quinta-feira, 28 de julho de 2011

Crise Jobim-Dilma começou no Rio

O rompimento de Nelson Jobim (Defesa) com a presidenta Dilma Rousseff se deu veladamente numa reunião a portas fechadas no Rio, em janeiro. Ele anunciou o Exército no controle das ações na região serrana, atingida pelas chuvas. Mas foi desautorizado na frente do governador Sérgio Cabral. Dilma o interrompeu e deu aval para o vice, Luiz Pezão, comandar o socorro. Jobim também se indispôs com o ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) sobre o Plano de Fronteiras.


É guerra

Jobim não quer a participação da PF e do Ministério da Justiça no Plano de Fronteiras. Para ele, é responsabilidade do Exército. Perdeu de novo.


Biquinho

O ministro da Defesa força a sua saída do governo, como adiantou essa coluna. Seu sonho é ser opção do PMDB à Presidência algum dia.


Tô nem aí

A revelação de Jobim à Folha de S.Paulo de que votou no tucano José Serra, na eleição presidencial, piorou sua relação com o próprio PMDB.


A jato

Jobim só pensa na compra dos caças da FAB. Foi ele o artífice de passeio de congressistas em Paris, pagos pela Dassault, em junho.


Por Claudio Humberto

Nenhum comentário:

Postar um comentário