da desagregação de uma nação é quando as Forças Armadas dão sinais de fragilidade.

Na queda do Império Romano foi assim. Mas isso eu não falei pro Mike.

*Coronel na reserva do Exército
Haroldo Amorim*
Alerta Total/montedo.com

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Revisao_nos_Soldos_das_Forcas_Armadas

Prezado amigo



Solicito a possibilidade de DIVULGAR COM MAIS FREQUENCIA em seu Blog a seguinte Petição em favor da Família Militar.


http://www.avaaz.org/po/petition/Revisao_nos_Soldos_das_Forcas_Armadas/?ccWihdb



A Família Militar é grata pelo apoio que o seu Blog já tem dado a referida Petição.





Tal solicitação se dá pelo fato de esgotar no início de agosto/2012, o prazo para entrega da referida Petição. Só causará impacto se tiver um número significativo de assinaturas. Por isso, contamos com o apoio do seu Blog.

JUNTOS SOMOS FORTES!

Grato pela atenção!

Gilberto


http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/4335

Meus amigos e amigas...... Assim mesmo não comperam com os abaixo assinados e Petições!!!




http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/4335

http://www.avaaz.org/po/petition/Revisao_nos_Soldos_das_Forcas_Armadas/?ccWihdb






PEDIDO DE INFORMAÇÃO AO MINISTÉRIO DA DEFESA ATRAVÉS DO SERVIÇO DE INFORMAÇÕES AO CIDADÃO DO MINISTÉRIO DA DEFESA - SIC.




Prezado(a) Senhor(a),




Seu pedido de acesso à informação foi analisado e teve resposta na data de 05/07/2012, cujo teor segue transcrito abaixo.



Dados do pedido

Protocolo: 60502.000553/2012-85

Solicitante: CARLOS ROBERTO ROMAOWSKI

Prazo de Atendimento: 23/07/2012 23:59:59

Tipo de resposta: Correspondência eletrônica (e-mail)

Descrição da solicitação: Boa Tarde! Com amparo na Lei nº 12,527 de 18 de novembro de 2011 - Lei de Acesso àInformação, solicito-vos informar através de cópias documental do estudo que este ministério encaminhou ao Ministério do Planejamento referente ao pagamento da diferença dos 28,86. Pagamento esse determinado pelo Supremo Tribunal Federal e a provável data do aumento para os Militares das Forças Armadas que segundo a Constituição Federal deve ser anual e estamos sem reposição salarial deste 2008. Espero receber uma resposta digna deste Ministério. Atenciosamente, Carlos Roberto Romanowski

Resposta


O Serviço de Informações ao Cidadão do Ministério da Defesa agradece o envio de sua solicitação e informa que a devida resposta encontra-se em anexo. Atenciosamente

Anexo: pedimos que verifique os arquivos anexados a esta mensagem.

Importante: no caso de indeferimento de acesso a informação, poderá ser interposto recurso através do sistema no prazo de 10 (dez) dias, conforme disposto no parágrafo único do art. 15 da Lei nº 12.527/2011.

Visite o sítio para obter maiores informações.

Agradecemos o contato!


ANEXO ABAIXO:

NUP: 60502.000553/2012-85







O Serviço de Informações ao Cidadão do Ministério da Defesa agradece o envio de seu pedido e informa que o Ministério da Defesa (MD), juntamente com os Comandos Militares, realizaram estudos para conceder ao militares federais a Diferença da vantagem de 28,86%.


Após decisão de uma turma do STF e da recomendação da Advocacia –Geral da União (GU), com a emissão de duas Súmulas, de que os militares faziam realmente jus a esse direito, foi decidida a elaboração de medida administrativa para essa concessão.


Assim, foi elaborada a Exposição de Motivos Interministerial (EMI) 00279/MD/MP/AGU, de 04 de setembro de 2009, e Projeto de Lei, estendendo aos militares das Forças Armadas a diferença correspondente à vantagem de 28,86%.


Os documentos foram encaminhados para a AGU e para o MP. A AGU, após análise e manifestação, assinou a EMI. O MP recebeu o Projeto, por meio eletrônico, através do SIDOF, em 08 de setembro de 2009, encontrando-se atualmente na Secretaria de Relações de Trabalho no Serviço Público – SRT/MP.


Por solicitação da Secretaria citada, este Ministério remeteu ofício com a atualização dos valores informados anteriormente e a metodologia de cálculo, visando o prosseguimento do processo.


Em consequência, ainda não há decisão sobre como o pagamento será realizado e a data de início.


Em referência ao reajuste, informo que o Ministério da Defesa realiza, permanentemente, em conjunto com as Forças Armadas estudos sobre a remuneração dos militares inclusive o seu reajuste.


Assim, desde 2010, ano em que foi concedida a última parcela do reajuste iniciado em 2008, vêm sendo realizados estudos e contatos no corrente ano com o Ministério do Planejamento, visando à melhoria da remuneração que caracterize a valorização da carreira do militar federal.


A implementação de novos valores de soldo dos militares dependerá de análise do governo federal de acordo com a conjuntura econômico-financeira do país.


Portanto, não existe, no momento, decisão sobre percentual de reajuste, data de seu início ou se o mesmo será parcelado, em consequência, o estudo ainda é um documento interno que frequentemente sofre alterações e, por isso, não se pode fornecer uma cópia do documento.


Atenciosamente,


Ministério da Defesa


Serviço de Informações ao Cidadão - SIC


Fone: 55 61 3312.8597 FAX 55 61 3312.8528


E-mail: sic@defesa.gov.br


www.defesa.gov.br


Os nossos comandantes têm essas informações. Pergunto por que não repassam a TROPA?



ESTÃO QUEREMDO QUE ALGUÉM TOME UMA ATITUDE TRASTICA E ELES FICAM NUMA BOA COMO SEMPRE?


Se alguém souber responder ou quiser uma cópia da resposta mande pedido para o e-mail carlosrromanowski@hotmail.com


segunda-feira, 2 de julho de 2012

Nós outra Vez.....Aumento salarial nada

Rio e mais quatro estados pediram presença do Exército nas eleições



RIO - O presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ), desembargador Luiz Zveiter, pediu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a presença do Exército durante a campanha. O tribunal, no entanto, ainda não respondeu se o pedido foi aceito. O desembargador disse também que no dia das eleições haverá zonas de exclusão em áreas consideradas críticas, como as dominadas por traficantes e milicianos. Entre esses pontos, que terão a presença de homens do Exército e policiais, está a área do Comperj (Itaboraí), Campos e Rio das Ostras, lugares com histórico de problemas nas eleições.



Veja também

Campanha política é permitida a partir do dia 6 de julho

No RJ, máquina pública busca votos antes do período eleitoral

Jorge Roberto encerra ciclo político em Niterói

Marcio Lacerda anuncia novo vice na campanha de reeleição em BH

Confira mais notícias sobre as Eleições 2012

O desembargador acompanhou a visita da presidente do TSE, ministra Cármen Lúcia, com 256 juízes e 249 chefes de cartório eleitorais na manhã desta segunda-feira no Tribunal de Justiça do Rio. Segundo a ministra, as eleições para prefeito e vereadores devem movimentar cerca de 350 mil em todo o Brasil.



- É uma eleição trabalhosa e apaixonada - disse.



Durante o discurso, ela pediu ao juízes que trabalhem com o rigor da lei. A presidente do TSE informou que cinco estados solicitaram ao tribunal a presença do Exército em seus municípios, mas não informou quais, além do Rio, enviaram a solicitação. Os casos estão sendo estudados separadamente pelo órgão.



- É uma eleição mais acalorada. O eleitor se envolve mais - afirmou Cármen Lúcia. - Queremos garantir a população uma eleição democrática, livre e com responsabilidade.



Ainda de acordo com Zveiter, o uso do celular será proibido durante a votação nas eleições municipais deste ano, a exemplo do que ocorreu em eleições anteriores. De acordo com ele, o eleitor que descumprir a lei, poderá ser preso. A medida é para evitar que grupos de milicianos e traficantes façam com que eleitores fotografem seus votos.



TRE-RJ recebeu 1.380 denúncias em 45 dias



O TRE-RJ montou o disque-denúncia eleitoral há 45 dias e, até o último domingo, o serviço havia recebido 1.380 denúncias de todas as partes do estado, sendo que 40% delas eram relativas a placas irregulares, faixas e adesivos. Em seguida, estão as denúncias sobre o funcionamento de centros sociais, principalmente em São Gonçalo e Duque de Caxias.



No primeiro mês do serviço, em maio, foram cinco denúncias contra centros sociais. No segundo mês, elas saltaram para 40. O partido com maior número de denúncias foi o PT, com 60, seguido pelo PMDB (58) e PDT (50). Na capital, 25% das denúncias são sobre irregularidades na área da Zona Oeste.

O Globo

Paiol do Exército é furtado em Pirassununga-SP

O paiol onde são guardadas as munições do Exército, no quartel do 13º Regimento de Cavalaria Mecanizada, em Pirassununga (SP), foi arrombado na madrugada de domingo. Mais de 3 mil cartuchos de fuzis calibres 7.62 e 9mm, munição pesada como cartuchos .50 e 90mm (para blindados) e granadas de boca desapareceram. A cidade está tomada por policiais e soldados, numa megaoperação para tentar localizar as munições. Além dos homens do Exército e da Polícia Militar (PM), ajudam nas buscas policiais civis, guardas municipais e policiais rodoviários. O helicóptero Águia da PM também realizou sobrevoos para auxiliar na operação.

O arrombamento teria ocorrido às 4 horas da madrugada, mas o fato foi comunicado à Polícia Civil em um boletim de ocorrência às 22h45 de domingo. Todos os militares que estavam de serviço no quartel estão sendo ouvidos e três soldados e um cabo ficaram retidos no quartel. Apesar de o registro do BO, as investigações e buscas serão conduzidas pelo próprio Exército com apoio da PM. O quartel do Exército teria sido invadido por um alambrado que foi cortado na divisa com o bairro Vila São Pedro. Os assaltantes arrombaram dois cadeados para entrar no paiol. Os militares que faziam guarda naquele momento declaram ter visto duas pessoas correndo do local.

No paiol, foram abandonados um alicate, um pé de cabra, uma marreta de madeira, uma lima de aço, uma câmara de ar de bicicleta, um cobertor, uma bolsa de lona e um celular, além de duas caixas de madeira com capacidade para armazenar 250 munições. Ao todo foram furtados 2.350 cartuchos de fuzil calibre 7.62, 840 cartuchos de 9mm e 20 cartuchos de borracha de calibre 12. Munição pesada também foi subtraída: 36 cartuchos de calibre .50, duas cápsulas de calibre 90mm (munição de blindado, que só pode ser usada por tanques) e 12 granadas de boca.

O comando militar não confirmou o número de munições que desapareceu. Em duas notas emitidas no domingo, o Exército informou apenas que a contagem do material que foi furtado está sendo contabilizado em inquérito militar aberto para apurar o caso e que os soldados que faziam a guarda do local estão sendo ouvidos.

As buscas pela munição na cidade começaram domingo e continuaram durante esta segunda-feira. Todas os acessos de Pirassununga e bairros mais violentos foram ocupados por soldados do Exército e policiais. Uma operação pente fino foi feita nesta segunda-feira dentro da área do quartel para saber se o material que desapareceu do paiol não foi escondido no próprio local.

Comento:

Mais umas quantidades destas dariam para começar uma revolução

Qual o custo desta brincadeira ao povo brasileiro que padece nos corretores dos hospitais públicos

Nunes: 'Agenda secreta não afeta a


autoridade da Comissão da Verdade'



SEN. ALOYSIO NUNES O senador Aloysio Nunes (SP) afirmou nesta segunda-feira (2) à Coluna que a decisão da Comissão da Verdade de trabalhar com uma agenda secreta é uma questão de método, que “não afeta a autoridade da Comissão”. “O fato é que os resultados serão públicos. A lei permite que seja sigiloso. É um método de investigação”, explicou. Nunes disse que não conversou com os membros da comissão após a cerimônia de instalação, mas garantiu: as famílias das vítimas da Ditadura Militar saberão o que foi dito e ouvido na Comissão da Verdade. “A lei prevê uma sistemática de troca de informações”, afirmou. Para ele, as críticas de que a comissão só ouviu depoimentos frustrantes até agora eram esperadas. “É um trabalho de garimpagem difícil e as acusações fazem parte da natureza e das circunstâncias do trabalho. Tem de garimpar, não é na primeira tentativa que a comissão vai achar ouro”, disse. O senador Aloysio Nunes foi relator, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), do projeto de lei do Executivo que criou a Comissão da Verdade. O objetivo é investigar graves violações de direitos humanos ocorridas no período de 1946 a 1988.

Reposição Salarial

E agora Presidenta?



A máquina pública federal está parando por falta de manutenção em seus salários.

A greve geral já bate às portas palacianas, isso tudo num ano eleitoral, o que pode resultar no fracasso dos candidatos do PT e afins.

Com uma política assistencial eleitoreira que busca a perpetuação no poder, o Governo encontra-se num beco quase sem saída.

A intransigência e a arrogância presidencial está chegando ao ápice, pois não aceita conversa sobre o assunto.

O achatamento salarial imposto nos últimos anos a "algumas" categorias de funcionários públicos federais, chegou ao limite; a Presidenta manda recado pelas suas "capacitadas ministras" que não há diálogo sobre reposição salarial, em vista da crise econômica mundial; o que vai de encontro ao posicionamento oficial de que a crise não afetaria o país, somente preocuparia.

O estranho a se considerar é que para um governo que "doa" valores milionários desmedidamente, incluindo a outros países, esse discurso de não ter de onde tirar não encontra fundamento. A arrecadação fiscal é a prova.

Nos últimos tempos as Forças Armadas são chamadas para conter brechas abertas, só que agora vai faltar militar, pois eles não podem substituir:

1º) os Professores Federais;

2º) os Auditores Fiscais da Receita Federal;

3º) os Agentes da Polícia Federal;

4º) o Departamento Nacional de Produção Mineral;

5º) A Agência de Aviação Civil;

6º) A Agência de Vigilância Sanitária;

7º) Agência de Energia Elétrica;
8º) e outras tantas, num total de 22 categorias de servidores federais...


Assim, ao votar, pense muito bem em quem!

domingo, 1 de julho de 2012

Revisão nos Soldos das Forças Armadas



Esta esperando o que????
 
 

Como são corajosos para TIRAR.......Mas falar de aumento salarial???? tática da Avestruz ou dos três macacos

DATA: 19/09/11 HORA: 10:42:30 USUARIO: BRITO


PAGINA: 1

MENSAGEM: 2011/1307390 DA EMISSORA 160505 DEPARTAMENTO-GERAL DO PESSOAL-GESTOR

EM 19/09/11 AS 09:44: POR ALEXANDRE ALVES GHERARDI

ASSUNTO: BLOQUEIO DE CÓDIGO DE BENEFICIÁRIO INDIRETO DO FUSEX-URGENTÍSSIMO

DO SUBDIRETOR DE APOIO À SAÚDE

AO SR CMT/DIR/CH DE OM (TODAS AS OP/OPIP)

1. INFORMO QUE, DEVIDO À NECESSIDADE DE MAIOR CONTROLE DE RECADASTRAMENTO

DE BENEFICIÁRIO INDIRETO POR DETERMINAÇÃO DO DIRETOR DE SAÚ-

DE, O PROCESSO DE REINCLUSÃO, APÓS O CUMPRIMENTO DOS ART. 18 E 21 DAS

IR 30-39, DEVERÁ SER REMETIDO À SUBDIRETORIA DE APOIO À SAÚDE PARA ANÁLISE

E PROVIDÊNCIAS.

2. EM CONSEQUÊNCIA, OS CÓDIGOS DE BENEFICIÁRIOS CORRESPONDENTES SERÃO

BLOQUEADOS PARA OPERAÇÃO DE "INCLUSÃO", VIA BID ON-LINE, PARA AS

UNIDADES DE VINCULAÇÃO DO BENEFICIÁRIO TITULAR,FICANDO A RESPONSABILIDADE

SOMENTE POR PARTE DESTA SUBDIRETORIA, CASO DEFERIDO PELO DIRETOR

DE SAÚDE.

3. DO EXPOSTO,SOLICITO A VEXA/VSA VERIFICAR A POSSIBILIDADE DE MANDAR

O SETOR RESPONSÁVEL DESSA OM SEGUIR AS SEGUINTES ORIENTAÇÕES:

-REMETER TODO O PROCESSO DE RECADASTRAMENTO DE BENEFICIÁRIOS INDIRETOS

A ESTA SUBDIRETORIA (INCISO XVII DO ART 68 DAS IR 30-39);

-SOMENTE SERÁ PERMITIDA À UV A OPERAÇÃO DE "EXCLUSÃO" DE BENEFICIÁRIO

INDIRETO, A FIM DE CUMPRIR O ART.24 DAS IR 30-39;E

-OS BENEFICIÁRIOS TITULARES DEVERÃO SER ORIENTADOS QUANTO ÀS CONDIÇÕES

DE DEPENDÊNCIA DOS BENEFICIÁRIOS INDIRETOS E DOS DOCUMENTOS COMPROBATÓRIOS,

PREVISTOS NA LEGISLAÇÃO VIGENTE À ÉPOCA EM QUE FORAM INCLUÍDAS

NO FUSEX (ART. 16 E 72 DAS IR 30-39).

4. INFORMO, AINDA, QUE ESTA SUBDIRETORIA ESTÁ REVISANDO A LEGISLAÇÃO

VIGENTE PARA AS DEVIDAS ALTERAÇÕES, SOLICITANDO, ENQUANTO ISSO, O

MAIOR CONTROLE POSSÍVEL POR PARTE DAS UV.

GEN BDA JOSÉ CAIXETA RIBEIRO
SUBDIRETOR DE APOIO À SAÚDE


Falta coragem ou está tudo bem????

http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/4335
 
Tentei criar um debate no Portal do Senado sobre a MP 2215/2001. Eles não aceitaram. Qual o Motivo????



Respostas abaixo................Até no Senado temos discriminação.

Portal e-Cidadania do Senado Federal: Proposta enviada com sucesso


1 destinatáriosCC: destinatáriosVocê MaisCCO: destinatáriosVocê

Ocultar detalhes DE:ecidadania@senado.gov.br PARA:CARLOS                Mensagem sinalizada Terça-feira, 26 de Junho de 2012 0:29

Prezado(a) CARLOS ,



Você enviou uma proposta de realização de uma audiência pública nas comissões parlamentares por meio do Portal e-Cidadania do Senado Federal. A partir desse momento a proposta será avaliada de acordo com a sua adequação ao Termo de Uso do portal.



Em breve, você receberá uma resposta sobre o próximo encaminhamento.



O Senado Federal agradece a sua participação.





--------------------------------------------------------------------------------



Esta é uma mensagem automática enviada pelo Portal e-Cidadania do Senado Federal. Por favor, não responda esse e-mail. Se você quiser entrar em contato com o portal e-Cidadania clique no link a seguir: https://www12.senado.gov.br/ecidadania


Portal e-Cidadania do Senado Federal: Proposta enviada com sucesso


1 destinatáriosCC: destinatáriosVocê MaisCCO: destinatáriosVocê

Ocultar detalhes DE:ecidadania@senado.gov.br PARA:CARLOS         Mensagem sinalizada Segunda-feira, 25 de Junho de 2012 21:19

Prezado(a) CARLOS  ,



Você enviou uma proposta de realização de uma audiência pública nas comissões parlamentares por meio do Portal e-Cidadania do Senado Federal. A partir desse momento a proposta será avaliada de acordo com a sua adequação ao Termo de Uso do portal.



Em breve, você receberá uma resposta sobre o próximo encaminhamento.



O Senado Federal agradece a sua participação.





--------------------------------------------------------------------------------



Esta é uma mensagem automática enviada pelo Portal e-Cidadania do Senado Federal. Por favor, não responda esse e-mail. Se você quiser entrar em contato com o portal e-Cidadania clique no link a seguir: https://www12.senado.gov.br/ecidadania



Portal e-Cidadania do Senado Federal: Proposta enviada com incorreção


1 destinatáriosCC: destinatáriosVocê MaisCCO: destinatáriosVocê

Ocultar detalhes DE:ecidadania@senado.gov.br PARA:CARLOS     Mensagem sinalizada Quinta-feira, 21 de Junho de 2012 9:16

Prezado(a) CARLOS  ,



Você enviou uma proposta de realização de uma audiência pública nas comissões parlamentares por meio do Portal e-Cidadania do Senado Federal. Infelizmente não foi possível dar prosseguimento a sua contribuição pois ela se encontrava em uma das seguintes situações:

1 – Os campos de identificação do formulário não estavam preenchidos corretamente;

2 – O texto da proposta não estava em conformidade com as definições do Termo de Uso do Portal e-Cidadania. Termo de Uso do Portal e-Cidadania



Caso deseje, você pode enviar novamente sua contribuição:

https://www12.senado.gov.br/ecidadania)





--------------------------------------------------------------------------------



Esta é uma mensagem automática enviada pelo Portal e-Cidadania do Senado Federal. Por favor, não responda esse e-mail. Se você quiser entrar em contato com o portal e-Cidadania clique no link a seguir: https://www12.senado.gov.br/ecidadania



Entrei em contato com o Senador Paulo Pain. A resposta abaixo que ele recebeu:


Senhor Carlos,








A Senhora Elga do Alô Senado, nos deu a seguinte informação:










"as mensagens enviadas pelo cidadão dizem respeito ao aumento para militares, que já é objeto de outra iniciativa que já foi cadastrada e encaminhada à Comissão.


Em casos como este, somos orientados a arquivar a sugestão.






Como o banco de dados fica armazenado no Prodasen, farei solicitação para que tenhamos o arquivo das mensagens aqui no Alô Senado para que possamos gerir casos como esse com mais facilidade.






O Presidente da Comissão agora é que deverá agendar a audiência páublica para discutir o assunto.


Com as cordias saudações do Senador,






Luciana Vieira


Gabinete do Senador Paulo Paim-PT/RS




Este Senador valeu o voto da minha Família.

EU APOIO


Roberto Victor Discotecário


http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/4335

Reajuste salarial é tema secundário para os generais de pijama



Repasse para militares não resolve 'mal-estar' com governo

Além da renovação do equipamento, militares da ativa e da reserva querem também um reajuste salarial.


A liberação de R$ 1,5 bilhão para a compra de armas para as Forças Armadas ajudará a economia país em meio à crise mundial, mas não deve acabar com o mal-estar causado no meio militar pelas indicações dos membros da Comissão da Verdade.

O repasse da verba, anunciado na última quarta-feira, será feito ao Ministério da Defesa por meio do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Equipamentos. Apenas produtos fabricados pela indústria brasileira serão adquiridos.

O efeito principal da medida deve ser o anunciado pelo governo: o estímulo da economia nacional em meio à crise econômica mundial, segundo Hector Saint-Pierre, professor do pós-graduação em Relações Internacionais San Tiago Dantas (das universidades Unesp, Unicamp e PUC). Contudo, segundo ele, também é possível analisar o repasse como uma tentativa do governo de melhorar sua relação com os militares.

Em maio, a indicação pelo governo Dilma Rousseff de membros da Comissão da Verdade - criada para investigar abusos de direitos humanos durante o regime militar - criou um mal-estar com os militares, que interpretaram a ação como revanchismo, apesar de a comissão não ter poder punitivo.

"(A compra de equipamentos) pode melhorar o relacionamento até certo ponto. Mas isso (a sensação de revanchismo) acho difícil de reverter", afirmou Saint-Pierre.





Reajuste salarial

"Discutimos o assunto entre os clubes militares e chegamos ao consenso de que aparentemente não há relação direta (do repasse de verbas) com a Comissão da Verdade", disse o o vice-almirante Ricardo Antônio da Veiga Cabral, presidente do Clube Naval do Rio de Janeiro.

Segundo ele, a aquisição de armamentos em um contexto de defasagem de equipamentos nas três forças é um "reflexo positivo". Mas, afirmou, além da renovação do equipamento, militares da ativa e da reserva querem também um reajuste salarial.

O Ministério da Defesa afirmou que estuda conceder um reajuste e que está em negociação com o Ministério do Planejamento. Cabral afirmou ainda que, mesmo assim, o "mal-estar" só deve ser resolvido quando o governo começar a "ouvir os dois lados", em referência a investigar também as ações praticadas por guerrilheiros de esquerda.

Descontentes com a composição da Comissão da Verdade, oficiais reformados do Clube Naval formaram uma "comissão paralela" para rebater eventuais acusações do grupo oficial.





Veículos e artilharia

O valor de R$ 1,5 bilhão destinado à compra de armas para os militares é parte de um montante de R$ 6,6 bilhões do orçamento que estavam contingenciados. Eles devem agora ser liberados por medida provisória. Na lista de compras adicionais entraram 19 blindados Guarani (que se somarão aos 21 que já haviam sido encomendados pelo Exército para 2012).

Fabricados pela Iveco, eles devem custar R$ 342 milhões e substituir os blindados de transporte de tropas Urutu, em serviço há mais de 30 anos. Tabém serão compradas 30 unidades do Astros, um veículo lançador de mísseis de saturação fabricado pela Avibrás que integrará a artilharia do Exército a um custo de R$ 246 milhões. Os outros R$ 939 milhões serão destinados à compra de 4.170 caminhões de diversos tipos.

De acordo com Cabral, o investimento em blindados Guarani para o Exército é tão importante quanto a compra de caças (ainda em negociação) para a Força Aérea e de submarinos para a Marinha. De acordo com dados do instituto Sipri, em 2011 o Brasil ficou em 10º no ranking de países que mais fizeram gastos militares. Segundo a entidade, o país empregou US$ 35 bilhões (R$ 70 bilhões) no setor.





Estratégia

O professor Saint-Pierre afirmou equipamentos como blindados e lançadores de foguetes são armas poderiam ser usadas em um cenário (hipotético) de guerra contra um país ou uma coalisão de nações da América Latina.

Contudo, considerando que a relação entre os países da região é de cooperação, não haveria sentido em comprar armas desse tipo para dissuadir agressões regionais. Segundo ele, o ideal é que as nações sul-americanas trabalhem em uma estratégia conjunta de defesa que cumpra o papel de dissuadir agressões de potências mundiais.

Atualmente, a estratégia de defesa brasileira contra agressões externas contempla dois cenários principais: o primeiro prevê uma luta de exércitos regulares contra uma potência regional. O segundo é a adoção da estratégia de guerra irregular (guerrilha) em caso de invasão de uma superpotência.

Terra/
Comento:

Perceberam que, na fala do almirante, o reajuste salarial aparece como um tema secundário?

Os objetos de preocupação - relevantes, é bom que se diga - dos altos coturnos de pijama são a Comissão da (in)Verdade e o reaparelhamento das Forças Armadas. O salário da tropa? Bom, esse não parece ser um tema que lhes tire o sono.

Leia também:

Manifesto à Nação: coordenação retira nome de praças da relação. Ou: os profissionais de segunda classe.

Relembrando, estes são os mesmos senhores que retiraram o nome das praças do Manifesto à Nação. Com tanto descaso implícito - ou nem tanto - aos militares do andar debaixo, fica difícil falar em revanchismo, não é mesmo, Excelências?

Falar a verdade incomoda!




Pensei que só as ariranhas estavam soltando as tamancas por causa das criticas que venho fazendo sobre a ‘comissão da calúnia’. Este foi só um pretexto.

‘- Já que vamos enquadrar o capitão, esta é a oportunidade!’ E montaram o circo.

Enviaram um ofício em que era convocado a me apresentar à Divisão Jurídica do Comando da 1.ª Região Militar ‘com a finalidade de cumprir diligências necessárias para apuração de fatos...’. Os ‘fatos’ eu tomaria conhecimento ao me apresentar perante a ‘autoridade competente para as apurações’. Interessante que oficiais generais na reserva e reforma fazem criticas, muitas com mais eloqüência e propriedade, por terem mais embasamento dos assuntos, e não são incomodados. Meu site funciona como uma resenha de notícias. Os fatos vão acontecendo, quando eu sinto algum interesse, neste momento escrevo um artigo e faço uma seleção dos textos que melhor abordam o tema. Não crio nada, apenas transcrevo fatos do conhecimento público. Minha verve, muitas vezes está muito aquém de textos, que às vezes deixo de transcrever, principalmente quando comprometem a honra das Forças Armadas. Criticar um chefe militar que falta com o zelo com a instituição militar, é bem diferente!

Adentrei exatamente às 10 hs no Palácio Duque de Caxias, centro, Rio de Janeiro. Alguns minutos mais e estava no 3.º andar, diante das autoridades competentes. No caso, o presidente do Inquérito Policial Militar, major Luiz Felipe de Oliveira Martins Pereira. Não gostei desse ‘Martins’. ‘Será que o homem tem parentesco com o Comandante do Exército, Enzo Martins Peri?’ Fiquei preocupado. Uma jovem milica, 3.ª sargento, escrivã, e duas testemunhas: um capitão e um major. O presidente do IPM foi direto ao assunto:

- Como o senhor quebrou o sigilo do inquérito, noticiando-o em seu site, irá depor, não mais como testemunha, e, sim, como indiciado.

‘- Putz grill!’, pensei comigo. Quis saber qual a diferença entre ser testemunha e ser indiciado. O major educadamente explicou que como ‘testemunha’ poderia falar só a verdade. Como indiciado, poderia ser menos verdadeiro.

Expliquei que ia falar a verdade e que não tinha nada a esconder, pois tudo que escrevia assinava em baixo, muitos textos com o ‘RG’, para não ficar dúvidas no ar.

Diante de um computador o presidente do inquérito foi lendo as questões e perguntando se admitia como sendo de minha autoria e se era o que pensava. Concordei plenamente.

Na minuta do documento que estava no computador, eu era tratado como oficial da reserva. Esclareci que estava na reforma. ‘Passei dos 70 anos!’

Ser velhinho tem-se prioridade nas filas dos bancos, e em assentos em coletivos, menos no trato com os agentes financeiros, principalmente o Banco do Brasil, que por determinação do Comando do Exército não faz e nem renova empréstimos consignados para maiores de 69 anos e 11 meses, salvo se os bancos assumirem o seguro bancário. E como as seguradoras não fazem seguros para os vovôs com essa idade, é morrer na porta dos bancos sem obter financiamento. A Marinha e a Força Aérea não criminalizam os velhinhos!

Descobri mais uma tramóia do governo quando fala em queda de juros bancários. Na quinta-feira, dia 28/06, indo à Agência Madureira-Centro do Banco do Brasil, o gerente explicou que não podia fazer uma redução dos juros no empréstimo consignado, muito menos no ‘CDC Salário’, e em adiantamentos de décimos terceiros salários. ‘Tudo é uma questão de troca’, explicou. ‘O governo diz que baixou os juros para incentivar o consumo! Sem novo empréstimo, não se tem juros mais baixos! E um novo empréstimo com juros mais baixos, que poderia liquidar os empréstimos anteriores, o Exército não facilita!’ Moral da história: Pertencer ao Exército comandado pelo atual comandante, general-de-exército Enzo Martins Peri, - um colaboracionista (entreguista, no linguajar popular), - é uma furada. Ele precisa ler um pouco de história. Todos os colaboradores, depois que os alemãs foram expulsos da França, foram caçados e fuzilados como traidores da pátria. A batata dele está assando! Vejam a maldade que o FUSEX (Fundo de Saúde do Exército) está fazendo com os dependentes dos militares. Exclui os pais como dependentes dos militares. Pessoas idosas, muitas com mais de setenta anos, por lhes serem negado atendimento médico-hospitalar, através de expedientes burocráticos, tem deixado os militares desesperados. Crueldade não existe maior!

No desenrolar das perguntas percebi que as questões que enfureceram uma periguete da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, era só o aperitivo do interrogatório. O presidente do inquérito tinha lido todos os meus textos que falam das autoridades militares, com poucos elogios, diga-se de passagem. Confirmei a autoria dos textos.

‘- Nada tinha a ocultar!’, frisei mais uma vez. E nem feria os postulados da lei ao criticar as autoridades, quer sejam militares ou civis. A Constituição Federal me faculta a livre manifestação do pensamento.

Observando a fisionomia dos presentes, notei que a escrivã estava mais alheia ao processo de inquisição, do que a vã sabedoria recomenda. ‘Não li os textos, e tenho raiva de quem leu!’, devia estar pensando. O major que testemunhava, pareceu-me sério demais. Não devia estar apreciando as minhas colocações. O capitão demonstrava solidariedade, com o olhar de aprovo. ‘Nada mal!’, comemorei. O presidente do inquérito pareceu-me ser um oficial sério. Só fiquei com pena dele, por perceber que passara noites em claro acessando o meu site. ‘Ser masoquista, assim, só no Japão!’, imaginei. Competência pura, porque desencavou textos que nem mais me lembrava de tê-los escrito.

Ficou clara a minha posição: Se o Ministério Público Militar aceitar a acusação, abrirá um processo contra mim. Neste caso terei de contratar um advogado.

- Negativo. Não preciso de advogado para defender o meu Exército. Eu mesmo o farei.

Assinamos as quatro folhas do inquérito e o trabalho foi dado por encerrado.

Rio de Janeiro, 29 de junho de 2012.

José Geraldo Pimentel


Cap Ref EB

http://www.jgpimentel.com.br/ --



REAJUSTE JÁ !