segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Renovação

Que este Natal e Ano Novo sejam mais do que confraternizações porque todos os momentos, em especial este novo ano, deverão ser iluminados, abençoados e que os 365 dias, sejam vividos na sua totalidade. Já que Natal significa: NASCER, nasçamos então dia 25, para que os doze vinte e cinco vindouros, sejam a busca da paz, conquista, compreensão, reflexão, prosperidade. Feliz Natal e Ano Novo!


Aos amigos do Blog

sábado, 22 de dezembro de 2012

MEDIDA PROVISÓRIA 2215/2001

VEJA O VÍDEO, ESTAMOS DEZARQUIVANDO A MP 2.215-10 DE 2001, JÀ TEMOS AUDIENCIA PUBLICA PARA 04 DE FEVEREIRO DE 2013, DEPOIS FALAREMOS,UM GRANDE ABRAÇO A TODOS , GENIVALDO DA SILVA, FAVOR DIVULGAR SEM DÓ.     

http://www.youtube.com/watch?v=veXvLOj33k4

http://www.avaaz.org/po/petition/Votacao_no_Congresso_Nacional_da_Medida_Provisoria_221501_LRM_Lei_de_Remuneracao_dos_Militares/?cUbqwdb*

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Esquema pagou dupla sertaneja e Nizan, diz operador

O empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, condenado a mais de 40 anos de prisão por operar o mensalão.
O empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, condenado a mais de 40 anos de prisão por operar o mensalão, entregou à Procuradoria-Geral da República os números de três contas bancárias no exterior nas quais teria feito depósitos para quitar dívidas de campanha do PT com a dupla Zezé Di Camargo e Luciano e com os publicitários Nizan Guanaes e Duda Mendonça. As operações , segundo ele, ocorreram em 2005.
No depoimento prestado em 24 de setembro à Procuradoria-Geral, Valério disse que dinheiro do esquema do mensalão foi usado para pagar a dupla sertaneja e os publicitários. Nesta semana, o Estado confirmou com fontes ligadas ao processo que o empresário também deixou com o Ministério Público os dados das contas bancárias.
Além de terem sido garotos-propaganda de Luiz Inácio Lula da Silva na campanha presidencial de 2002, Zezé Di Camargo e Luciano trabalharam em campanhas petistas em 2004. Nesse mesmo ano, Nizan comandou a campanha derrotada de Jorge Bittar (PT) à prefeitura do Rio - dois anos antes, tinha sido o marqueteiro de José Serra na derrota pela disputa ao Planalto.
Os dados de uma terceira conta, cujo beneficiário seria Duda Mendonça, seriam diferentes da conta nos Estados Unidos na qual o marqueteiro de Lula em 2002 admitiu receber mais de R$ 10 milhões - o publicitário foi absolvido pelo Supremo no julgamento do mensalão após ser acusado de evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Duda trabalhou com petistas também no ano de 2004.
Os publicitários e a dupla sertaneja negam ter recebido qualquer pagamento de forma ilegal (mais informações no texto abaixo).
Papéis. Ontem, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, confirmou o recebimento de documentos e depósitos entregues por Valério, mas não especificou sobre o que eles tratavam.
Segundo a versão de Valério, o dinheiro que ele diz ter ido parar nas contas dos publicitários e dos músicos saiu de um suposto acerto que, conforme afirmou ao Ministério Público, teria ocorrido em 2003 no gabinete presidencial, numa reunião entre Lula, o então ministro da Fazenda, Antonio Palocci, e o então presidente da Portugal Telecom, Miguel Horta.
O empresário afirmou no depoimento de 24 de setembro que uma fornecedora da Portugal Telecom em Macau, na China, arrumaria cerca de R$ 7 milhões para o PT pagar dívidas de campanha suas e de aliados. Esse dinheiro seria usado, segundo as acusações de Valério, dois anos depois para pagar Nizan, Duda e Zezé Di Camargo e Luciano.
Naquele mesmo 2005, Valério chegou a viajar para Portugal acompanhado de Rogério Tolentino, seu ex-advogado e sócio, e do dirigente do PTB Emerson Palmieri - a viagem, afirmou o deputado cassado Roberto Jefferson ainda em 2005, serviu para "liberar" o dinheiro da Portugal Telecom.
Lula afirmou na semana passada, durante viagem ao exterior, que não responderia às acusações de Valério por se tratar de "mentira". O criminalista José Roberto Batochio, advogado de Palocci, também negou que seu cliente tenha participado das reuniões no Planalto citadas pelo empresário à Procuradoria-Geral da República.
http://estadao.br.msn.com/ultimas-noticias/mensalao/story.aspx?cp-documentid=255239417

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Cmt da 1ª DE, ARBITRARIA​MENTE AFASTOU O PRESIDENTE E ALGUNS DIRETORES DO CLUBE DOS SUBTENENTE​S E SARGENTOS DA VILA MILITAR

POREM A JUSTIÇA FOI FEITA E DE ACORDO COM ALGUNS TRECHOS DO DESPACHO DA JUÍZA FEDERAL EDNA CARVALHO, ELE TEVE UM PRAZO DE 5 (CINCO) DIAS PARA O CUMPRIMENTO DA ORDEM, QUE JÁ FOI FEITO.

“COMPROVA O IMPETRANTE A NATUREZA JURÍDICA PRIVADA DA ASSOCIAÇÃO, COM ESTATUTO PRÓPRIO E DESVINCULADA DO EXÉRCITO BRASILEIRO, NÃO RECEBENDO NENHUMA SUBVENÇÃO."

"Data vênia entendo que a Autoridade Impetrante desviou-se de suas funções institucionais, envolvendo-se em questões particulares de uma associação, a qual traz em seu ESTATUTO OS MECANISMOS DE DEFESA DOS ASSOCIADOS, em ocorrendo desmandos administrativos e financeiros. Vislumbro, in casu, a PRÁTICA DE ATO PERPETRADO COM EXCESSO DE PODER, ou seja, Ato não-conforme ao direito. O Impetrado, ao ordenar, na condição de Comandante da 1ª Divisão do Exército, a suspensão dos poderes recebidos pela Diretoria do Impetrante, após eleição regular, AFASTANDO-A DE SUAS FUNÇÕES ESTATUTÁRIAS, extrapolou suas funções institucionais, intervindo em associação privada, regularmente constituída, com identidade e administração próprias, nos termos dos seus Estatutos Sociais. Isto posto, DEFIRO A LIMINAR, SUSPENDO O ATO QUE AFASTOU o Presidente e alguns Diretores da administração da associação impetrante, fixando o prazo de  5 (cinco) dias, para cumprimento da ordem, sob pena de restar caracterizado o descumprimento da liminar e apresente as informações, no prazo legal."

Ele, General de Divisão Pqdt JOSÉ ALBERTO COSTA ABREU, achou que mandava no CSSVM, só porque o terreno é da União, foi avisado na reunião que  não tinha poderes legais, porém não deu ouvido a ninguém e agora esta tendo que se explicar na justiça.

AMIGOS DIVULGUEM POR FAVOR, PARA QUE TODO BRASIL FIQUE SABENDO.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Desprestigiada e mal paga por esse governo Corrupto


 Somente para lembrar:

Dilma transforma a defesa de Lula em assunto de Governo, mandando Gilberto Carvalho gravar mensagem agressiva contra a Justiça e a Imprensa.

Gilberto Carvalho, o Gilbertinho do caso Celso Daniel e de tantos outros episódios deste PT sujo de lama, conclamando a militância a ir para as ruas defender Lula. É bom que a sociedade acorde para a gravidade deste momento. É o governo brasileiro assumindo, oficialmente, a defesa de Lula, o que pressupõe que não aceitará decisão judicial a respeito, golpeando a democracia.
http://youtu.be/69ya7VGs-rY

sábado, 15 de dezembro de 2012

O "lucro Brasil" das montadoras


Não é só imposto: montadoras têm margem alta aqui. Paga-se R$ 65 mil por carro que custa R$ 30 mil no exterior. Chineses reduziriam isso? Então mais IPIOs dirigentes das montadoras disseminam há décadas a tese de que a causa do alto preço do carro no Brasil é o imposto. O mantra pegou e é quase senso comum que a carga tributária é que faz o brasileiro pagar o carro mais caro do mundo.
Outro fator que costuma ser citado é o custo Brasil, um conjunto de dificuldades estruturais e burocráticas, destacando-se a falta de qualificação profissional e uma estrutura logística cara, insuficiente e arcaica.
As enormes dificuldades que o empresário enfrenta para produzir no Brasil explicam, em parte, o alto preço praticado -não apenas do carro, mas de em qualquer produto.
Mas impostos nem o custo Brasil justificam os US$ 37.636 que o brasileiro para por um Corolla, enquanto o seu colega americano paga US$ 15.450. Na Argentina, país mais próximo tanto geograficamente quanto em relação às dificuldades e problemas, o Corolla também custa mais barato: US$ 21.658.
No Paraguai, o consumidor paga pelo Kia Soul US$ 18 mil, metade do preço no Brasil. Ambos vêm da Coreia. Não há imposto que justifique tamanha diferença. O Volkswagen Jetta custa R$ 65 mil no Brasil, menos de R$ 40 mil no México e R$ 30 mil nos EUA -a propaganda do carro, aliás, tem como protagonista não um executivo, mas um... universitário sofrido (youtu.be/gqDUV-rHQe4).
Há vários outros exemplos. Cito mais um: o Hyundai ix35 é vendido na Argentina por R$ 56 mil. O consumidor brasileiro paga R$ 88 mil.
Se o custo Brasil fosse um fardo pesado nas costas do empresariado, seria impraticável a redução da margem operacional. A crise de 2008 revelou, porém, que havia gordura pra queimar: os preços despencaram.
O índice AutoInforme/Molicar indicou queda média de preço de 10,1% desde a crise de 2008. Carros de algumas marcas tiveram queda de preço de 20%. Não se tem notícia de que essas empresas tenham entrado em colapso por causa disso.
O Hyundai Azera, que era vendido por R$ 100 mil, passou a custar R$ 80 mil após a crise de 2008. Descontos de R$ 5.000, até R$ 10.000, foram comuns no auge da crise, revelando a enorme margem com que algumas montadoras trabalham: em 2010 a GM vendeu um lote do Corsa Classic com desconto de 35% para uma locadora paulista, conforme um ex-executivo da própria locadora.
A chegada dos chineses desvendou o mistério. Equipados e baratos, ameaçaram as marcas tradicionais.
O QQ, da Chery, chegou recheado de equipamentos, alguns inexistentes mesmo em carros de categoria superior, como airbags, freio ABS, sistema de som e sensor de estacionamento. Preço: R$ 22.990. Mas daria pra vender por R$ 19,9 mil, segundo uma fonte da importadora, não fosse a pressão dos concessionários por uma margem maior.
Em março de 2011, a também chinesa JAC Motors começou a vender no Brasil o J3 por R$ 37,9 mil. Reação imediata: a Ford reposicionou o Fiesta hatch, passou a vender o carro pelos mesmos R$ 37,9 mil e instalou nele alguns dos equipamentos que o chinês trazia de série, mas apenas em São Paulo, Rio e Brasília -onde o J3 ameaçava o concorrente.
Mesmo assim, as montadoras instaladas no Brasil se sentiram ameaçadas e, argumentando a defesa do emprego na indústria nacional, pediram socorro ao governo, sendo prontamente atendidas: medida editada em setembro de 2011 impôs super IPI às empresas que não têm fábrica no país. Pela primeira vez, a Anfavea (associação das montadoras), cujos associados não foram atingidos pelo imposto extra, não se rebelou contra nova carga tributária.
A maioria das importadoras absorveu parte dos impostos adicionais e praticou um aumento inferior ao que seria necessário para manter a margem de lucro, indicando que havia muita gordura.
A grande diferença de preço do carro vendido no Brasil em relação a outros países chamou a atenção do Senado. A pedido da senadora Ana Amélia (PP-RS), a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado convocou audiência pública para "discutir e esclarecer as razões para os altos preços dos veículos automotores no país e discutir medidas para a solução do problema".
Realizada na semana passada, com a presença de representantes do Ministério da Fazenda, do Ministério do Desenvolvimento, do Ministério Público Federal, do Sindipeças (Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores) e deste jornalista. Lamentada ausência da Anfavea, a audiência revelou (por um estudo apresentado pelo Sindipeças) que a margem de lucro das montadoras instaladas no Brasil é três vezes maior que nos EUA: no Brasil é de 10%, nos EUA é 3% e a média mundial é de 5%.
A discussão deve continuar, enquanto houver tanta gordura pra queimar!
JOEL SILVEIRA LEITE, 58, é jornalista e diretor da agência AutoInforme

Antecedentes da MP 2215/2001.... A TRAIÇÃO





Sofisma: Militar invertebrado

Impossível conceber que nas Forças Armadas possa existir Liderança, Honradez e Patriotismo em homens invertebrados. É próprio do Líder, do Honrado e do Patriota, ter as vértebras rígidas; engessadas frente ao inimigo ou frente à adversidade. À falta desta higidez a Instituição sucumbiu! Sem equipamentos modernos, só sucata! Sem salário digno, dívida, privações, constrangimentos, baixa estima, êxodo (baixa)! Sem Fibra de Herói, só amorfos! Sem munição, uma hora de fogo? Refém da cobiça internacional! Sem alimentação, meio expediente e ração fria! Adestramento capenga! Subemprego da sucata, faxina em morro!
É imperioso afirmar que o Brasil está desguarnecido e nossa soberania ameaçada graças criminosa omissão do governo e tibieza dos Comandantes das Forças. A quem interessa o desmonte bélico e moral do estamento militar brasileiro? Como justificar tamanha tolerância, subserviência e humilhação imposta por um governo com viés antinacionalista? Paira sobre a Nação ameaça externa? O Glorioso Exército Brasileiro de Caxias será dizimado e substituído por simpatizantes de Dilma/Fidel/Chaves?
O passado de Glórias do Exército Brasileiro está sendo desconstruído sob olhar complacente dos Comandantes e do Povo. Quem desprestigia seu Exército não o FAZ por Patriotismo... Não é chegada à hora de dar um BASTA? Aos vertebrados, se dobrar demais, quebra-se a espinha dorsal, tornando-a incapaz de soerguer, o que pode levar a se tornar um permanente invertebrado rastejante. Já estamos próximo desta perigosa e talvez irreversível mutação.
Creio ser insofismável a higidez vertebral dos nossos Comandantes. Flexibilizaram-na para saber até onde os apátridas pretendem chegar. Neste momento já mostraram a que vieram. Não é prudente permitir a imposição de uma genuflexão que leve a uma irreversível incapacidade de suplantar o irascível inimigo. Fico apreensivo com o fato de que quanto mais tardar o combate, mais traumático e difícil será a Vitória...
Uma certeza salta aos olhos! Os remanescentes dos anos 60 e simpatizantes agregados trabalham diuturnamente e de forma febricitante, para nos impor um regime pernicioso tal qual ao da esmoléu Cuba!
E ao que parece nem tudo acontece como antes no quartel de Abrantes...
Um general prevenido vale por todos! Esta Nação não merece nem olvidará um general Crasso!
Sarides Ferreira de Freitas é 2º Sgt Reformado do EB.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

AGU se recusou a pedir de volta dinheiro do mensalão

Por duas vezes, órgão preferiu não fazer parte de processos de ressarcimento

Justificativa:

A AGU, comandada por Luís Inácio Adams, alega que seu objetivo, ao se recusar a integrar os processos, foi não atrasar os pedidos de ressarcimento ao Erário.

BRASÍLIA — A Advocacia Geral da União (AGU) se recusou por duas vezes a fazer parte de processos que pedem a devolução de dinheiro desviado para o mensalão. Uma das recusas ocorreu há menos de três meses, em meio ao julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) da ação penal referente ao esquema criminoso, e foi orientada pela Procuradoria Geral da União, órgão de direção superior da AGU.

Numa das ações em que a AGU preferiu não entrar no caso, para tentar recuperar o dinheiro desviado, há 21 réus acusados de transações que resultaram em suposto enriquecimento ilícito de beneficiários do mensalão. O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, o ex-presidente do PT José Genoino, o operador do esquema, Marcos Valério, e diretores do Banco Rural são réus no processo, em tramitação na Justiça comum desde 2007. Os beneficiários apontados na ação do Ministério Público Federal (MPF) são políticos do PP, entre eles o deputado federal Pedro Henry (MT). A “vantagem econômica” mencionada na ação é de R$ 4,1 milhões. No STF, todos já foram condenados pela prática dos crimes.
No julgamento do mensalão, o STF concluiu que houve desvio de dinheiro público para o mensalão. Os ministros já iniciaram uma discussão sobre a recuperação dos recursos desviados. A proposta do decano do tribunal, Celso de Mello, é estabelecer um valor mínimo a ser indenizado pelos réus, o que deve ser discutida nesta fase final do julgamento. Os ministros decidiram pela perda de bens de Valério para ressarcir o Erário pelo crime de lavagem de dinheiro. Segundo manifestação de Celso de Mello em plenário, a AGU já deveria ter ingressado com ações para recuperar o dinheiro público.
Decisões tomadas na gestão de Adams
A decisão de não fazer parte de duas ações de improbidade administrativa em curso na Justiça Federal em Brasília foi tomada na gestão do atual advogado-geral da União, Luís Inácio Adams. Apesar da recusa da AGU em fazer parte dos processos, o dinheiro proveniente de um eventual ressarcimento de danos é destinado diretamente ao Tesouro Nacional. Para isso, o juiz responsável deve calcular o valor a ser ressarcido e determinar a devolução na sentença.
A ação na esfera cível pede o ressarcimento integral do dano ao Erário e a intimação da União para atuar no caso junto ao MPF, caso exista o interesse pela recuperação do dinheiro público. A primeira manifestação da AGU foi em maio de 2011, quatro anos depois de iniciada a tramitação do processo. “Aguarda-se autorização do procurador-geral da União para intervir ou não no presente processo”, manifestou em ofício a Procuradoria Regional da União da 1ª Região. Em 14 de setembro deste ano, a mesma unidade confirmou a negativa à Justiça: “Não é pertinente o ingresso da União. A assistência ao MPF só ocorre em ação de improbidade em que, objetiva e concretamente, a atuação da União agregue utilidade ao processo”.
O outro processo em que a AGU se recusou a recuperar o dinheiro público desviado diz respeito à contratação pela Câmara dos Deputados — sob a presidência do deputado João Paulo Cunha (PT-SP) — da SMP&B Comunicação, empresa de Marcos Valério, e ao saque de R$ 50 mil na boca do caixa do Banco Rural pela mulher do parlamentar. São réus no processo o deputado João Paulo, Valério e sócios e diretores do Rural. Também nesse caso, o STF já condenou os envolvidos no esquema.
A ação de improbidade administrativa, com pedido de ressarcimento integral do dano causado, tramita desde 2007. O MPF sugeriu o ingresso da União no processo. “Não se mostra pertinente o ingresso da União, seja pela ausência de elementos próprios a reforçar o quadro probatório, seja porque o interesse público já se encontra devidamente resguardado pela atuação do MPF”, argumentou a AGU na resposta à Justiça, em setembro de 2011. João Paulo responde a outra ação de improbidade na Justiça Federal em Brasília. Uma decisão judicial referente a este processo, em 2007, intimou a União para se posicionar sobre o interesse em atuar ao lado do MPF. Não houve resposta da AGU.
Em reportagem do GLOBO publicada em novembro, sobre as dificuldades da União para reaver o dinheiro público desviado no mensalão, a AGU sustentou que a “reparação pecuniária” decorrente do esquema já era objeto de ações cíveis propostas pelo MPF na primeira instância do Judiciário. Nas manifestações entregues até agora à Justiça, a AGU preferiu ficar fora dos processos.
Sete ações de improbidade em curso
São sete ações de improbidade administrativa abertas como desdobramento da ação penal julgada pelo STF: cinco se referem aos principais núcleos e aos integrantes de cinco partidos beneficiários do valerioduto — as “vantagens econômicas” somam quase R$ 41 milhões — e as outras duas tratam da participação do deputado João Paulo no esquema. A AGU confirmou que não integra o polo ativo em nenhum dos sete processos, apesar da sugestão do MPF nas ações.
A AGU informou ao GLOBO que uma das razões de não ter feito parte nas ações de improbidade em curso na Justiça foi para não atrapalhar e atrasar o pedido de ressarcimento da Procuradoria. “O ingresso da União poderia atrasar a tramitação do processo, impondo a necessidade de sua intimação em todos os atos processuais.” O MPF no DF, por sua vez, diz aguardar decisão do STF sobre como agir em relação ao ingresso da AGU nos autos.“Não houve investigação por parte de órgãos de controle (CGU, TCU, procedimentos disciplinares), o que não legitima a atuação da União no caso”, diz a AGU em resposta ao GLOBO, em referência às ações de improbidade em curso na Justiça.

VIVA O BRASIL.

MP 2215/2001

http://www.youtube.com/watch?v=m6bH00KbGAw&feature=youtu.be

De uma olhada. Vale a pena.

sábado, 1 de dezembro de 2012

Gurgel pode pedir quebra de sigilo bancário


Gurgel pode pedir quebra de sigilo bancário, fiscal e telefônico de Lula e família por causa do Rosegate

O Procurador Geral da República, Roberto Gurgel, se prepara para pedir, a qualquer momento, a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico de Luiz Inácio Lula da Silva & Família. A solicitação é um desdobramento do julgamento do Mensalão e servirá para alimentar de informações o Processo Investigatório. Correndo em segredo de Justiça no Supremo Tribuinal Federal, desde 2007, o trabalho investiga as relações de negócios entre o PT, o Banco BMG, e o mito Lula.

Gurgel quer saber como e onde Lula aplica os recursos que recebe nas palestras que vem dando. O Instituto Lula também pode ser alvo do Procurador, para saber quem são as pessoas físicas e jurídicas que andam financiando as atividades políticas de Lula. A grande preocupação do ex-presidente é com a Polícia e a Receita Federal. Lula foi informado de que servidores fora do controle do Governo – e agindo dentro da lei e do dever de ofício – teriam informações comprometedoras sobre ele e seus filhos.

Lula pode ser surpreendido pelo pedido de Gurgel enquanto curte sua providencial viagem de duas semanas ao exterior. Até embarcar, no próximo dia 7 de dezembro, ficará de repouso e em tratamento médico e fisioterápico. No roteiro, longe dos olhares da mídia e dos microfones e câmeras de arapongagem, Lula deve se encontrar com a Presidenta Dilma, em Paris. Os dois precisam conversar muito – e seriamente. Por aqui, anda perigoso arriscar um bate-papo.

A ex-primeira-dama Marisa Letícia deve viajar com ele. Até porque a grande amiga Rosemery Nóvoa Noronha, que já o acompanhou em 24 viagens internacionais, não pode mais fazer tal serviço de assessoramento, por motivos óbvios. Mesmo PT da vida com tudo que é fofocado na mídia sobre o Rosegate, Marisa será uma defensora do homem que ama e de quem sempre esteve ao lado nos piores momentos. Estar ao lado de Lula, na viagem, ajudará na estratégia de reformar que Lula é uma pessoa “família” e que não se mete em rolos com amantes – como vem se especulando.

Agora, o recente estouro da tubulação de esgoto do Rosegate só se torna um ingrediente ainda mais explosivo contra Lula – que até hoje nunca foi seriamente investigado por nada e, milagrosamente e por conveniências político, econômicas e conjunturais, foi poupado de envolvimento no Mensalão. Por ironia, sem qualquer foro privilegiado ou imunidade, Lula poderá se dizer “vítima de uma devassa” (o sentido denotativo ou conotativo das futuras palavras do grandes líder ficam para a interpretação de cada um).

A maior preocupação de pessoas próximas a Lula é com a saúde dele. Pressões psicológicas – como as que vem sofrendo com o julgamento do Mensalão e o Rosegate – não fazem bem para quem se submete à disciplina de um tratamento pós-câncer de laringe – e deixa muitas sequelas físicas. A ordem médica para Lula é que descanse ao máximo e não se aproxime, em hipótese alguma, de bebidas alcóolicas e da famosa cigarrilha.
Conexão do Porto (Seguro?)

A petralhada anda muito preocupada com uma escabrosa historinha vinda de Portugal e que já viaja em dobra espacial fator 10 pela internet.

Segundo o informe – que ninguém garante ser verdadeiro -, numa viagem de Lula a Portugal, Doutora Rose teria levado, na mala diplomática, 25 milhões de Euros.

O valor, que teria sido declarado à receita portuguesa, seguiu em carro forte para depósito na agência central do Banco Espírito Santo, na cidade do Porto.

Como os documentos sobre a operação estariam arquivados na Aduana do aeroporto internacional Francisco de Sá Carneiro, a petralhada morre de medo que vaze que Rose mandou fazer o depósito tendo Luiz Inácio Lula da Silva como o possível beneficiário de um seguro que fora feito para evitar “algum sinistro” com tanto dinheiro.
Titanic afundando?

Ninguém entende bem os apelidos que os criativos servidores da Polícia Federal colocam em suas operações.

Por isso, cabe a perguntinha idiota:

Será que a tal “Operação Porto Seguro” teria a ver com essa historinha portuguesa do depósito de 25 milhões de Euros no BES?
Cartão na mira

O cartão de crédito corporativo é um bombástico calcanhar de $talinácio.

Boatos fortes que vazam a Operação Porto Seguro revelam que Rosemary Nóvoa Noronha teria torrado US$ 200 mil dólares com o dinheirinho público de plástico nas 24 viagens que fez com seu melhor amigo Lula.

Só na última viagem a Paris, “Doutora Rose” teria gasto 45 mil euros.

Investigadas em auditoria do Tribunal de Contas da União, tais despesas podem fazer parte das investigações do recente inquérito que investiga o mega-esquema de corrupção e tráfico de influência.
Padrinho de viagens

Informe que circula entre lobistas de Brasília é que as viagens de Lula têm sido bancadas pelo agora segundo homem mais rico do Brasil.

Eike Batista, que perdeu o posto para o bilionário Jorge Paulo Lemman, teria colocado um jatinho da OLX à disposição de Lula.

A aeronave nem tem a pintura ou a marca da empresa para dar uma disfarçada...
Seis ou meia dúzia

Para Lula, não faz diferença quem é o mais rico do Brasil no ranking da Bloomberg.

Seja Eike, com US$ 18,6 bilhões, ou Lemman, com US$ 18,9 bilhões.

Tanto o líder do grupo EBX quanto o mega-sócio da Ambev são pessoas muito queridas de Lula
Turnê

Além de Paris, Lula irá a Berlim, Doha e Barcelona.

Na Alemanha, apagará a velinha no aniversário do Sindicato dos Metalúrgicos da velha região comunista.

No Qatar (ou Katar), ele fará mais uma bem remunerada palestrinha para empresários.

Na Espanha, receberá um prêmio do governo Catalão.
Apertem o botão da descarga...

"Se quiserem convocar, convoquem".

Eis as palavras ditas para consumo interno no governo pela Presidenta Dilma Rousseff sobre o Rosegate.

Dilma não se importa se a ex-chefe de gabinete da Presidência da República, Rosemary Novoa de Noronha, for convocada para depor em comissões do Congresso.

Como Dilma garante nada ter a ver com Rose, a amiga de Lula corre sério risco de ser jogada às feras da “oposição” na Câmara ou no Senado...
Fora de Controle

Recado da Presidenta Dilma a colaboradores mais próximos no governo:

A Polícia Federal está incontrolável”.

Quem recebeu - e entendeu – a mensagem da Dilma anda bastante apavorado...
Maleta para reflexão

Mensagem que circula na internet, para profunda reflexão filosófica sobre o materialismo da vida:

Um homem morreu.

Ao se dar conta, viu que Deus se aproximava e tinha uma maleta com Ele.

E Deus disse:

- Bem, filho, hora de irmos.

O homem assombrado perguntou:

- Já? Tão rápido?

Eu tinha muitos planos...

- Sinto muito, mas é o momento de sua partida.

- O que tem na maleta?

Perguntou o homem.

E Deus respondeu:

- Os seus pertences!!!

- Meus pertences?

Minhas coisas, minha roupa, meu dinheiro?

Deus respondeu:

- Esses nunca foram seus, eram da terra.

- Então são as minhas recordações?

- Elas nunca foram suas, elas eram do tempo.

- Meus talentos?

- Esses não pertenciam a você, eram das circunstâncias.

- Então são meus amigos, meus familiares?

- Sinto muito, eles nunca pertenceram a você, eles eram do caminho.

- Minha mulher e meus filhos?

- Eles nunca lhe pertenceram, eram de seu coração.

- É o meu corpo.

- Nunca foi seu, ele era do pó.

- Então é a minha alma.

- Não!

Essa é minha.

Então, o homem cheio de medo, tomou a maleta de Deus e ao abri-la se deu conta de que estava vazia...

Com uma lágrima de desamparo brotando em seus olhos, o homem disse:

- Nunca tive nada?

- É assim, cada um dos momentos que você viveu foram seus.

A vida é só um momento...

Detalhe importante: Em São Bernardo do Campo, tal historinha está censurada... Por que será???

Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus.
Jorge Serrão -  1º de Dezembro de 2012.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

PT e Lula tentam

PT e Lula tentam
blindagem contra
CPI da Rose

Lideranças do governo e do PT e o próprio ex-presidente Lula estão trabalhando intensamente, nos bastidores, conversando inclusive com dirigentes da oposição, para barrar eventual proposta de Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar corrupção e tráfico de influência de servidores federais, incluindo a ex-chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Noronha, a “Rose”.

Qual o propósito da BLINDAGEM????? Pessoal se realmente ocorrer temos por dever em 2014 não votar em nenhum político que esta ocupando cargo seja de Senador ou Deputado.

Mais uma boa idéia corrompida

Ao substituir diretores técnicos por mandaletes de partidos nas agências reguladoras, a mediação de interesses legítimos virou balcão de negócios
O Palácio do Planalto, de novo, tenta limitar, através da tal “blindagem”, que o Congresso ouça os indiciados pela Operação Porto Seguro, da Polícia Federal, responsáveis pelo que parece ser uma extensa rede de corrupção em organismos da União. O noticiário da imprensa (ou mídia, se vocês preferirem o conceito publicitário) a respeito acabou centrado, e jornalisticamente está certo, na secretária do escritório da presidência da República em São Paulo, Rosemary Noronha, assessora e amiga de Lula e de José Dirceu, no segundo de Luiz Inácio Adams na Advocacia-Geral da União, José Holanda Alves, nos irmãos Vieira e, para não variar, nos notórios Gilberto Miranda, ex-senador do PMDB, e Valdemar Costa Neto, deputado federal do PR paulista, o mesmo do Mensalão. Ficou em segundo plano, até agora, a questão de fundo importante exposta pelo episódio, que é a irregularidade flagrante no comportamento de dirigentes de agências reguladoras de serviços concedidos, casos das envolvidas ANA (Agência Nacional de Águas), ANAC (aviação civil) e ANTAQ (transportes aquaviários).

No segundo governo FHC, em paralelo com a saída parcial do poder público da produção de bens e serviços (telecomunicações é um bom exemplo), foram criadas dez agências reguladoras federais, de forma que a União não perdesse a capacidade de impor o cumprimento das leis e de criar novas normas em cada área transferida à iniciativa privada, na medida do interesse público. Em síntese, para mediar as relações entre concessionários e consumidores. Vocês podem encontrar detalhes sobre os objetivos destes organismos no portal de cada uma delas. Mas o que interessa a este texto é que o resultado da operação policial comprova à saciedade que a idéia das agências, copiada de países em que o Estado também concede serviços de sua responsabilidade, até muito mais do que aqui, foi pervertida. E pervertida por culpa do loteamento dos cargos de diretoria pelo PT, especialmente, e pelas legendas aliadas. Os diretores nomeados lá atrás para realizar uma tarefa eminentemente técnica foram substituídos por mandaletes dos partidos, e as agências tornaram-se balcões de negócios de gestores inescrupulosos. O que foi um avanço é hoje motivo de escândalos. Talvez Dona Dilma reaja.

De Maquiavel para Joaquim Barbosa


Eis o maior risco que corre Joaquim Barbosa na presidência do STF: o do "impeachment". E não é preciso fazer muita coisa não
A mídia, tanto nacional como internacional, soube reconhecer o significado ímpar da posse do Ministro Joaquim Barbosa na chefia do Poder Judiciário brasileiro. O Brasil vai se notabilizando por fatos que, aos olhos da burguesia e dos saudosos monarquistas, pareciam impossíveis: um metalúrgico virou Presidente da República, um menino negro e pobre se transformou em Presidente do STF etc. Que conselhos Maquiavel daria para Joaquim Barbosa, agora na chefia do Poder Judiciário?
Desde logo Maquiavel diria para ele que é melhor "ir atrás da verdade efetiva do que das aparências" (Capítulo XV, do livro O Príncipe). De outro lado, ele diria que o julgamento de todo príncipe (de todo homem público, de todo juiz) é feito de acordo com algumas qualidades que lhe valem ou censura ou louvor. "Alguns o chamarão de liberal, outros de mesquinho; pródigo ou ganancioso; cruel ou piedoso; desleal ou fiel; efeminado ou pusilânime ou feroz e destemido; modesto ou soberbo; lascivo ou casto; íntegro ou astuto; inflexível ou brando; austero ou leviano; religioso ou ímpio". Não tema incorrer na infâmia dos defeitos, se tal for indispensável para salvar o estado (o poder). Mas, muito cuidado!
Todo poder, sobretudo o institucional, gera inveja e ódio. Quem exerce o poder conquista muitas amizades (a posse festiva de Joaquim Barbosa deixou isso muito evidente), mas também muitas inimizades. Há três espécies de inimigos (sobretudo dos juízes): os pessoais, os funcionais e os institucionais.
Inimigos pessoais são os decorrentes do próprio relacionamento pessoal de cada juiz. Cada um tem sua maneira de ser. Há aqueles que se identificam com o tipo Carlos Ayres Britto (calmo, tranquilo, que levam o barco devagar) e há também os de pavio curto, conflitivos, aguerridos. Joaquim Barbosa, como todos sabemos, se enquadra nesse segundo grupo. Em virtude disso já angariou muitos inimigos ou antipatias dentro do próprio STF (Levandowski, Marco Aurélio, Gilmar Mendes...).
Inimigos funcionais são todos os que ficam contrariados com as decisões e posicionamentos do juiz. A atual cúpula gerencial do PT, por exemplo, não está nada satisfeita com a autonomia e independência demonstradas por  ele ao longo do processo mensalão. Na primeira oportunidade, vem a represália.
A terceira categoria de inimigos (muitos gratuitos) são os institucionais. Todos nós que já integramos alguma instituição (no meu caso: Ministério Público, Magistratura e Advocacia) sabemos bem disso. Quem se destaca dentro de qualquer instituição acaba constituindo uma ofensa para muitos colegas. O brilho de um ofusca o outro, ofende o invejoso. Não é que todos os demais colegas se comportem assim, não, é apenas uma parcela, mas bastante considerável.
Maquiavel aconselha que o príncipe deve abster-se de praticar tudo aquilo que o torne detestado ou desprezível (Capítulo XIX). Não invadir os bens alheios nem se apoderar das mulheres alheias são vedações elementares (Capítulo XIX). Mas há uma coisa dentro das instituições que Joaquim Barbosa vai vivenciar na própria carne: a fama. Muita gente não suporta a fama do outro, o seu destaque, o seu brilho. Cada louvação, sobretudo midiática, afunda mais ainda o ego do invejoso.
Quem vivenciou isso recentemente foi o juiz espanhol Baltazar Garçon. Por uma interceptação telefônica (de duvidosa ilegalidade) ele foi punido a 11 anos de afastamento do Judiciário. A instituição tinha ódio do seu destaque nacional e internacional, praticamente diário. Na primeira oportunidade, eliminaram-no (fulminando sua carreira).
Esse é o maior risco que corre Joaquim Barbosa: o risco do "impeachment". E não é preciso fazer muita coisa não. Quanto maior a quantidade de inimigos conquistados e quanto mais diversificados os interesses contrariados (eliminação da Justiça Militar Estadual etc.), maior o risco. Por falar em interesses contrariados, não é difícil prever uma rota de colisão entre o que pensa Joaquim Barbosa (com suas teses includentes, defesa das minorias, ideologia político-social) e a mídia conservadora (Veja, Globo, Estadão etc.). Que a lua de mel de Joaquim Barbosa com essa mídia neoliberal dure bastante e que seu mandato seja exemplar e histórico. Mas, se alguma tempestade ocorrer, não foi por falta de previsão.

LUIZ FLÁVIO GOMES

28 de Novembro de 2012

O comentário de Gélio Fregapani: acordo militar com os Estados Unidos

Acordo militar com os Estados Unidos

Os EUA estão propondo um novo acordo militar ao Brasil, semelhante ao estabelecido após a II Guerra Mundial. Seria natural que os EUA e o Brasil, como duas das maiores nações das Américas compartilhassem de um acordo na área de segurança. Até mesmo, havendo alguma ameaça comum, de uma aliança defensiva e ofensiva. Isto já houve anteriormente, até certo ponto com bons resultados durante a Guerra Fria, porém antes de qualquer acordo convém verificar o que se pretende ganhar com isto e se o preço a pagar será compensador. Deve-se examinar os objetivos do parceiro, a necessidade dele em fazer esse acordo e o que ele estará disposto a “pagar” para o conseguir.
O acordo na II Guerra, o certamente não foi exatamente do nosso interesse. A Alemanha e a Itália não eram nossos inimigos e eram parceiros comerciais confiáveis. Na verdade fomos coagidos a auxiliar a política dos EUA. Justificou-se aceitá-lo porque não teríamos condições de garantir a nossa neutralidade. Sabíamos que sofreríamos uma invasão americana no Nordeste, cujas consequencias nem podemos avaliar.
Já durante a Guerra Fria o acordo era mais honesto, pois também nos sentíamos ameaçados, mas a medida que a ameaça começava a diminuir observávamos que a posição de Junior Partner só beneficiava a potência hegemônica. O que então julgávamos grande vantagem: o recebimento de material bélico americano, não só inibia o desenvolvimento da nossa tecnologia própria como nos mantinha atrelados a política deles. O acordo militar foi denunciado por Geisel devido às pressões contra o nosso Programa Nuclear, e orgulhosamente vimos que podíamos desenvolver material bélico por nossa conta. Desenvolvemos mísseis e carros de combate e por um período o que desenvolvemos chegou a ser o carro chefe das exportações. A nossa então vitoriosa indústria bélica foi destruída pela traição de Collor e seus sucess ores, a comando do Consenso de Washington
Hoje a situação mundial é algo diversa. Diante de uma certa debilitação financeira e militar, os EUA buscam parcerias que ajudem a manter a sua hegemonia. Parcerias contra que ameaça? Do avanço econômico chinês? Do terrorismo islâmico? – Ambas necessitam de estudo mais profundo, mas nenhuma delas parece mais urgente para nós do que a ameaça de desagregação da unidade nacional pelo incentivo às “nações étnicas”, provocado pelas ONGs dos Estados Unidos e de seus aliados. Portanto, a primeira condição para um possível acordo deveria ser a imediata retirada das ONGs deles e o levantamento das pressões contra o nosso desenvolvimento, especialmente na área nuclear. Entretanto, é difícil que isto possa acontecer, pois o nosso Brasil e ao EUA são, por obra da geografia, muito mais competidores do que complementares.
Mais lógico seria que aceitássemos uma parceria de países sul-americanos contra uma intromissão dos EUA. Isto o ex-presidente Lula já andou esboçando, mais por seu viés esquerdista do que pelo interesse da Pátria, com pífios resultados. Seria irrelevante o auxílio que vizinhos poderiam nos prestar, e em contrapartida nos atrelaria ás disputas deles com os EUA, normalmente de fundo ideológico, que não nos diz respeito.
Antes só do que mal acompanhado.

domingo, 25 de novembro de 2012

Servidor do TCU que vendeu parecer delatou esquema de corrupção à PF

Dilma soube da operação da PF no dia da posse no STF, daí a cara amarrada


Momentos antes de seguirem para a posse do ministro Joaquim Barbosa na presidência do Supremo Tribunal Federal, nesta quinta-feira (22), o ministro José Eduardo Cardoso (Justiça) avisou a presidenta Dilma que no dia seguinte, sexta (23), a Polícia Federal deflagraria a operação Porto Seguro, cumprindo mandados de busca e apreensão e prendendo diretores das agências reguladoras Ana e Anac. Isso foi o que determinou sua chegada com atraso à solenidade de posse e principalmente a "cara amarrada", interpretada como suposto desagrado da presidenta em relação às recentes decisão da Corte no processo do mensalão. O que mais irritou a presidente foi a informação de que a chefe de gabinete do escritório da presidência da República em São Paulo e amiga íntima de Lula, Rosemary Nóvoa de Noronha, era uma das principais investigadas por tráfico de influência, segundo indicam escutas telefônicas. "Rose" foi indiciada por corrupção ativa e passiva. Ela foi flagrada negociando suborno em dinheiro e favores, como uma viagem de cruzeiro (que ela depois reclamou não ser luxuoso o suficiente) e uma cirurgia plástica. Numa conversa gravada, a amiga de Lula pediu R$ 650 mil por serviços prestados.
'Rose', íntima de Lula, indicou os dois diretores de agências presos pela PF


ROSE, A AMIGA DE LULA 

 Rosemary Novoa de Noronha, chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo, é agora responsável por um dos maiores constrangimentos já impostos ao Poder Executivo na história recente do Brasil: nesta sexta (23), a Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão no escritório presidencial na capital paulista, no âmbito da operação Porto Seguro, que investiga servidores que  emitia pareceres fraudulentos, a fim de beneficiar interesses privados. Rosemary, a "Rose", exerce forte influência nas decisões do Executivo desde o governo do ex-presidente Lula, com quem ela mantém relações pessoais especialmente íntimas. Foi "Rose" quem indicou os dois diretores da Agência Nacional de Águas (ana) e Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) presos pela PF. Ela exerce a função desde o governo Lula e foi mantida no cargo a pedido dele, apesar das conhecidas restrições da ex-primeira dama Marisa Letícia.





A Polícia Federal indiciou, nesta sexta-feira,18 suspeitos de integrar um esquema de fraude em pareceres técnicos de órgãos públicos, e prendeu seis pessoas, incluindo Paulo Rodrigues Vieira, diretor da Agência Nacional de Águas (ANA), e outro da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A operação Porto Seguro envolveu 180 agentes nas cidades paulistas de Cruzeiro, Dracena, Santos, São Paulo e em Brasília. Foram cumpridos 26 mandados de busca e apreensão em São Paulo e 17 na capital federal. De acordo com as investigações, o grupo subornava funcionários para obter pareceres fraudulentos, a fim de beneficiar interesses privados. Um deles, servidor do Tribunal de Contas da União, já exonerado, procurou a PF para confessar seu arrependimento por vender um parecer técnico por R$ 300 mil. A investigação da PF aponta que três advogados e um empresário eram responsáveis por localizar e contatar grupos empresariais ou pessoas físicas interessadas no se rviço. Dois servidores identificavam funcionários corruptos de órgãos públicos.

Nas asas da PF

Foi um alvoroço ontem em Brasília: a Operação Porto Seguro apreendeu o computador de diretor e ex-corregedor da Agência Nacional de Aviação Civil, indicado por Lula. Rolo em aeroportos.

Câmara dá reajuste de 49,4% para seus servidores e básico passará de R$ 10 mil

Câmara dá reajuste de 49,4% para seus servidores e básico passará de R$ 10 mil

O projeto de resolução foi aprovado rapidamente por votação simbólica e já foi promulgado.

O projeto de resolução foi aprovado rapidamente por votação simbólica e já foi promulgado.

A Câmara dos Deputados aprovou um projeto aumentando os salários de parte de servidores de nível médio da Casa. A proposta sobe as quatro menores faixas salariais de técnico legislativo. O reajuste será de 49,4%.

Os salários dos quatro menores níveis variam de R$ 6.697,68 a R$ 7.129,51, com as gratificações, e subirão para a faixa salarial de R$ 10.007,11 a R$ 11.170,92, também consideradas as gratificações. O projeto vai beneficiar 350 servidores entre assistentes administrativos, paramédicos e agentes de polícia legislativa, segundo informações da assessoria de imprensa da Câmara. O impacto na folha de pagamento não foi informado.




Enquanto isso:

A MP 2215-01 LRM está engavetada no Congresso há mais de onze anos aguardando votação.
Ativos, inativos e pensionistas da PM-DF ganham quase “duas vezes mais” do que os integrantes das Forças Armadas, sendo que o dinheiro vem da mesma fonte pagadora: a União.

A Lei Nº 10.331, de 18 de dezembro de 2001, que regulamenta o Artigo 37, alínea X, da Constituição Federal para que os soldos sejam reajustados anualmente não é cumprida.
"Pecar pelo silêncio, quando se deveria protestar, transforma homens em covardes."Abraham  Lincoln

Óia a Marolinha Aí Gente!!

Fato objetivo é que a Justiça fecha o cerco sobre o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva. É quase certa a intensificação das investigações sobre a relação entre Lula, PT e o banco BMG, no desdobramento do Mensalão (Processo Investigatório 2.474, no STF, em segredo judicial, desde 2007). Para piorar o quadro, ontem a Polícia Federal indiciou, por corrupção ativa, a melhor amiga de Lula: Rosemary Novoa de Noronha, chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo, cujo salário é de R$ 11.179,36.
A Presidenta Dilma Rousseff deve esperar o retorno urgente de Lula ao Brasil para exonerar a servidora do coração dele (NR: a "servidora" foi exonerada hoje mesmo, a pedido). Lula terá de se esforçar muito para alegar que a “Doutora Rose” (como é conhecida a indiciada) fez coisas erradas sem que ele soubesse. Certamente, com o cinismo costumeiro, Lula alegará que “foi traído” pela Rose. A mentira ficará inviabilizada porque, nos bastidores petistas, todo mundo sabe que Rose talvez só seja menos importante para Lula que a ex-primeira dama Mariza Letícia. Literalmente, Lula tomou ontem um tiro no coração.
Em ação surpreendente, que pegou o governo Dilma de saia curtíssima, a Polícia Federal, cumprindo ordens da Justiça Federal, promoveu a Operação Porto Seguro. A PF constatou que Rose era uma das cabeças um esquema de fraudes em pareceres técnicos feitas por agências reguladoras e órgãos federais, para favorecer empresas parceiras. Em troca, Rosemary receberia agrados, como viagens e até camarotes em carnaval. A PF investiga se rolava grana também nos esquemas de tráfico de influência.
Dilma promoveu ontem à tarde uma sessão de esculacho nos ministros José Eduardo Cardozo, da Justiça, e no Advogado-Geral da União, Luis Inácio Adams. Além do gravíssimo indiciamento da chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo, a PF também indiciou ninguém menos que o segundo homem na hierarquia da AGU: José Weber Holanda Alves. Será que o Luis Inacio (com S) repetirá a costumeira artimanha do Luiz Inácio (com Z), alegando que nada sabia sobre o que seu imediato fazia de errado? Alves deve ser detonado por Dilma.
Doutora Rose era poderosa. Na década de 90, foi assessora de José Dirceu de Oliveira e Silva. Naquela época, conheceu Luiz Inácio. Rose começou a trabalhar no governo Lula em 2003 como assessora especial do gabinete da Presidência em São Paulo. Em 2005, virou a “Doutora Rose", ao ser nomeada chefe de gabinete do escritório regional da Presidência, na Avenida Paulista. Rosemary é tão ligada a Lula que costumava participar da maioria de suas viagens internacionais, nos oito anos de governo.
O escândalo é pesadíssimo e envolve vários órgãos do governo. Foram indiciados 12 servidores da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), da ANAC, da Superintendência do Patrimônio da União (SPU), do Tribunal de Contas da União (TCU), da Advocacia Geral da União (AGU) e do Ministério da Educação (MEC). A organização criminosa atuava também agilizando processos em órgãos públicos e fraudando documentos em troca de dinheiro e vantagens. Esses pareceres fraudados eram usados por empresas interessadas em processos de licitação junto ao governo.
Foram presas seis pessoas: os irmãos Paulo Rodrigues Vieira, diretor da Agência Nacional de Águas (ANA), Rubens Carlos Vieira, diretor de Infraestrutura Aeroportuária da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e Marcelo Rodrigues Vieira, também da ANAC. Os irmãos Vieira foram indicados por Rosemary Novoa de Noronha – indiciada por corrupção ativa. Também foram presos o empresário Marco Antonio Negrão Martorelli, Carlos César Floriano e Patricia Santos Maciel de Oliveira.
Entre os famosos, a PF indiciou José Weber Holanda Alves, o segundo da Advocacia-Geral da União (AGU), e o ex-senador Gilberto Miranda Batista.Também foram indiciados: Esmeraldo Malheiros Santos, consultor jurídico do MEC, e Márcio Alexandre Barbosa Lima, do banco de dados do ministério, foram indiciados, assim como Lucas Henrique Batista (Correios). Da ANTAQ foram indiciados Enio Dias Soares, chefe de gabinete e Glauco Alves Cardoso Moreira. Evangelina de Almeida Pinho, assessora da Secretaria de Patrimônio da União, também entrou na dança.
A investigação da PF começou em março de 2011, depois que um servidor do TCU procurou a PF para relatar que integrantes de um esquema lhe ofereceram R$ 300 mil para que elaborasse um parecer técnico em benefício de uma empresa do setor portuário. O servidor contou que recebeu R$ 100 mil e fez o parecer. No entanto, como ficou arrependido, devolveu o dinheiro para o corruptor e procurou a PF em São Paulo para denunciar o esquema. A casa começou a cair.
Doutora Rose, a amiga de Lula
O superintendente da PF em São Paulo, Roberto Troncon Filho, será alvo de grandes pressões. A próxima fase será pedir a autorização da Justiça para o compartilhamento das provas da investigação com as corregedorias dos órgãos envolvidos para que possam aplicar suas medidas administrativas. O superintendente já aliviou a barra do governo Dilma, alegando que os servidores agiam por conta própria e que não houve conivência dos órgãos, que ajudaram nas investigações.
 O negócio é tão delicado que, no final da manhã de ontem, a Polícia Federal divulgou um resumo das investigações, como costuma fazer em todas as operações, mas não mencionou o escritório da Presidência entre os alvos de buscas e apreensão de documentos. Só no começo da tarde, quando o Alerta Total divulgou, em primeira mão, que o o alvo tinha sido o gabinete da Doutora Rose, o escândalo se tornou público. Delegados da PF fizeram cópias dos arquivos pessoais da “Doutora Rose”. O telefone celular funcional dela também teria sido apreendido pelos agentes. O grande risco é que haja fotos comprometedoras nos arquivos do telefone e do computador da servidora.
A conclusão mais objetiva de todo esse rolo é: o Porto está nada Seguro para Luiz Inácio e sua turma...
Fonte:  Alerta Total
COMENTO:  Na mais recente patifaria governamental descoberta está sendo dada ênfase ao fato da tal Rose ser amiguinha do Cachaceiro. Me parece que esse fato ocorre para abafar outro mais grave: a participação de José Weber Holanda Alves, o segundo na hierarquia da AGU. De acordo com a imprensa, é a segunda vez que ele é pego com a mão na botija. Em julho/agosto de 2003, o MPF, a PF, a CGU e o Tribunal de Contas da União investigavam a participação ilegal dele em transações imobiliárias, contratações de serviços e processos de cobrança de devedores.  A lista de seus supostos "alfeitos" pode ser lida no Correio Braziliense - 22 Jul 2003. Ainda em 2003, o TCU o responsabilizou com outros ex-dirigentes do INSS por irregularidades em um convênio assinado pelo órgão com o CETEAD da Bahia, entre 1998 e 2000 (o processo foi considerado "prescrito"). Em 2009, o recém-nomeado advogado-geral da União, Luís Inácio Adams já o queria como seu adjunto, mas Dilma Rousseff, Chefe da Casa Civil, vetou a indicação. Então, por indicação de José Dirceu, aquele, ele foi nomeado Procurador Geral da UnB, pelo então reitor Timothy Mulholland, aquele outro. Em julho de 2010, Adams insistiu em colocar José Weber como seu s ubstituto na AGU. A nomeação foi autorizada por Erenice Guerra, aquela outra. Como se vê, o destino espalha, mas eles se juntam.  O problema maior é que Luís Inácio Adams é candidato a uma vaga no STF. Poderá ele justificar sua insistência em ter José Weber em sua proximidade?
 

Polícia Federal tem 122 gravações que revelam como Rose discutia negócios com “Tio” Lula e Dirceu

Exclusivo – A Polícia Federal está atrás de um motoboy chamado Roberto. O motociclista profissional, que está desaparecido, tem em seu poder 10 comprometedores envelopes com documentos de alto interesse para a Operação Porto Seguro. O rapaz simplesment e não cumpriu a missão de entregar o material enviado ao consultor José Dirceu de Oliveira e Silva pela agora exonerada chefe de Gabinete da Presidência da República, Rosemary Novoa de Noronha.
Amiga pessoal do ex-Presidente Lula da Silva, ela foi indiciada por coordenar um mega esquema de corrupção ativa e tráfico de influência para beneficiar empresas que faziam negócios com o Governo Federal. A avaliação geral é que Rose não tinha competência para comandar, sozinha, um esquema tão complexo. Logo, Rose tinha um chefão por trás dela. Quem era? A PF e o MPF só não descobrem se não quiserem.
Outra bomba mantida em sigilo da Operação Porto Seguro deixa Lula e Rose na maior saia justa. A Superintendência da Polícia Federal, em Brasília, já está de posse de 122 gravações de conversas telefônicas entre Luiz Inácio Lula da Silva e Rosemary Novoa de Noronha. Ele a chamava de “Rose” ou “Rosa”. Ela o tratava pelo amoroso a pelido de “Tio”. Nas conversas, Rose passava ao amigo informações sobre quem deveria receber em audiência e para quem deveria mandar documentos.
Todo esse material sigiloso – que pode ser varrido do mapa pelas conveniências do poder – foi recuperado por uma empresa de alta tecnologia paulista que pode tornar públicas as informações, caso sofra ameaças ou retaliações. Os arquivos foram recuperados de um computador cujo Hard Disk (HD) fora formatado, na vã tentativa de esconder e eliminar informações comprometedoras. O azar dos bandidos é que a empresa, com tecnologia israelense, consegue salvar 100% dos dados de um disco rígido que tenha sido formatado até oito vezes seguidas.
Agora, o medo maior do Palácio do Planalto é que vazem documentos ainda mais comprometedores sobre Rose e suas ligações pessoais e de negócios com Lula – e também com José Dirceu. A Presidenta Dilma Rousseff fará neste domingo sua terceira reunião seguida do desesperado Gabinete de Crise. Neste sábado, em mais uma tensa sessão de espinafração, Dilma resolveu exonerar Rosemary Novoa de Noronha. Como ela não pediu exoneração, conforme fora aconselhada a fazer, acabou saída por Dilma. A Presidenta escalou seu Secretario-Geral Gilberto Carvalho para transmitir a terrível notícia a Lula, assim que ele desembarcou da viagem à Índia.
Dilma também canetou José Weber Holanda Alves (Advgado-Geral-Adjunto da União. Só não se sabe se o superior dele Luis Inacio (com S) Adams tenha repetido a costumeira artimanha do Luiz Inácio (com Z), alegando que nada sabia sobre o que seu imediato fazia de errado. Dilma pode também afastá-lo, assim que puder. Adams, que sonhava com o STF, agora vive um pesadelo acordado e tem tudo para ficar desempregado.
Mais uma bomba! A Agência Brasileira de Inteligência foi alertada em outubro de que haveria uma investigação sobre Rosemary. No informe de clas sificação A1A, a Abin informou ao Gabinete de Segurança Institucional da Presidência de que Rosemary enviava documentos para apartamentos em Interlagos e nos Jardins. O material seria destinado, pessoalmente, a José Dirceu e Luiz Inácio Lula da Silva
Lula teria falado sobre o delicadíssimo assunto da investigação sobre Rose com a Presidenta Dilma durante o último jantar antre ambos. Dilma cobrou da PF se havia tal investagação. Foi-lhe alegado que nada havia na PF, mas que poderia ter algo sendo engendrado no Ministério Público. Quinze dias atrás, Dilma soube que o caso era gravíssimo e poderia estourar a qualquer momento.
E explodiu feio! Na verdade, tudo parece um grande contra-golpe. O que teria desencadeado o ápice da Operação Porto Seguro foi o movimento radical do PT contra a Justiça, o Ministério Público e, especificamente, contra o Procurador-Geral Roberto Gurgel – ameaçado de indiciamento da CPI do Cachoeira. O “troc o” ao radicalismo burro da petralhada veio em alta velocidade.
Agora, a PF e o MPF têm um complicado quebra-cabeças para montar – que mais parece o roteiro de uma novela mexicana. Também não será fácil provar que a Dilma não tinha “domínio dos fatos”. Parece que se repete a novela do Mensalão – com milhões de reais de agravantes, já que não dá para crer que uma super-secretária e amiga de Lula tinha poder para coordenar todo o crime que agora lhe atribuem.

Foi o “Black Friday de Lula”
Em tese, um mito nunca morre. Mas os poderes míticos se enfraquecem. Seja por influência do Poder da Justiça ou do Poder Divino. O risco de condenação judicial provoca danos à imagem, ainda mais se acabar em condenação, com pagamento de multas, prisão e, pior ainda, perda de direitos políticos. Já a condenação divina pode custar mais cara ainda. Perder a voz ou a vida, por acaso, tem preço?
Eis os dois perigos atualmente sofridos pelo mito Luiz Inácio Lula da Silva. Não resta dúvidas de que a temporada de caça a Lula está abertíssima. A estrela máxima do PT corre o risco de sair ofuscada ou até apagada por várias investigações judiciais já públicas ou que ainda correm em segredo judicial: Mensalão parte 2, BMG-PT-Lula, Delta-Cachoeira, Petrobrás e Eletrobrás. Mas sexta-feira estourou a gota d´água contra Lula e seus parceiros: a Operaà �ão Porto Seguro – que até podia ter sido criativamente batizada de “Aguenta, Coração”...
O caso mais grave é o conjunto de provas materias sobre a existência um Gabinete Paralelo da Presidência da República, operando no 3º andar do prédio da Previ, na esquina da Rua Augusta com Avenida Paulista, em São Paulo. O “escritório” servia para práticas de crimes de tráfico de influência e corrupção ativa. Em troca de muita grana, favores, “presentinhos” ou viagens, a quadrilha promovia fraudes de documentos públicos ou soluções pouco convencionais de problemas para empresas interessadas em fazer negócios ou licitações com o Governo Federal.
O batom na cueca vermelha de Lula é que todo o esquema era comandado por uma amiga muito íntima dele: Rosemary Novoa de Noronha, chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo –que acabou exonerada neste sábado pela irada Presidenta Dilma Rousseff. A s investigações da PF indicam que a “Doutora Rose”, como era mais conhecida, recebia salário de de R$ 11.179,36 para servir ao ex-Presidente. Até sexta-feira, Rose era um “Porto Seguro” para o “Tio” Lula. Agora, se transforma em uma “Atração Fatal”.
Nos bastidores petistas, todo mundo sabe que Rose talvez só seja menos importante para Lula que a ex-primeira dama Mariza Letícia. Literalmente, Lula tomou um tiro no coração com a operação Porto Seguro da PF e do MPF. A desagradável surpresa aconteceu no momento em que Lula recebia, no palácio presidencial Rashtrapati Bhavan, em Nova Déli, na Índia, o prêmio Indira Gandhi pela Paz, Desarmamento e Desenvolvimento 2010. Em São Paulo, sem dúvida, foi armada uma arapuca para declarar guerra total a Lula, acabando com a paz dele – inclusive e principalmente dentro de seu apartamento, em São Bernardo do Campo.
Como o caso corre no famoso e providencial “seg redo judicial”, são gigantescas as chances de não serem tornadas públicas as ligações telefônicas entre os super amigos Rose e Lula. As Velhinhas de Taubaté do PT já espalham na mídia amestrada a fantasiosa versão de que “não resta dúvida de que Lula não sabia das atividades ilegais atribuídas ao grupo, que integrava um esquema que produzia pareceres favoráveis aos interesses de grandes empresas junto ao governo federal”.


CPI da Rose?
A previsão do tempo para segunda-feira é: O Brasil explode politicamente. Dilma tentará se blindar, com discurseira de combate à corrupção, justificada com as exonerações em alta velocidade. Tudo pode piorar se o dólar subir, sem controle do Banco Central, alimentando o risco de problemas econômicos.
Segunda-feira também recomeça o julgamento para definição de penas dos condenados no Mensalão. No Congresso, a oposição falará grosso contra Lula e o PT, pedindo uma CPI sobre a escandalosa Operação Porto Seguro que também mexe com o ex-senador Gilberto Miranda – que é ligadíssimo ao poderoso presidente do Senado, José Sarney.
Investigações da PF indicam que “Doutora Rose” era responsável pela nomeação e pelas ações fora da lei promovidas pelos “Irmãos Vieira”: Paulo Rodrigues Vieira, diretor da Agência Nacional de Águas (ANA), Rubens Carlos Vieira, diretor de Infraestrutura Aeroportuária da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e Marcelo Rodrigues Vieira, também da Anac. Detalhe importante: os irmãos Vieira eram apadrinhados de Lula, Rose e Dirceu.
O escândalo transforma em “roubo de galinha” o Mensalão agora julgado no STF. Envolve servidores da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), da Anac, da Superintendência do Patrimônio da União (SPU), do Tribunal de Contas da União (TCU), da Advocacia Geral da União (AGU) e do Ministério da Educação (MEC). A organização criminosa atuava também agilizando processos em órgãos públicos e falsificando documentos em troca de dinheiro e vantagens. Os pareceres fraudados eram usados por empresas interessadas em processos de licitação junto ao governo.
“Doutora Rose” era poderosa e muito influente. Na década de 90, foi assessora de José Dirceu de Oliveira e Silva. Naquela época, conheceu Luiz Inà ¡cio. Rose começou a trabalhar no governo Lula em 2003 como assessora especial do gabinete da Presidência em São Paulo. Em 2005, virou a “Doutora Rose, ao ser nomeada chefe de gabinete do escritório regional da Presidência, na Avenida Paulista.
Rose já esteve envolvida em problemas na do governo Lula. Em 2006, quando explodiu o escândalo dos gastos com cartões de crédito corporativos, o nome dela estava na lista de 65 servidores que fizeram saques para pagamento de despesas da Presidência. O deputado Indio da Costa (DEM-RJ), então candidato a vice-presidente na chapa de José Serra (PSDB), e o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) pediram a convocação de Rose para depor na CPI criada para investigar o uso dos cartões corporativos. O caso, como tantos outros, deu em nada.
Rosemary é tão ligada Lula que costumava participar da maioria de suas viagens internacionais, nos oito anos de governo. Chegou a fazer 17 viagens presidenciais, entre 2005 e 2010. Somando todas, teria embolsado R$ 45 mil em diárias. Rose costuma integrar o Escav (escalão avançado), equipe que preparava a chegada de Lula aos países. Rose estaria separada de José Cláudio de Noronha. O ex-marido marido ocupa um cargo de assessoria especial na administração regional da Infraero em São Paulo. Deve ser também “justiçado” pela ira de Dilma.
A cúpula petista sabia que Rose era amiga íntima de Lula. Logo, se ele “não sabia de nada” que ela fazia, o maior mito apedeuta do universo poderia se considerar um sujeito traído?
Se for, e voltar ao Brasil jurando pela felicidade da nação corinthiana que de nada sabia, Lula merecerá ser tratado como uma espécie de “Grande Corno Político”.
Talvez a ele se aplique uma versão atualizada e parodiada de um velho provérbio:
“Diga-me com quem amas que vos direi quem és”.
O risco real: esse peri goso caso pode acabar em ruptura institucional ou na pizza podre de sempre...


Vida que segue... Ave atque Vale! Fiquem com Deus.

Concorda?????

sábado, 24 de novembro de 2012

Dirceu prega 'julgamento do julgamento' do mensalão

Ex-ministro chamou militantes petistas para 'enfrentamento político'.
Ato de apoio a João Paulo Cunha, condenado, reuniu mais de mil pessoas.

O ex-ministro José Dirceu afirmou nesta sexta-feira (23) que a militância petista deve fazer o "julgamento do julgamento" do mensalão. Em evento do PT de São Paulo, que reuniu mais de mil pessoas em Osasco, Dirceu fez um apelo em prol de um "enfrentamento político" e um "enfrentamento jurídico" para contestar sua condenação, pelo Supremo Tribunal Federal, a 10 anos e 10 meses de prisão por corrupção ativa e formação de quadrilha.
"Nós temos que fazer o julgamento do julgamento agora. Nós não temos medo da verdade dos autos, porque nos autos está a prova da nossa inocência. Nos autos, lá no Supremo Tribunal Federal, na ação penal 470, nos votos dos ministros que são públicos, está a teoria do domínio do fato sem prova, está que não se pode condenar por presunção, que as testemunhas de acusação estão sob suspeição, não está o contraditório, que não foi feito. Então nós não precisamos de apelar, nós podemos fazer um enfrentamento político, um enfretamento jurídico, conforme os autos. E temos que fazer na sociedade, como este ato aqui hoje", discursou.
No discurso, que durou cerca de 11 minutos, Dirceu reiterou crítica, já manifestada pelo PT, que o julgamento da ação foi politizado e feito sob intensa pressão da imprensa.

O evento, feito num teatro no centro de Osasco, serviu como um ato de desagravo ao deputado João Paulo Cunha, condenado por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e peculato, mas cuja pena ainda não foi definida.
Em discurso, o deputado, que corre o risco de perder o mandato com a condenação, falou por mais tempo, 21 minutos. Ele relatou o abatimento com a decisão do Supremo. "Vocês não sabem como é dolorido, é de cortar o coração. Eu fiz uma opção, a de ficar do lado dos trabalhadores. Podem ficar tranquilos, desta mão aqui não sai sujeira", afirmou.
O ex-presidente do PT José Genoino, também condenado por corrupção ativa e formação de quadrilha, disse estar de "cabeça erguida". "O coração da gente está machucado, está doido, mas a cabeça está tranquila e erguida. Eu tenho a consciência da minha inocência. Aprendi na vida a nunca perder a esperança", disse. Genoino pegou 6 anos e 11 meses, e deve iniciar a pena em reg ime semi-aberto, ao contrário de Dirceu.
O ato em Osasco reuniu prefeitos, deputados e vereadores da legenda. Entre os dirigentes, estava presente o presidente estadual da sigla, Edinho Silva.

Você concorda?

Câmara dá reajuste de 49,4% para seus servidores e básico passará de R$ 10 mil



O projeto de resolução foi aprovado rapidamente por votação simbólica e já foi promulgado.


A Câmara dos Deputados aprovou um projeto aumentando os salários de parte de servidores de nível médio da Casa. A proposta sobe as quatro menores faixas salariais de técnico legislativo. O reajuste será de 49,4%.
Os salários dos quatro menores níveis variam de R$ 6.697,68 a R$ 7.129,51, com as gratificações, e subirão para a faixa salarial de R$ 10.007,11 a R$ 11.170,92, também consideradas as gratificações. O projeto vai beneficiar 350 servidores entre assistentes administrativos, paramédicos e agentes de polícia legislativa, segundo informações da assessoria de imprensa da Câmara. O impacto na folha de pagamento não foi informado.

Fonte: http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/politica/noticia/2012/11/camara-da-reajuste-de-49-4-para-seus-servidores-e-basico-passara-de-r-10-mil-3958927.html

Enquanto isso:

A MP 2215-01 LRM está engavetada no Congresso há mais de onze anos aguardando votação.
Ativos, inativos e pensionistas da PM-DF ganham quase “duas vezes mais” do que os integrantes das Forças Armadas, sendo que o dinheiro vem da mesma fonte pagadora: a União.

A Lei Nº 10.331, de 18 de dezembro de 2001, que regulamenta o Artigo 37, alínea X, da Constituição Federal para que os soldos sejam reajustados anualmente não é cumprida.


"Pecar pelo silêncio, quando se deveria protestar, transforma homens em covardes."Abraham Lincoln

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Nosso Símbolo

Os Brasileiros com problemas nas áreas de Saúde, Segurança, Educação e não quer dar AUMENTO SALARIAL.......... QUAL O MOTIVO??????? Sinal que dinheiro tem.

Enquanto isso a Sra. DILMA Repassa para CUBA


DILMA MANDA PIMENTEL REPASSAR VIA BNDES CRÉDITO DE US$ 2OO MILHÕES DE DÓLARES PARA A TIRANIA COMUNISTA CUBANA

Zona Especial de Mariel é construída em parceria com o Brasil é construído com financiamento conjunto de 640 milhões de dólares aportados pelo Brasil ((R$ 1,3 bilhão).

Brasil doa US$ 200 mil para vítimas do Sandy em Cuba e Haiti



O montante dado aos ditadorezinhos é de US$1,5 bilhões, cerca de dez vezes mais que o Brasil doou para colaborar com a reconstrução do Haiti. ( Esse presente é do Lula)



Dilma leva à ilha mais uma linha de crédito, dessa vez de US$ 523 milhões. Com isso, o financiamento brasileiro à ilha chega a US$ 1,37 bilhão.





Editorialista da ZH revisita a História



Trecho de editorial da publicação em papel mais acreditada expressa uma opinião sem qualquer apoio em fatos, da espécie propaganda mistificadora



Registre-se, para que não passe em branco, a estranheza deste escriba com um trecho de editorial da Zero Hora publicado na terça-feira passada, dia 13 (a data é coincidência). Intitulado “golpe na impunidade”, refere-se à condenação de José Dirceu a 10 anos e 10 meses de prisão, por crimes de formação de quadrilha e corrupção ativa. Nele, o editorialista escreve que a lei começa a valer para todos, “dos mais humildes aos mais poderosos”. Ou seja, “está sendo feita justiça”. Creio que concordamos todos com a opinião do jornal, ao menos a esmagadora maioria de gaúchos e brasileiros assustados com a impunidade dos criminosos de colarinho branco. Um trecho do editorial, no entanto, exige reparo, por constituir-se em verdade que não aconteceu: “O ex-ministro não está sendo condenado por sua história – com episódios de reconhecida relevância para a implantação da democracia no país. Está, isto sim, sendo punido por compactuar com uma trama que colocava em risco o próprio regime de liberdades que ajudou a consolidar”. Afinal, é implantar ou consolidar?

Por Erico Valduga

Demos de barato que o capitão do time de Lula tenha “compactuado” com a trama que resultou no maior escândalo de desvio de dinheiro público da história da República, mas de onde o editorialista tirou a afirmação de que o antigo terrorista, que pegou em armas para instalar no país um regime comunista, no molde de Cuba, onde se refugiou no período mais duro da ditadura militar, contribuiu com “episódios relevantes” para a democracia? O redator parece ter revisitado a História, e concluiu pela existência de comportamento que não encontra apoio em fatos, que são a matéria-prima do bom jornalismo. Deve, portanto, uma explicação aos leitores, em apoio à sua opinião, que passou a ser a do grupo RBS, do qual a ZH é portavoz. A explicação seria muito fácil, pois basta fornecer um exemplo, unzinho que o seja, de que o quadrilheiro e corrupto merece alguma consideração ante serviços prestados à nossa democracia. Ou o trecho estranho inscreve-se nos erros em bronze de que falou Mario Quintana.

Colmento:

Se ocorreu abertura foi graças ao Gen Figueiredo por razões pessoais.


"É para abrir mesmo. Quem quiser que não abra, eu prendo e arrebento."
Obs.: Confirmando a abertura política.



..Dilma teme surpresas com investigação de servidores da Receita sobre o patrimônio do filho de Lula





Exclusivo - Embora assuma o discurso globalitário do “combate à corrupção”, a Presidenta Dilma Rousseff anda hiperpreocupada com o risco de “rebeldia” entre servidores do alto escalão da Receita Federal. Dilm a recebeu preocupantes informações de que alguns funcionários de carreira órgão, à revelia do governo, promovem um acompanhamento pente fino da veloz evolução patrimonial do empresário Fábio Luis da Silva – filho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – que a mídia chama popular e pejorativamente de “Lulinha” (apelido que Fábio nunca usa na vida pessoal).



Lula já teria pedido a Dilma para interceder no caso. Ela já avisou que nada pode fazer. O ex-presidente tentou, inclusive, contatos com a cúpula da Super Receita. Recebeu a mesma mensagem de que nada pode ser feito. Foi-lhe lembrado que o acompanhamento patrimonial dos contribuintes, dentro da lei e respeitando sigilos, é um dever funcional dos servidores concursados da Receita. Lula teme que vazem informações também eventuais sobre seu patrimônio pessoal. E como sabe muito bem que o "movimento de combate à corrupção" é uma ordem de fora para dentro do Brasil, se apavora com o risco de retaliações promovidas por inimigos ligados à oposição.



Além do medo de “surpresas desagradáveis” com servidores sérios e independentes da Super Receita, Dilma encara outra guerra institucional. A Presidenta e seus ministros são cada dia mais mal vistos pelo Fórum Nacional da Advocacia Pública Federal - integrado por sete entidades de procuradores da Fazenda, Previdência Social, do Banco Central e de procuradores lotados em autarquias e ministérios. A entidade enxerga uma intenção do governo em submeter às vontades de militantes petistas todos os setores jurídicos da área federal.



O primeiro alvo do aparelhamento petista é a Advocacia-Geral da União. Luís Inácio Adams, chefe do órgão, elaborou um projeto de lei complementar que prevê a nomeação, como advogados federais, de pessoas de fora da carreira e sem concurso. O projeto de Adams considera “infração funcional o parecer do advogado público que contrariar as ordens de seus superiores hierárquicos”. O Fórum Nacional da Advocacia Pública Federal define o plano como “um atentado ao Estado Democrático de Direito e põe em risco a existência da própria AGU".



Luis Inácio Adams é mais um do governo Dilma na corda bamba. Cotado para assumir a Casa Civil do Palácio do Planalto na próxima e urgente reforma ministerial que Dilma Rousseff promoverá no começo do ano, agora tem tudo para não emplacar no cargo. Também pode ver naufragar seu objetivo maior de ser indicado para o Supremo Tribunal Federal, tal qual seu antecessor José Dias Toffoli.



Alvos de processos pesados, como o do Mensalão e seus desdobramentos, os petistas definiram como prioridade o “aparelhamento” da máquina Judiciária. Além de indicar ministros aliados para o Supremo Tribunal Federal e para o Superior Tribunal de Justiça, o partido também quer ter um controle maior sobre a Advocacia Geral de U nião, para impedir que o órgão não crie problemas para os negócios feitos entre a União os empresários parceiros.



Por Jorge Serrão – http://www.alertatotal.net/

Determino aos comandantes, chefes e diretores de Organizações Militares, em todos os escalões,

DUVIDO AS UNIDADES E DIRETORIAS ESTÃO CUMPRINDO ESSA ORDEM......

Determino aos comandantes, chefes e diretores de Organizações Militares, em todos os escalões, a implantação, em trinta dias, da seguinte rotina no tratamento de militares da reserva remunerada/reformados:




1. Ao ingressar em uma OM o militar da reserva remunerada/reformado deverá ser identificado e receber um indicativo onde constem claramente posto/graduação e nome;



2. A partir desta identificação o militar da reserva remunerada/reformado deve ser chamado pelo indicativo do posto/graduação que precede seu nome e o tratamento e sinais de respeito que lhe são devidos e previstos no Regulamento de Continências, Honras e Sinais de Respeito.



Distribuição: Lista F (Todas as OM)

Difusão: a critério dos destinatários



Demonstrações de apreço aos companheiros da Reserva

Anualmente, um número significativo de militares solicita sua transferência para a reserva remunerada ou é reformado, após vários anos de dedicação integral ao serviço e ao País (ao Estado, a Sociedade). O tempo de convivência com os companheiros da caserna, os valores assimilados e os transmitidos, bem como a satisfação pessoal pelo trabalho desenvolvido durante o serviço ficam arraigados de maneira permanente em cada militar.

Assim sendo, enfatizo o cuidado e a atenção que todos devemos dispensar àqueles que, merecidamente, ingressam na nova etapa de suas vidas ao deixarem o serviço ativo. Para tal, o militar da reserva remunerada/reformado deverá receber os sinais de respeito que lhe são devidos e previstos no Regulamento de Continências, Honras e Sinais de Respeito, assim que se identifique após o que deve ser chamado pelo indicativo do posto/graduação que precede seu nome.

O tratamento respeitoso e cordial aos companheiros da reserva remunerada/reformados

deve expressar o justo reconhecimento àqueles que nos antecederam e continuam sendo legítimos integrantes da Instituição.

Portanto, recomendo aos comandantes, chefes e diretores de Organizações Militares, em todos os escalões, que seja compromisso do Exército Brasileiro “servir bem aos que já serviram”.



Brasília-DF, 18 de janeiro de 2012.


General de Exército Enzo Martins Peri

Comandante do Exército

Não Esqueça

http://www.avaaz.org/po/petition/Votacao_no_Congresso_Nacional_da_Medida_Provisoria_221501_LRM_Lei_de_Remuneracao_dos_Militares/?cUbqwdb

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Estados que sustentam o Brasil. Pasmem !!!

Tínhamos esse sentimento. Entretanto não sabíamos da veracidade desses números, cujas diferenças são astronômicas . Dá para fazer uma boa reflexão acerca da situação econômica e social das regiões, bem como o uso pelo poder político da situação. E ainda querem criar mais estados no Brasil.

Na federação norte-americana, a regra básica foi que para entrar na União, o Estado produzisse riquezas e fosse auto-suficiente... E aqui, existe regra?

Veja abaixo quanto cada Estado recebe e repassa ao Governo Federal (via arrecadação de Impostos ). Depois faça as contas e veja quem sustenta quem? É assustador...

O Brasil que trabalha...

EstadoQuanto paga ao governo federalQuanto recebe do governo federalEm vermelho ficou devendo e Verde Fica sobrando

O Brasil que trabalha...


EstadoQuanto paga ao governo federalQuanto recebe do governo federalEm vermelho ficou devendo e Verde Fica sobrando


Maranhão 1.886.861.994, 849.831.790.540,24 -7.944.928.545,40




Bahia 9.830.083.697,06 17.275.802.516,78 -7.445.718.819,72



Pará 2.544.116.965,09 9.101.282.246,80 -6.557.165.281,71



Ceará 4.845.815.126,84 10.819.258.581,80 -5.973.443.454,96



Paraíba 1.353.784.216,43 5.993.161.190,25 -4.639.376.973,82



Piauí 843.698.017,31 5.346.494.154,99 -4.502.796.137,68



Alagoas 937.683.021,32 5.034.000.986,56 -4.096.317.965,24



Pernambuco7.228.568.170,86 11.035.453.757,64 -3.806.885.586,78



Rio Grande do Norte 1.423.354.052,68 5.094.159.612,85 -3.670.805.560,17



Tocantins 482.297.969,893.68 7.285.166,85 -3.204.987.196,96



Sergipe 1.025.382.562,893.88 4.995.979,60 -2.859.613.416,71



Acre 244.750.128,94 2.656.845.240,92 -2.412.095.111,98



Amapá 225.847.873,822.06 1.977.040,18 -1.836.129.166,36



Rondônia 686.396.463,362.48 8.438.619,93 -1.802.042.156,57



Mato Grosso 2.080.530.300,55 3.864.040.162,26 -1.783.509.861,71



Roraima 200.919.261,72 1.822.752.349,69 -1.621.833.087,97



Mato Grosso do Sul 1.540.859.248,86 2.804.306.811,00 -1.263.447.562,14



Goiás 5.397.629.534,72 5.574.250.551,47 -176.621.016,75



Amazonas 6.283.046.181,11 3.918.321.477,20                         2.364.724.703,91



Espírito Santo 8.054.204.123, 903.639.995.935,80                    4.414.208.188,10



Santa Catarina 13.479.633.690,29 5.239.089.36                        4,898.240.544.325,40



Minas Gerais 26.555.017.38 4,8717.075.765.819,42                  9.479.251.565,45



Paraná 21.686.569.501,93 9.219.952.959,85                             12.466.616.542,08



Rio Grande do Sul 21.978.881.644,52 9.199.070.108,62            12.779.811.535,90



Rio de Janeiro 101.964.282.067,55 16.005.043.354,79              85.959.238.712,76



São Paulo 204.151.379.293,05 22.737.265.406,96                  181.414.113.886,09




Maranhão - O que recebe mais esmola, seguido da Bahia e do Pará.

E a conta só não está mais feia porque não listamos Brasília, a CAPITAL DOS "ALI-BABÁS"...



Agora você entende porque a popularidade "deles", lá em cima, é muito alta?

Dos estados da federação:

a) 18 = Dão prejuízo, recebem, chupam, mordem...

b) 08 = Dão Lucro (Pagam pra Viver).

Divulgue a seus amigos.

Eles também devem conhecer.



"O único lugar onde sucesso vem antes do trabalho é no dicionário." (Einstein)



E A TERRA DO SARNEY OCUPA O PRIMEIRO LUGAR.. SINAL QUE ELES NÃO PAGAM OS IMPOSTOS DEVIDOS....................ONDE ESTA A RECEITA FEDERAL????