quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

FESTA DA POSSE da Dilma

Opção de Dilma pela PF causa ciúmes em militares na posse 29.12.2010

Brasília - A escolha da presidente eleita, Dilma Rousseff, pela escolta da Polícia Federal na posse provocou uma disputa entre a corporação e os militares do Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Durante o percurso na Esplanada, Dilma estará sob a proteção da PF, contrariando o protocolo de cerimônias anteriores. Desta vez, os agentes acompanharão o carro da presidente até o Congresso. Os militares — responsáveis pela proteção do presidente, do vice e dos familiares — assumem em seguida a segurança de Dilma. Atualmente, o GSI vigia a filha, o genro e o neto de Dilma.

Um coronel fez questão de reforçar à reportagem que o trabalho de segurança institucional é militar. "Quem vai decidir é o GSI. A PF só vai fazer escolta. É uma questão de cerimonial. Não é nada demais", disse, destacando que o reforço nem era necessário e que a competência é do gabinete. "Está na lei". Já a PF defende a responsabilidade de coordenar o desfile e a segurança de Dilma. Parte da equipe atual acompanha a presidente desde que ela se candidatou ao cargo. Em 2003, agentes do GSI foram buscar Lula na Granja do Torto, o que causou constrangimento nos policiais federais que o escoltavam desde a eleição.

Um dos ruídos durante a organização da cerimônia foi a localização da cavalaria. Nas posses anteriores, os Dragões da Independência marchavam ao lado do carro do presidente. Este ano, seis policiais federais vão acompanhar a pé o trajeto do carro da presidente eleita. A PF defende que a medida é uma questão de segurança e de garantir a visibilidade do público. Em 2002, um cavalo caiu durante o percurso do presidente Lula na Esplanada.

Em entrevista coletiva no domingo, data do ensaio oficial da posse, o Comando Militar do Planalto minimizou a retirada da cavalaria. O coronel Penteado afirmou que os cavalos foram retirados porque se assustavam com o público. Entretanto, houve discussão no ensaio. À frente da comitiva, os Dragões seguiam lentos e não conseguiam acompanhar as motocicletas.

Tensão

Oficialmente, a polícia afirma que está cumprindo a função institucional de fornecer a segurança até a posse no Senado. Afirma ainda que um conjunto de forças é responsável por garantir a cerimônia. O GSI também nega ruídos.

Entretanto, esse não é o primeiro embate entre militares e PFs. ontes ligadas ao Planalto afirmaram que Dilma Rousseff estudou, durante o período de transição, a desmilitarização do GSI. Entretanto, a proposta não foi levada adiante. O modelo seria o mesmo de outros países em que um civil assume o controle da segurança presidencial. Uma ala da PF pleiteava a função.

Em outros dois eventos – Cúpula do Mercosul, em Ouro Preto (MG), e reunião dos Brics, em Brasília, o GSI e a PF também não se entenderam sobre a segurança. No Brasil, os federais são responsáveis pela proteção dos chefes internacionais, mas não podem fazer a proteção do presidente da República. Delegados criticam essa situação.

Ensaio

Nesta quinta-feira, a Polícia Federal realiza um último treinamento antes da posse, reunindo os 65 agentes que atuarão na escolta de Dilma. A PF faz parte do efetivo de 3,8 mil integrantes dos órgãos de segurança que estarão presentes na Esplanada dos Ministérios, no sábado, reunindo policias civis, militares, rodoviários federais e as três Forças Armadas. Ontem, os militares realizaram a última reunião para definir a forma de trabalho no dia 1º.

Pelo menos mil soldados do Exército estarão envolvidos na segurança do evento, principalmente dando suporte à PM na vigilância do trecho onde Dilma passará, a partir das 14h de sábado. Eles devem evitar invasão do público que estará em um cercado. A intenção é evitar que presidente eleita não tenha contato com as pessoas que estiveram assistindo seu deslocamento, como aconteceu em 2003 durante a posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, quando populares cercaram o Rolls-Royce em que ele estava, acompanhado pela primeira-dama Marisa Letícia.

Dilma será escoltada por seis agentes federais mulheres — um pedido da presidente eleita —, que serão cercadas por outras duas fileiras de policiais homens. A segurança especial a pé será a partir da Catedral de Brasília, quando o comboio vindo da Granja do Torto trocará o carro fechado de Dilma pelo Rolls-Royce. A partir deste momento, vários policiais espalhados pela Esplanada serão acionados, inclusive snipers — atiradores de elite — distribuídos na cobertura de ministérios. O Exército também vai manter soldados com essa especialidade em locais não revelados.

Outros 700 militares das três forças estarão fazendo o cerimonial, como ajudante de ordens das autoridades estrangeiras, além da Guarda Presidencial, que estão subordinados diretamente ao Palácio do Planalto. A segurança por parte do Exército, Marinha e Aeronáutica, ficará centralizado no Centro da Operação Posse instalado no Comando Militar do Planalto (CMP). "Vamos atuar de todas as formas possíves e imagináveis para garantir a tranquilidade no dia da posse", ressalta o coronel Carlos Penteado, porta-voz do CMP.

Fonte: Correio Braziliense

Governo lança hoje novo documento de identidade

Será lançado hoje, em Brasília, o Registro de Identidade Civil (RIC), o novo documento de identidade dos brasileiros, que deve substituir o atual RG. A carteira de identidade continuará válida pelo menos até que todos os cidadãos tenham sido recadastrados, segundo informações do Ministério da Justiça.

O novo documento conta com diversos mecanismos de segurança, além de um chip, onde estarão armazenadas as impressões digitais do titular e informações como sexo, nacionalidade, data de nascimento, foto, filiação, naturalidade, assinatura, órgão emissor, local de expedição, data de expedição, data de validade do cartão e dados referentes a outros documentos, como título de eleitor e CPF.

Segundo o Ministério da Justiça, com o RIC, cada cidadão passa a ter um número único baseado em suas impressões digitais do Cadastro Nacional de Registro de Identificação Civil, que estará integrado com as bases de dados dos órgãos de identificação dos estados e do Distrito Federal.

As primeiras cidades a participarem do projeto piloto serão Brasília, Rio de Janeiro, Salvador, Hidrolândia (Goiás), Ilha de Itamaracá (Pernambuco), Nísia Floresta (Rio Grande do Norte) e Rio Sono (Tocantins). Nesta primeira etapa, 2 milhões de brasileiros serão selecionados para receber o RIC.

A implantação do RIC ocorrerá em um período de nove anos, com etapas graduais. Os cartões RIC emitidos em 2011 serão custeados pelo Ministério da Justiça e não terão custo para o cidadão ou para os institutos de identificação. O investimento no primeiro ano será de cerca de R$ 90 milhões. Para os próximos anos, o Comitê Gestor do RIC vai definir a origem dos recursos que vão custear as emissões, sendo possível, inclusive, parcerias público-privadas e financiamento internacional.

O lançamento acontece no Salão Negro do Palácio da Justiça, às 12h, e contará com a presença do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), do ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, do diretor do Instituto Nacional de Identificação, Marcos Elias de Araújo, do diretor-presidente do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, Renato da Silveira Martini, e do presidente da Casa da Moeda do Brasil, Luiz Felipe Denucci, entre outras autoridades.

http://br.noticias.yahoo.com/s/30122010/25/manchetes-governo-lanca-hoje-novo-documento.html

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Desmatamento na Amazônia leva à descoberta e extinção de espécies

Desmatamento na Amazônia leva à descoberta e extinção de espécies




LIMA (AFP) - Na Amazônia peruana, uma espécie de ave é descoberta por ano, e uma de mamífero a cada quatro, mas, paradoxalmente, cada nova descoberta faz parte de uma tragédia, pois ocorre devido ao desmatamento realizado por empresas de petróleo, mineradoras e madeireiras.

Por isso, em muitos casos, a descoberta de uma nova espécie caminha lado a lado com o começo de sua extinção.

"As descobertas de aves, mamíferos e outras espécies na maioria ocorrem devido não a uma pesquisa científica, que custa muito dinheiro, mas pela presença de empresas petroleiras, mineradoras e de corte de árvores", disse à AFP Michael Valqui, da ONG conservacionista Fundo Mundial para a Natureza (WWF-Peru).

"Este tipo de descoberta põe em risco a espécie que se descobre, já que pode entrar em risco de extinção porque este lugar é seu único hábitat, devido ao clima ou bacia", acrescentou.

Entre as novas espécies descobertas nos últimos cinco anos estão a rã 'Ranitomeya amazonica', com coloração de fogo na cabeça e patas azuis, o papagaio-de-testa-branca e o beija-flor-de-colar-púrpura.

O Peru é o quarto país do mundo em extensão florestal, com 700.000 km2 de florestas tropicais amazônicas, que contribuem para reduzir o aquecimento global e abrigam grande biodiversidade.

Em outubro, mais de 1.200 novas espécies foram apresentadas em uma cúpula das Nações Unidas sobre biodiversidade. Delas, cerca de 200 foram descobertas na Amazônia peruana.

A região tem 25.000 espécies de plantas - 10% do total mundial - e é o segundo lugar do mundo com mais diversidade de aves, abrigando 1.800 espécies. Também ocupa o quinto lugar do mundo no que diz respeito à diversidade de mamíferos (515 espécies) e répteis (418 espécies).

Para Ernesto Ráez, diretor do Centro para a Sustentabilidade Ambiental da Universidade Cayetano Heredia, de Lima, "o número de espécies que desaparece para sempre no mundo todos os dias é muito superior ao número de espécies que descobrimos todos os dias".

"Há espécies, em outras palavras, que desapareceram antes que as tenhamos conhecido", disse.

A Amazônia peruana deve fazer frente a um agressivo programa estatal de exploração petroleira e mineradora, que tem confrontado o governo e as comunidades indígenas do local.

"Uma empresa mineradora ou de hidrocarbonetos não é, em si mesma, destrutiva; a chave é se é limpa ou não", explicou Gérard Hérail, do Instituto de Pesquisas e Desenvolvimento de Lima (IRD, na sigla em francês).

Segundo os cientistas, a lagartixa de Lima, um animal de hábitos noturnos encontrado apenas em 'huacas' (santuários arqueológicos) da capital peruana, está prestes a se extinguir, enquanto outras espécies já desapareceram, como o rato endêmico da 'lomas' ou encostas ('Calomys sp', um ratinho orelhudo).

"Os arqueólogos, ao limpar as 'huacas' para sua restauração, destroem o hábitat da lagartixa de apenas dois a três centímetros, com cor avermelhada, que vive nos recantos e locais escuros do local", disse Valqui, do WWF-Perú.

Em 2009, o governo propôs, perante um organismo internacional sobre mudanças climáticas a preservação de 540.000 km2 de florestas e reverter processos de corte e queima para reduzir o desmatamento.

Atualmente, há no Peru 70 áreas naturais protegidas, que ocupam 200.000 km2, 15% do território nacional
No entanto, "faltam sinais claros para dizer até onde o país vai na defesa de sua biodiversidade", disse à AFP Iván Lanegra, defensor adjunto para o Meio Ambiente da Defensoria do Povo.

Para Nicolás Quinte, biólogo guia do Parque Nacional do Manu, no Amazonas, deve-se promover "as atividades que não sejam claramente extrativistas, mas também produtivas e que sejam sustentáveis com o passar do tempo. Uma delas pode ser o turismo que usa a floresta sem destruí-la".

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

FUTURO GOVERNO DILMA ROUSSEF

FUTURO GOVERNO DILMA ROUSSEF
Hugo StudarT


O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o xyzwhijp que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais.”


Bertolt Brecht


UMA ANÁLISE DO GOVERNO DILMA ROUSSEF – Hugo Studart

É uma análise - como existem outras, diferentes - para ser lida e conferida com o decorrer dos fatos.Foi escrita antes das eleições, mas dois fatos já estão confirmados: o Lula escolheria o ministério; o Jobim, mesmo tendo divergências com ela, seria confirmado como ministro.O restante, como disse, só o tempo confirmará ou negará.
Conheci Dilma o suficiente para arriscar algumas previsões sobre seu governo. Se o câncer não a pegar, vai trair Lula em menos de dois anos. Logo-logo os ministros com espinha-dorsal vão cair fora por não aguentarem humilhações e maus-tratos; e seu governo será integrado exclusivamente por invertebrados com interesses pessoais não-republicanos. Seu lado bom é que na economia vai tentar crescer mais do que Lula ousou. Contudo, Dilma vai aprofundar uma economia baseada nos oligopólios setoriais, no qual cerca de 30 mega-corporações vão receber todo apoio do Estado para criar o sub-imperialismo sul-americano. Vejam por quê:
Getúlio Vargas gostava de se apresentar como “Pai dos Pobres”. A velha UDN , sempre corrosiva, acusava-o de ser também “Mãe dos Ricos”. Nada mais pertinente para aquele que foi, simultaneamente, o pai do populismo e a mãe do desenvolvimentismo brasileiro. Como Getúlio, Lula fez dois governos populistas, distribuindo, à moda de César, pão e circo aos plebeus. E ajudou tanto os banqueiros, os grandes empresários e os muito ricos, que Getúlio, se vivo estivesse, ficaria constrangido de rubor. Mas o crescimento econômico na Era Lula foi absolutamente medíocre. Se as previsões de que Dilma Roussef vai dar continuidade ao lulismo, como promete, tudo leva a crer que venha a ser, como Getúlio e Lula tentaram, a primeira e verdadeira “mãe dos pobres e pai dos ricos”.
Quem conhece bem Dilma Roussef garante que seria uma doida de pedra, caso de camisa de força, um misto de Nero com Stalin, grosseira como o primeiro e totalitária como o segundo. Talvez seja exagero da oposição, talvez… Como um acadêmico, devo evitar usar certos adjetivos fortes. De qualquer forma, relato aos senhores, prezados leitores, que eu a conheci pessoalmente, eu jornalista, ela autoridade do governo Lula. Primeiro como ministra das Minas e Energia, depois como chefe da Casa Civil.
Tivemos algumas entrevistas, nas quais só ela respondia e eu pouco perguntava. Fiz parte da regra, não sou exceção. Nossa primeira entrevista começou 1h30 da madrugada e se estendeu até as 3h. Não me lembro de ter conseguido fazer mais do que duas ou três perguntas. Venho acompanhando há oito anos sua trajetória pública, os bastidores das suas aventuras. Tenho o orgulho de ter sido o primeiro jornalista a registrar a decisão de Lula de fazê-la candidata à sua sucessão. O acordo era Dilma governar apenas um mandato, quatro anos, mantendo a cadeira para Lula se candidatar em 2014. Somente uns três meses depois começaram as especulações sobre Dilma candidata. Enfim, conheço Dilma o suficiente para registrar aqui algumas previsões sobre seu futuro governo, caso se confirme nas urnas o que avisam as pesquisas.

ROMPIMENTO COM LULA

Como suas alianças com os aiatolas e com Hugo Chávez foram passos absolutamente idiotas e irreversíveis, Lula perdeu a chance de realizar o sonho de presidir a ONU ou ganhar o Nobel da Paz. Mas não vai se conformar em vestir o pijama, não quer virar um Fernando Henrique. Lula vai querer ficar dando pitaco em tudo. Quanto a Dilma, totalitária em seu DNA, stalinista e prepotente, vai começar a achar que ganhou a eleição pelos seus belos olhos, por sua suposta competência como “mãe do PAC”. Vai querer fazer seu próprio governo. Os dois vão acabar rompendo. No máximo em dois anos, anotem aí.

FORMAÇÃO DA PRIMEIRA EQUIPE

Ela deve aceitar que seu governo, numa primeira fase, seja nomeado por Lula e pelos dois “rasputins”, José Dirceu e Antônio Palocci. O PT vai ficar com o núcleo duro, ou seja, as áreas de coordenação política e económica. Dilma tem poucos quadros pessoais, como Erenice Guerra (finada, foi-se) e Valter Cardeal (agora queimado). Sobrou Maria Luiza Foster, hoje diretora da Petrobrás e alguns raros novos amigos, como o petista José Eduardo Cardoso e José Eduardo Dutra. Quanto aos demais ministérios, a serem loteados com os aliados, o PT vem tentando avançar sobre as áreas onde dá para fazer mais caixa dois. Contudo, a tendência é manter os atuais feudos. Até ai, nenhuma grande novidade. Vamos então às previsões.

SEGUNDA EQUIPE DE GOVERNO

Em menos de um ano, anotem aí a previsão, os ministros com alguma personalidade, algum caráter ou vergonha na cara, começarão a pipocar do governo em razão de grosserias, humilhações, futricas e maus tratos da mandatária. Nelson Jobim, que tende a ficar na Defesa (assim Dilma não precisa entregar ao PMDB mais um ministério onde dá para fazer caixa), deverá ser dos primeiros. Mas sai ainda em 2011, anotem aí. Esses ministros serão em quase totalidade substituídos por gente de terceira categoria, capachos dispostos a aguentar as explosões emocionais da mandatária em troca de algum interesse inconfessável.

NOVOS AMIGOS

Vai ter um momento que a Dilma vai estar cercada essencialmente de invertebrados e de batedores de carteira. Gente da pior qualidade, capachos despreparados mas com interesses privados claros, como a finada Erenice Guerra. É muito curioso que seu principal consigliere, atual melhor-amigo-de-infancia, seja o suplente de senador Gim Argello, do PTB do DF. Vale à pena acompanhar o governo Dilma pelos passos (e enriquecimento) de Gim.

DIRCEU OU PALOCCI?

De gente que pensa, a tendência é ficar apenas com Franklin Martins, antigo companheiro de armas, e José Eduardo Cardozo. Entre Dirceu e Palocci, aposto no segundo a longo prazo. Dirceu controla o PT; a tendência é Dilma querer se livrar dos grilhões, querer ficar livre, leve e solta para buscar um vôo-solo. Palocci controla o “mercado”, ou seja, as contribuições do caixa dois. Pode ser bem mais útil para Dilma.

PARALISIA ADMINISTRATIVA

O governo não vai andar, vai ficar todo travado por conta do excesso de centralismo democrático da presidenta. Ela acredita que informação seja poder. Não vai dividir informação com ninguém. Alias, enquanto foi ministra da Casa Civil, o governo só andou porque Lula colocou duas assessoras pessoais e suas equipes para controlar os ministérios pelos bastidores, Miriam Belchior e Clara Ant. Com sua mania de centralizar, controlar e querer saber de tudo, Dilma sempre atrapalhou mais do que ajudou.

RELAÇÃO COM O CONGRESSO

Tende a ser desastrosa. Dilma jamais gostou de negociar. O negócio dela é impor. Os parlamentares eleitos, por sua vez, têm em quase totalidade o DNA clientelista, franciscano, “é dando que se recebe”. Dilma tende a perder a paciência e a tentar passar o trator no Congresso, como registra todos os episódios de sua biografia. Paralisia política, impasses institucionais, talvez até crise de poderes. Ela não deve conseguir aprovar no Congresso nenhuma reforma relevante. O que não aprovar em seis meses, no máximo no primeiro ano de governo, não deve aprovar mais. A não ser que caia na tentação de tentar o “chavismo”.

IDEOLOGIA? ORA, O NEGÓCIO É…

Engana-se quem acredita que a ex-guerrilheira Dilma seja movida pela ideologia. Nos tempos de militância esquerdista e clandestinidade, ela notabilizava-se entre os guerrilheiros por duas características singulares. Primeiro, o amor pela frutrica e por provocar divisões. O ex-companheiro Carlos Lamarca morreu chamando-a de “cobra”, “maquiavélica”. Outra característica era sua atração pelo dinheiro. Ela convenceu Lamarca que tinha uma grande organização, a Colina, com milhares de militantes prontos a pegar em armas pela revolução. Tinha só ela, o marido de então, um companheiro bonito chamado Breno e mais dois ou três gatos-pingados. Convenceu Lamarca a fundir o grande Colina e com a VPR em igualdade de condições, criando a VAR-Palmares. Convenceu Lamarca a assaltar o cofre do Adhemar de Barros, no mais ousado episódio da guerrilha. Por fim, convenceu a todos a rejeitar o “militarismo” de Lamarca e seus sargentos. Ela e o marido ficaram com o controle de quase todo o dinheiro do assalto, deixando Lamarca em dificuldades.

CAIXA DE CAMPANHA

Faço aqui uma previsão tão ousada quanto polémica. Nossa presidenta tende a tentar fazer seu próprio caixa de campanha, fora do caixa dois do PT, a fim de ganhar a independência em relação Lula. Ela sonha ter o próprio grupo. Precisa de dinheiro para financiar a política.

BRASIL GRANDE

Do lado bom, Dilma vai tentar acelerar um pouco o crescimento económico. Isso é tão certo quanto o futuro rompimento com Lula. Como Adhemar, Médici e Maluf, ela gosta de obra grande, de usinas hidroelétricas gigantescas, de portos e auto-estradas rasgando a imensidão desse Brasil. Deveria ter sido ministra do governo Medici. Quer ressuscitar o Brasil Grande, mas com um viés de esquerda – ou daquilo que ela chama de esquerda. Confesso que não consigo ver muita diferença no PAC de Dilma com os projetos de Médici e Geisel.

SUB-IMPERIALISMO BRASILEIRO

No plano internacional, não vai trombar em hipótese alguma com os EUA. Acho até que vai dar uma guinada à direita. O jogo internacional dela é o sub-imperialismo. Vai usar dinheiro público para financiar grandes corporações brasileiras, criar oligopólios nacionais e sul-americanos. Os maiores beneficiários de seu governo serão Gerdau, Odebrecht, Andrade Gutierrez, Votorantim, Bradesco, etc. E a Vale? Ora, a Vale é do Bradesco.

OLIGOPÓLIOS

Noam Chomsky, o mais instigante pensador da atualidade, tenta explicar a economia globalizada de uma forma singular. Segundo ele, não vivemos o capitalismo, nem nos Estados Unidos, nem na Europa. O sistema que haveria seria o do estatismo oligopolizante. A economia é toda organizada por oligopólios, com cinco ou seis mega-corporações dominando cada um dos principais setores da economia – bancos, siderúrgica, petro-química, midia, fármacos, tecnologia, etc. Ao sistema não interessa monopólios, como o que a Microsoft tentou firmar, mas sim oligopólios. E essas mega-corporações oligopolistas, por sua vez, precisam da ajuda dos Estados e dos políticos para firmarem-se como corporações globais. Financiam os políticos que, no poder, lhes dão concessões de todo o tipo. Chomsky referia-se aos EUA, Europa e Japão.

Poderia estar falando do Brasil que Lula entrega à Dilma. Pensem num setor. Bancos, por exemplo: Há dois grandes estatais, BB e Caixa, dois privados nacionais, Bradesco e Itaú, e dois estrangeiros, Santander e HSBC – o resto não conta. Construção: Odebrecht, Andrade e Camargo. Se listarmos os cinco principais setores económicos – Bancos, Construção, Siderurgico-Metalúrgico, Petroquímico e Farmacêutico, vamos descobrir que, no Brasil, menos de 30 empresas controlam dois terços dos empréstimos subsidiados do BNDES e 90% dos investimentos dos fundos de pensão das Estatais. Outra curiosidade: essas 30 empresas desses cinco setores financiaram a maior parte da campanha de Dilma e do PT, deixando Serra e os tucanos na mão. Mas essa é outra história a ser contada em detalhes em outra ocasião.

Por enquanto fica aqui o registro: essas 30 empresas desses cinco oligopólios, vão receber no governo Dilma todo subsídio que precisarem do BNDES para consolidarem ainda mais o oligopólio interno e o sub-imperialismo na América do Sul. Também vão receber dinheiro direto dos fundos de pensão das Estatais para fazer o mesmo. O governo Dilm, enfim será essencialmente oligopolista e sub-imperialista. Anotem as previsões.



Hugo Studart

Jornalista e historiador, professor e pesquisador



Carlos Hugo Studart Corrêa é, brasileiro, jornalista e historiador, pesquisador dos Direitos Fundamentais no Século XXI. Nasceu em Natal (RN), a 08 jun 1961. Formou-se em Jornalismo pela Universidade de Brasília (UnB), especializou-se em Ciência Política, cursou Mestrado em História e é doutorando em História Cultural, pela UnB.

domingo, 26 de dezembro de 2010

PORTARIA Nº 1.225, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2010.

http://www.sgex.eb.mil.br/sistemas/be/boletins.php




COMANDANTE DO EXÉRCITO

PORTARIA Nº 1.225, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2010.

Reconhece como Guarnição Especial Categoria “A” em relação aos militares do Exército, com efeito retroativo, as localidades que foram consideradas para as demais Forças singulares pela Portaria nº 3.055/SC-1, de 5 de agosto de 1997, do Estado-Maior das Forças Armadas, durante o período de vigência da mesma, e dá outras providências.

MPM denuncia superintendente da Polícia Federal em Pernambuco por desobediência a decisão judicial

MPM denuncia superintendente da Polícia Federal em Pernambuco por desobediência a decisão judicial


por Assessoria de Comunicação Institucional - Última modificação 20/12/2010 15:05

A Procuradoria de Justiça Militar no Recife ofereceu denúncia contra o superintendente Regional da Polícia Federal em Pernambuco pela prática do crime de desobediência a decisão judicial, art 349 do Código Penal Militar. O denunciado, de forma livre e consciente, deixou de realizar perícia técnica requisitada pelo Ministério Público Militar.

Em abril de 2010, a PJM Recife requereu à Auditoria da 7ª Circunscrição Judiciária Militar diligências relacionadas a Inquérito Policial Militar que apura alterações contábeis e patrimoniais verificadas no 7º Depósito de Suprimentos do Exército, no Recife/PE. Entre os pedidos, a realização de perícia técnica, pela Polícia Federal, para que fosse esclarecidas questões referentes ao fornecimento de carne à citada unidade militar.

O requerimento foi deferido pela Justiça Militar e encaminhado à PF. Entretanto, em desacordo com o estabelece o art. 13, II, do Código de Processo Penal e o art. 30, IV, da Lei 8457/92 (Lei de Organização Judiciária Militar), delegada da Polícia Federal informou que, conforme orientação da Corregedoria-Geral, o procedimento não seria executado pois não estava entre as atribuições daquele Órgão.

O juiz-auditor da 7ª CJM reiterou o requerimento, em maio de 2010, ressaltando sobre as consequências penais decorrentes de eventuais descumprimentos. Contudo, demonstrando que não atenderia à ordem, o superintendente regional informou que não cumpriria as diligencias requisitadas pois “a perícia solicitada não se insere no rol de atribuições da PF”. Após o recebimento do ofício da PF, a Auditoria da 7ª CJM, mais uma vez, reiterou a requisição da perícia, esclarecendo que a sua não realização poderia ensejar representação pelo crime de desobediência. Em resposta, o denunciado informou que permaneciam os motivos que impossibilitavam o atendimento do pedido e relembrou que o assunto já fora submetido ao Órgão Central da PF.

A questão foi submetida à Advocacia-Geral da União que assim manifestou-se: “o juiz-auditor tem competência para requisitar das autoridades civis as providências necessárias ao esclarecimento dos fatos apurados em IPM, bem como para requisitar exames, perícias, diligências, e, também, nomear peritos. Recebida qualquer requisição expedida pelo Poder Judiciário da União para a execução de perícias, a Policia Federal devera oficiar a autoridade judicial comunicando a classificação que tomou esta ordem, estimando, quando possível, o tempo provável, para sua realização, sempre apresentando as devidas justificativas”.

Apesar das manifestações do Órgão Consultivo da União e da advertência feita pela Auditoria da 7ª CJM, o superintendente da Policia Federal, em oficio dirigido ao juiz-auditor, informou que não cumpriria a diligencia, o que, para o MPM caracteriza o delito de desobediência a decisão judicial, art 349 do CPM. A denúncia já foi recebida pela Auditoria da 7 CJM.

RJ: cinco pessoas presas pelo Exército

RJ: cinco pessoas presas pelo Exército

Joel Silva/Folhapress


EXÉRCITO EM OPERAÇÃO NO ALEMÃO Desde o início da ocupação do Exército ocorrida na última quarta (22), militares e policiais já prenderam cinco pessoas por diversos crimes dentro dos complexos da Penha e do Alemão, no Rio de Janeiro. Segundo o oficial de comunicação da tropa, major Fabiano Lima de Carvalho, o caso mais grave foi a prisão de um homem com 60 sacolés de cocaína e R$ 4.600 em dinheiro. Porém, desde a ocupação, não há nenhum confronto entre criminosos e a força de pacificação, tropa formada por militares e policiais que ocupa os conjuntos de favelas. Informações da Agência Brasil.

" Militar, acesse os sites indicados e fale sobre os assuntos da caserna. Passe: Dicas, noticias, bizús, modelos doc, ações, requerimentos. amparos, etc "




VAMOS INICIAR O ANO DE 2011 COM ADESÃO EM MASSA NO TIME ABAIXO:


http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/4335

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Cubo de gelo gigante na Antártica ajudará na busca por matéria negra

Cubo de gelo gigante na Antártica ajudará na busca por matéria negra


Qui, 23 Dez, 03h09

WELLINGTON (AFP) - Um extraordinário observatório subterrâneo de partículas subatômicas foi concluído dentro de um enorme cubo de gelo com um quilômetro de extensão em cada face, no subterrâneo no Polo Sul, informaram cientistas.

A construção do IceCube, o maior observatório de neutrino dos mundo, levou uma década de trabalho na tundra antártica e ajudará os cientistas a estudar as partículas espaciais na busca da matéria negra, material invisível que integra a maior parte da massa do universo.

Segundo a Fundação Nacional de Ciências (NSF), dos Estados Unidos, o observatório, situado 1.400 sob a superfície, próximo à estação americana Amundsen-Scott, no Pólo Sul, custou mais de 270 milhões de dólares.
O cubo consiste de uma rede de 5.160 sensores ópticos, cada um do tamanho de uma bola de basquete, suspensos por cabos em 86 buracos no gelo, feitos com uma perfuratriz de água quente especialmente projetada.

A NSF informou que o último sensor foi instalado no cubo, que tem um quilômetro de cumprimento em cada direção, em 18 de dezembro. Quando estiver posicionado, ficará para sempre enterrado no permafrost, enquanto os buracos perfurados se encherão de gelo.

O interesse é estudar os neutrinos, partículas subatômicas que viajam a uma velocidade próxima à da luz, mas são tão pequenas que podem atravessar matéria sólida sem colidir com suas moléculas.

Os cientistas acreditam que os neutrinos tenham sido criados primeiro durante o Big Bang e ainda são gerados por reações nucleares em sóis e quando uma estrela morre, gerando uma supernova.

Trilhões deles passam por todo o planeta o tempo o todo, sem deixar vestígios, mas o IceCube busca detectar a luz azul emitida quando um neutrino ocasional colide com um átomo no gelo.

"O gelo polar antártico se revelou um meio ideal para detectar neutrinos", destacou a NSF em um comunicado no qual anunciou a conclusão do projeto.

"É excepcionalmente puro, transparente e livre de radioatividade", emendou.

Os cientistas afirmam que o IceCube é uma pedra fundamental para a pesquisa internacional e dizem que o estudo dos neutrinos os ajudará a entender as origens do Universo.

"Deste ponto privilegiado nos confins do mundo, o IceCube fornece um meio inovador de se investigar as propriedades de partículas fundamentais que estão na origem de alguns dos fenômenos mais espetaculares do Universo", acrescentou a NSF.

A maior parte do financiamento do IceCube veio da NSF, com contribuições de Alemanha, Bélgica e Suécia.

Cientistas de Canadá, Japão, Nova Zelândia, Suíça e Barbados também trabalharam no projeto, que é operado pela Universidade do Wisconsin em Madison.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Major suspeito de abuso contra menina de 14 anos

Caso em investigação



Major suspeito de abuso contra menina de 14 anos



Daniela Arbex

Repórter

Um major do Exército está sendo investigado por envolvimento sexual com uma adolescente de 14 anos. A pedido do comando da corporação, uma sindicância foi instaurada para apuração dos fatos e terá duração de 20 dias, podendo ser prorrogáveis. O oficial, de 40 anos, é militar há 20 anos e, há cerca de dois, está em Juiz de Fora. Casado, ele foi denunciado, recentemente, pelo pai da jovem, que registrou um boletim de ocorrência contra o oficial devido à descoberta do relacionamento. Se houver comprovação do crime, o major poderá responder processo penal na justiça comum por abuso sexual.

Localizado pela Tribuna, o documento registrado pela PM revela que, no dia 2 de dezembro, o genitor da adolescente foi alertado sobre o que estaria acontecendo entre ela e o oficial por uma amiga da filha. De acordo com o histórico da ocorrência, o pai localizou o celular da menina, onde teria encontrado várias mensagens românticas. Ao telefonar para o número indicado, o major teria atendido à chamada e se dirigido a ela de maneira íntima.

Abordada pelos familiares, a garota contou aos pais que o relacionamento teria se iniciado em julho. Ainda de acordo com a informação dada por ela, as conversas entre eles teriam sido iniciadas pela internet e que o major teria beijado a menina. A adolescente ainda relata que foi levada pelo major a motéis da cidade em três ocasiões, a primeira no início de setembro.

O relacionamento se manteve nos meses de outubro e novembro. Conduzida ao Hospital de Pronto Socorro (HPS), onde foi examinada, uma perícia médica constatou ruptura de hímen. Um superior de dia do Exército, lotado no 4º Depósito de Suprimentos, acompanhou a ocorrência.

Procurado pelo jornal, o relações públicas da 4ª Brigada de Infantaria Motorizada, major Carlos Henrique da Mota Couto, afirmou que o militar não está afastado das suas funções, pois a situação ainda está em fase de apuração.

Segundo o relações públicas, caso o resultado da sindicância confirme o desvio de conduta do militar, será instaurado processo judicial. Na possibilidade de condenação em período superior a dois anos, o major pode sofrer desde a perda da graduação até o afastamento dos quadros do Exército.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Entrega do IR 2011 começa em 1º de março, informa Receita Federal

Em 2011, não será mais permitida a entrega via formulários, lembra Receita.


Também é o último ano do acordo para correção de 4,5% da tabela do IR.



Alexandro Martello Do G1, em Brasília

A Secretaria da Receita Federal publicou nesta segunda-feira (13), no Diário Oficial da União, as regras para a declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) de 2011, ano-base 2010.

Segundo o órgão, o prazo de entrega da declaração do IR deste ano começa em 1º de março e vai até o dia 29 de abril. Quem perder o prazo está sujeito a uma multa mínima de R$ 165,74.

Formas de entrega

A declaração poderá ser enviada pela internet, por meio da utilização do programa de transmissão da Receita Federal (Receitanet), ou via disquete (nas agências do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal). Neste ano, pela primeira vez, não será permitida a entrega via formulários. O ano passado foi o último ano de entrega por meio de formulários.

Obrigatoriedade

Segundo a Receita Federal, estão obrigadas a apresentar a declaração as pessoas físicas que receberam rendimentos tributáveis superiores a R$ 22.487,25 em 2010.

Também estão obrigados a apresentar o documento os contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil no ano passado.

Também é obrigatória a entrega para quem obteve, em qualquer mês de 2010, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas.

Quem teve a posse ou a propriedade, em 31 de dezembro do ano passado, de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil, também deve declarar IR neste ano.

A obrigação com o Fisco se aplica também àqueles contribuintes que passaram à condição de residente no Brasil, em qualquer mês do ano passado, e nesta condição se encontravam em 31 de dezembro.

A regra também para quem optou pela isenção do imposto sobre a renda incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais, cujo produto da venda seja destinado à aplicação na aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias contados da celebração do contrato de venda.

Atividade rural

Também é obrigatória a entrega da declaração de IR 2010 para quem teve, em 2010, receita bruta em valor superior a R$ 112.436,25 oriunda de atividade rural. O documento também tem de ser entregue por quem pretenda compensar, no ano-calendário de 2010 ou posteriores, prejuízos de anos-calendário anteriores ou do próprio ano-calendário de 2010.

Completo ou simplificado

A Receita Federal lembra que os contribuintes podem optar por dois modelos na entrega do documento: simplificado ou completo. A regra para fazer a declaração simplificada continua a mesma: desconto de 20% na renda tributável. Este desconto substitui todas as deduções legais da declaração completa. Neste ano, o limite do desconto é de R$ 13.317,09. Em 2010, o limite foi de R$ 12.743,63.

No caso da dedução por dependentes, possível apenas por meio da declaração completa, o valor subiu de até R$ 1.730,40 em 2010 para até R$ 1.808,26 neste ano. Nas despesas com educação (ensino infantil, fundamental, médio, técnico e superior, o que engloba graduação e pós-graduação), o limite individual de dedução passou de até R$ 2.708,94, em 2010, para até R$ 2.830,84 neste ano.

Para despesas médicas, as deduções continuam sem limite máximo. Podem ser deduzidos pagamentos a médicos, dentistas, psicólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, hospitais, além de exames laboratoriais, serviços radiológicos, aparelhos ortopédicos e próteses ortopédicas e dentárias.

Declaração de bens e dívidas

Segundo o Fisco, a pessoa física deve relacionar, na declaração do IR, os bens e direitos que, no Brasil ou no exterior, assim como suas dívidas. De acordo com o órgão, ficam dispensados de serem informados os saldos em contas correntes abaixo de R$ 140, os bens móveis, exceto carros, embarcações e aeronaves, com valor abaixo de R$ 5 mil. Também não precisam ser informados valores de ações, assim como ouro, ou outro ativo financeiro, com valor abaixo de R$ 1 mil. As dívidas dos contribuintes, ou seus dependentes, que sejam menores do que R$ 5 mil em 31 de dezembro de 2010 também não precisam ser declaradas.


O ano da correção da tabela

Após quatro anos, a correção da tabela do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) chegou ao fim. O último percentual de reajuste, de 4,5%, incidirá nos valores em 2010, e será aplicado na declaração do Imposto de Renda de 2011. Depois disso, porém, não há nada fechado para que a atualização continue acontecendo.

Ao corrigir a tabela do IR, o governo abdica de arrecadação, uma vez que menos contribuintes passarão a pagar o Imposto de Renda. Ou aqueles que continuarão pagando, com o reajuste da tabela, seriam menos tributados. Para que o reajuste da tabela do IR continue acontecendo de 2011 em diante, com impacto nos anos seguintes, a presidente eleita, Dilma Rousseff, terá de dar o seu aval para um novo acordo com os sindicatos.

Imposto a pagar

Caso o contribuinte tenha auferido imposto a pagar em sua declaração do IR, a Receita informou que isso poderá ser dividido em até oito cotas mensais, mas nenhuma delas pode ser inferior a R$ 50. Caso o imposto a pagar seja menor do que R$ 100, deverá ser pago em cota única. A primeira cota, ou a única, devem ser pagas até 29 de abril, e as demais até o último dia útil de cada mês, acrescidas de juros.

O débito automático em conta corrente também permanece como opção para o pagamento do imposto devido ao Fisco, mas é permitida somente para declarações apresentadas até 31 de março para cota única, ou primeira cota, ou entre 1º e 29 de abril a partir da segunda cota.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Problemas em obras do Palácio do Planalto afetam indicado por Dilma para comandar EB

Problemas em obras do Palácio do Planalto afetam indicado por Dilma para comandar EB


Edição do Alerta Total – http://www.alertatotal.net/

Por Jorge Serrão

Exclusivo – Lançadas por um senador de oposição, as suspeitas de superfaturamento e má execução nas obras de reforma do Palácio do Planalto podem queimar o filme do preferido da Presidenta eleita Dilma Rousseff para comandar o Exército. O Chefe do Departamento de Engenharia e Construção (DEC) e membro do Alto Comando do EB, General de Exército Ítalo Fortes Avena, entrou na linha de tiro porque foi o responsável, junto ao Ministério da Defesa, por supervisionar a obra da sede do governo – orçada em R$ 76 milhões, mas que acabou custando R$ 111 milhões.

Até o problema com a reforma do Palácio do Planalto, denunciado ontem pelos senadores tucanos Álvaro Dias e Arthur Virgílio, o General Ítalo Avena tinha todos os trunfos para assumir o comando do EB por indicação do grupo próximo à Dilma Rousseff. Avena é o preferido do atual comandante da Força, General Enzo Perri, que desejava a continuidade da Arma da Engenharia na hegemonia do Forte Apache. Avena também tem prestígio junto a Miriam Belchior (futura ministra do Planejamento), porque fez o Exército atuar em várias obras do PAC que a iniciativa privada preferiu não tocar.

Enzo também foi Chefe do Departamento de Engenharia e Construção, cargo que exerceu de 31 de março de 2003, quando recebeu a quarta estrela, até assumir o Comando do Exército, em 08 de março de 2007. A turma da Engenharia deseja continuar mandando no EB para tirar o poder da Arma da Infantaria – cujos oficiais são mais identificados com os “ideais” de 1964 que o atual e o novo governo desejam apagar da memória militar. A favor de Avena pesa, também, que ele é gaúcho e membro da Maçonaria – ordem à qual pertencem vários futuros ministros de Dilma.

Se a obra do Planalto não atrapalhar, Avena comandará o EB. Seu principal concorrente para a chefia do Forte Apache é o General de Exército Antônio Gabriel Esper. O atual chefe do Coter (Comando de Operações Terrestres) tem importância estratégica no momento porque é o responsável direto por definir a estratégia e a ação tática das tropas que ocupam o Complexo do Alemão – na guerra de enxugamento de gelo contra o narcovarejo. Esper tem a seu favor uma relação azeitada com a cúpula da mídia, trabalho feito desde que comandou o Centro de Comunicação Social do Exército e que perdurou quando assumiu o Comando Militar do Sudeste, até ser alçado ao Coter.


Probleminha


Supervisionada pelo EB, que chegou a fazer o trabalho de mudança, demolição interna e terraplanagem, a megareforma do Palácio do Planalto foi tocada pela construtora Porto Belo - PB Construções e Comércio Ltda.

Atualmente, a PB toca a Reforma Geral e Recuperação de Áreas Comuns e de Áreas Externas de Imóveis Funcionais da Câmara dos Deputados.

A empresa fez o espelho d'água do Congresso e reformou o prédio do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

A empresa tem matriz na Rua 4, nº 1400 – Centro, Goiânia – GO. Mas possui filial em Brasília - na SRTVS Quadra 701, bloco O, Salas 266 a 269 - no Centro Multiempresarial Asa Sul.

Denúncia não apurada


O projeto da reforma do Palácio do Planalto foi feito pelo escritório do arquiteto Oscar Niemeyer, contratado por R$ 1,069 milhão, em 2007.

Devido às fortes chuvas que atingem a capital federal nas últimas semanas, teriam sido detectados vários problemas no Palácio do Planalto pós-reformado, como infiltrações, alagamentos, ralos entupidos e impermeabilizações mal feitas.

O representante de Oscar Niemeyer em Brasília, Carlos Magalhães, já havia feito críticas à má qualidade da reforma.

As queixas foram oficialmente enviadas em carta ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional

Investigue-se

Prevista para custar R$ 76 milhões, a obra tocada pela PB Construções e Comércio Ltda terminou consumindo R$ 111 milhões.

A ironia é que o Exército a assumiu o comando da licitação, substituindo a Casa Civil sob comando da Presidenta eleita Dilma Rousseff e sua então amiga Erenice Guerra.

Houve suspeitas de concorrência desleal no primeiro edital da obra, lançado em dezembro de 2008, e cuja licitação acabou anulada em fevereiro do ano passado.

Ontem, o senador Álvaro Dias – que pertence à mesma Maçonaria do General Avena - pediu que seja colocado em votação no plenário do Senado o requerimento de autoria do senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) pedindo uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) nas contas das obras do palácio presidencial.

Brasileiros apontam Forças Armadas como as “menos corruptas” em pesquisa internacional

Brasileiros apontam Forças Armadas como as “menos corruptas” em pesquisa internacional

Edição do Alerta Total – http://www.alertatotal.net/

Por Jorge Serrão

Os brasileiros têm chance de ganhar o título mundial de povo mais mentiroso ou incoerente do mundo. Apenas 4% dos mil brasileiros ouvidos por uma pesquisa da ONG Transparência Internacional admitiram ter pago propina em pelo menos um entre nove serviços no último ano. Assim, o Brasil ficou entre as nações menos afetadas pelo pagamento de suborno. Dá para acreditar?

O Global Corruption Barometer revela que 27% dos brasileiros acham que a corrupção se manteve estável nos três últimos anos, enquanto 9% acreditam que ela diminuiu neste período. O percentual de brasileiros que veem um aumento da corrupção fica abaixo do de países como Estados Unidos (72%), Alemanha (70%), Grã-Bretanha (67%) e França (66%).

A instituição tida como menos corrupta pelos brasileiros são as Forças Armadas (índice 2,4). A maioria dos brasileiros entrevistados acredita que os partidos políticos e o Poder Legislativo são as instituições mais propensas a ter corrupção. Em uma escala de 1 (nem um pouco corrupto) a 5 (extremamente corrupto), tanto os partidos quanto o Legislativo ganharam uma nota média de 4,1.

Realizada em 86 países, a pesquisa aponta que, em termos globais, 56% dos entrevistados acham que a corrupção aumentou nos últimos três anos. Para 30%, ela permaneceu igual, e para 14%, ela diminuiu. No Brasil, 54% dos entrevistados acreditam que as ações do governo contra a corrupção são ineficientes, contra 29% que veem as atitudes como eficientes e 17% que acreditam serem indiferentes.

Carissimo Deputado Bolsonaro,

Militar, envie um e-mail para ele também, pode ser ???


Carissimo Deputado Bolsonaro,

,


Muito bom dia.

Sentimos as faltas dos seus discursos por ocasião do Dia da FAB e do Marinheiro.

Ultimamente, não temos visto ou ovido seus pronunciamentos sobre a participação e envolvimentos das FFAA no papel de polícia no Alemão e Vila Cruzeiro. Gostariamos de saber o posicionamento e cobranças de V. Exa.

Gostarimos também, que V. Exa verificasse essa questão do pagamento de gratificação aos policiais para fazerem o trabalho deles, ou seja eles não são pagos para isso ?

A PF e PRF e outros não estariam recebendo diárias lá ???

Quais as condições de trabalho, escala, alojamento, higiêne, gratificação da tropa lá ? Est]ão recebendo gratificação de representação ( 2% do soldo ao dia) ???

Aguardamos a resposta em forma de COMUNICADO.

É preciso apertar o JOBIM. Os Cmt das FFAA são cumpridores de ordem.


Obrigado.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Segue abaixo o dialogo que existiu numa das saídas do Alemão:

ENCAMINHO PARA QUE SAIBAM QUE TODOS SÃO IGUAIS; COM A RESSALVA DE


QUE, "UNS SÃO MAIS IGUAIS DO QUE OS OUTROS....."



REPASSANDO
Segue abaixo o dialogo que existiu numa das saídas do Alemão:

Eram quase 4 horas da manhã e estavam conversando um cabo da

Brigada Pára-quedista e um agente do COT da DPF.

O agente ouvia musica no seu iphone 4 e o cabo olhando aquilo

fala para o agente: - Daqui a pouco o Sargento vai passar por

aqui... vê se você tira esse fone do ouvido para ele não pensar

que eu também ouvia musica.

O agente responde: - Ih qualé rapaz, não tenho medo de sargento

não. O que ele vai fazer comigo, nada.

Cabo: - Comigo ele pode me dar uma punição.

Agente: - Você não pode ouvir musica não ?

Cabo: De serviço, não.

Nisso toca o telefone do agente e ele se afasta para falar. Na volta

comenta:

Agente: - É só eu viajar e dá merda. Minha mulher me ligou para

dizer que o nosso Labrador teve que ser atendido em emergência e a

conta foi 1.800 pratas.

Cabo: Porra, é quase o que eu ganho por mês.

Agente: Não fode porra, quanto você ganha ?

Cabo: 2.480 liquido.

Agente: Vocês são uns babacas, eu to tirando 13.700 e acho

pouco...

Pano rápido.

É assim o nosso país, dois servidores fazendo a mesma coisa, com o mesmo preparo e o da DPF ganha mais que o General Comandante da Brigada.

Acho que o agente tem razão:

NÓS SOMOS UNS BABACAS!!!!

OS HOMENS Só SE LEMBRAM DE DEUS E DOS SOLDADOS NOS MOMENTOS DE

AFLIÇÃO?/

P.S. - A TURMA DA PF ESTÁ LÁ \"SOB REGIME DE DIÁRIAS\" ... /

E NÓS QUE NÃO TEMOS COMANDANTE ESTAMOS LÁ NO AMOR.
 COM UM SALARIO ÓOOOOOOOOO

domingo, 5 de dezembro de 2010

MILITAR, me responda se puder...

Prezados Senhores
Recentemente recebi uma mensagem que explorava a diferença salarial entre um agente de polícia, com salários superiores a R$ 10.000 e um cabo do exército, com salários que não passam de R$ 3.000. Ambos viviam a mesma situação, no cerco frustrado da Vila Cruzeiro, simulando uma conversa na qual foi possível observar a disparidade de suas funções.

O militar do Exército demonstrando que poderia ser punido, caso fosse surpreendido por um superior em situação irregular. Enquanto o policial não se preocupava nem com a manutenção da segurança e ainda ridicularizava seu companheiro de vigilância.

Agora recebo essa notícia da permanência dos soldados do Exército no morro, em um alojamento improvisado, dormindo no chão, sem as mínimas condições de conforto.

Para o militar essa é a rotina de trabalho. Quando se participa de uma operação (treinamento ou real) é assim que permanecem. Não há questionamento sobre indenizações ou gratificações. Não há qualquer exigência de pagamento suplementar. Quando muito, são pagos 2% diários, a título de gratificação, em raros casos.

E aí vem a pergunta: será que um desses agentes policiais que recebem salários muito mais altos do que os militares, se sujeitam a permanecer em vigilância por mais de 08 (oito) horas de trabalho, nessas condições de desconforto, deitados no chão, sem ar condicionado?

E eu mesmo respondo: NÃO.


Quantas inúmeras vezes foi possível assistir pela televisão aqueles policiais em demonstrações teatrais e pirotécnicas, disparando rajadas de fuzil, a esmo, sem pontaria, como se estivessem enfrentando os marginais nos morros cariocas?? E quantas vezes isso deu bom resultado?

E eu mesmo respondo: NUNCA.


Foi necessário a intervenção segura e consistente de integrantes das Forças Armadas para que os resultados aparecessem. E, se toda a operação tivesse sido organizada e planejada pelos militares, não teria escapado um, sequer.

Como é que se planeja um cerco e executa o avanço da força de ataque, sem examinar as rotas de fuga do oponente? Principalmente sabendo que o acesso por todos os lados estava liberado. Ou será que os policiais no comando da operação não sabiam das rotas de fuga no alto do morro ou das galerias de esgoto?

E agora, onde estão os fugitivos, onde vão parar aqueles mais de 200 bandidos que escaparam do "cerco frustrado" do morro da Vila Cruzeiro e do Morro do Alemão??

Pobre gente brasileira...

::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

Vejam as condições em que os militares estão alojados .... e assim ficarão por seis meses, fazendo o papel da Polícia, que é treinada e paga pra isso. Porque não criam uma Gratificação Especial para essas ocasiões ?


Fonte: Jornal Folha de São Paulo -
http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/839541-militares-que-moram-em-favelas-sao-expulsos-de-casa-pelo-trafico-e-acampam-em-quartel.shtml


02/12/2010 - 08h56

Militares que moram em favelas são expulsos de casa pelo tráfico e acampam em quartel


Em represália à ação no Complexo do Alemão, soldados do Exército que participam da ocupação dizem que estão sendo expulsos das favelas onde moram por traficantes ligados à facção criminosa Comando Vermelho. A informação é de reportagem de Rogério Pagnan e Joel Silva publicada na Folha desta quinta-feira (íntegra disponível para assinantes do jornal e do UOL).

De acordo com soldados ouvidos pela Folha, pelo menos cinco deles receberam ordem de criminosos para não voltar para casa e desde sexta estão acampados no quartel improvisado próximo ao Complexo do Alemão.

O Exército participa da ocupação do Alemão desde a semana passada com cerca de 800 homens -todos são lotados no Rio.

O tenente-coronel Cláudio Tavares Casali, disse que a Secretaria de Segurança foi informada e, agora, a polícia deve iniciar a investigação.

Os militares que se sentirem ameaçados, segundo ele, estão sendo retirados da linha de frente e utilizados em outros serviços.

Leia a coluna completa na Folha esta quinta-feira,que já está nas bancas.

Assine a Folha

Joel Silva/Folhapress
 
Venha participar dessas petições abaixo:



Vamos fazer uma manifestação popular e vencer o preconceito existente


dentro das Forças Armadas contra as iniciativas dos colegas.



Venha participar.


Já fiz minha parte. Faça a tua também!

http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/4335

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Tudo na mesma

Um gestor de marcas e polêmicas

Administrador das UPAs, Côrtes já foi ameaçado de morte e é investigado

Daniel Brunet e Maiá Menezes

Aos 45 anos, o ortopedista Sérgio Luiz Côrtes Silveira deixa marcas fortes e rastros de polêmica em suas gestões.
O atual secretário de Saúde de Cabral já sofreu, em dois momentos, ameaças de morte, e tem, contra sua administração à frente da Saúde no estado, uma denúncia criminal e uma ação por improbidade administrativa, feitas pelo Ministério Público Estadual.

Sérgio Côrtes foi responsável por implantar as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), vitrine do governo Sérgio Cabral na Saúde, elogiadas pela presidente eleita Dilma Rousseff na campanha eleitoral.

Em seu primeiro ano no governo do Rio, Côrtes contou com escolta 24 horas. A Secretaria de Segurança Pública do Rio descobriu um plano para matar o secretário. O plano teria partido de pessoas insatisfeitas com as mudanças de gestão impostas por ele.

Não foi o primeiro episódio envolvendo riscos à segurança de Côrtes: um ano depois de assumir a direção do Instituto de Traumato-Ortopedia, em 2002, ele teve seu gabinete invadido. Houve ainda duas suspeitas de bomba no Into.

Ao assumir a direção, ele decidira fazer auditorias em contratos de prestação de serviço e também teria começado a receber ameaças de morte.

O futuro ministro foi também interventor em seis hospitais do Rio de Janeiro — quatro federais e dois municipais — em 2005. A intervenção, decretada pelo governo federal com argumentação de que o setor enfrentava calamidade pública, transferiu para o governo federal toda a gestão municipal.

Uma das principais marcas do trabalho de Côrtes no Rio — a terceirização da mão de obra na Saúde — encontra forte resistência entre lideranças do setor.

Além disso, o modelo de gestão é alvo de investigações: uma delas fez o ex-subsecretário de Côrtes César Romero Vianna Júnior virar réu em processo na 4 Vara de Fazenda Pública.
Leia mais em O Globo.



REPASSE AOS AMIGOS E COLEGAS.



http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/4335


http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/5563

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Estou fazendo minha parte

›Tiririca = 1.350.000 votos - Arnaldo Jabor

Estou fazendo minha parte


- Brasileiro é um povo solidário. Mentira. Brasileiro é babaca.

Eleger para o cargo mais importante do Estado um sujeito que não tem escolaridade e preparo nem para ser gari, só porque tem uma história de vida sofrida;

Pagar 40% de sua renda em tributos e ainda dar esmola para pobre na rua ao invés de cobrar do governo uma solução para pobreza;

Aceitar que ONG's de direitos humanos fiquem dando pitaco na forma como tratamos nossa criminalidade.

Não protestar cada vez que o governo compra colchões para presidiários que queimaram os deles de propósito, não é coisa de gente solidária.

É coisa de gente otária.

- Brasileiro é um povo alegre. Mentira. Brasileiro é bobalhão.

Fazer piadinha com as imundices que acompanhamos todo dia é o mesmo que tomar bofetada na cara e dar risada.

Depois de um massacre que durou quatro dias em São Paulo, ouvir o José Simão fazer piadinha a respeito e achar graça, é o mesmo que contar piada no enterro do pai.

Brasileiro tem um sério problema.


Quando surge um escândalo, ao invés de protestar e tomar providências como cidadão, ri feito bobo.



- Brasileiro é um povo trabalhador. Mentira.



Brasileiro é vagabundo por excelência.

O brasileiro tenta se enganar, fingindo que os políticos que ocupam cargos públicos no país, surgiram de Marte e pousaram em seus cargos, quando na verdade, são oriundos do povo.

O brasileiro, ao mesmo tempo em que fica indignado ao ver um deputado receber 20 mil por mês, para trabalhar 3 dias e coçar o saco o resto da semana, também sente inveja e sabe lá no fundo que se estivesse no lugar dele faria o mesmo.

Um povo que se conforma em receber uma esmola do governo de 90 reais mensais para não fazer nada e não aproveita isso para alavancar sua vida (realidade da brutal maioria dos beneficiários do bolsa família) não pode ser adjetivado de outra coisa que não de vagabundo.

- Brasileiro é um povo honesto. Mentira.

Já foi; hoje é uma qualidade em baixa.

Se você oferecer 50 Euros a um policial europeu para ele não te autuar, provavelmente irá preso.

Não por medo de ser pego, mas porque ele sabe ser errado aceitar propinas.

O brasileiro, ao mesmo tempo em que fica indignado com o mensalão, pensa intimamente o que faria se arrumasse uma boquinha dessas, quando na realidade isso sequer deveria passar por sua cabeça.


- 90% de quem vive na favela é gente honesta e trabalhadora. Mentira..

Já foi.

Historicamente, as favelas se iniciaram nos morros cariocas quando os negros e mulatos retornando da

Guerra do Paraguai ali se instalaram.

Naquela época quem morava lá era gente honesta, que não tinha outra alternativa e não concordava com o crime.

Hoje a realidade é diferente.

Muito pai de família sonha que o filho seja aceito como 'aviãozinho' do tráfico para ganhar uma grana legal.

Se a maioria da favela fosse honesta, já teriam existido condições de se tocar os bandidos de lá para fora, porque podem matar 2 ou 3, mas não milhares de pessoas.

Além disso, cooperariam com a polícia na identificação de criminosos, inibindo-os de montar suas bases de operação nas favelas.


- O Brasil é um pais democrático.. Mentira.


Num país democrático a vontade da maioria é Lei.

A maioria do povo acha que bandido bom é bandido morto, mas sucumbe a uma minoria barulhenta que se apressa em dizer que um bandido que foi morto numa troca de tiros, foi executado friamente.

Num país onde todos têm direitos mas ninguém tem obrigações, não existe democracia e sim, anarquia.

Num país em que a maioria sucumbe bovinamente ante uma minoria barulhenta, não existe democracia, mas um simulacro hipócrita.

Se tirarmos o pano do politicamente correto, veremos que vivemos numa sociedade feudal: um rei que detém o poder central (presidente e suas MPs), seguido de duques, condes, arquiduques e senhores feudais (ministros, senadores, deputados, prefeitos, vereadores).

Todos sustentados pelo povo que paga tributos que têm como único fim, o pagamento dos privilégios do poder. E ainda somos obrigados a votar.


Democracia isso? Pense!


O famoso jeitinho brasileiro.

Na minha opinião, um dos maiores responsáveis pelo caos que se tornou a política brasileira.

Brasileiro se acha malandro, muito esperto.

Faz um 'gato' puxando a TV a cabo do vizinho e acha que está botando pra quebrar.

No outro dia o caixa da padaria erra no troco e devolve 6 reais a mais, caramba, silenciosamente ele sai de lá com a felicidade de ter ganhado na loto.... malandrões, esquecem que pagam a maior taxa de juros do planeta e o retorno é zero. Zero saúde, zero emprego, zero educação, mas e daí?

Afinal somos penta campeões do mundo né???

Grande coisa...

O Brasil é o país do futuro. Caramba , meu avô dizia isso em 1950. Muitas vezes cheguei a imaginar em como seria a indignação e revolta dos meus avôs se ainda estivessem vivos.

Dessa vergonha eles se safaram...

Brasil, o país do futuro!?

Hoje o futuro chegou e tivemos uma das piores taxas de crescimento do mundo.


Deus é brasileiro.


Puxa, essa eu não vou nem comentar...


O que me deixa mais triste e inconformado é ver todos os dias nos jornais a manchete da vitória do governo mais sujo já visto em toda a história brasileira.

Para finalizar tiro minha conclusão:


O brasileiro merece! Como diz o ditado popular, é igual mulher de malandro, gosta de apanhar. Se você não é como o exemplo de brasileiro citado nesse e-mail, meus sentimentos amigo, continue fazendo sua parte, e que um dia pessoas de bem assumam o controle do país novamente.

Aí sim, teremos todas as chances de ser a maior potência do planeta.

Afinal aqui não tem terremoto, tsunami nem furacão.

Temos petróleo, álcool, bio-diesel, e sem dúvida nenhuma o mais importante: Água doce!
Só falta boa vontade, será que é tão difícil assim?

FAÇA A SUA PARTE (SE QUISER)


REPASSE
 
 
 
Já fiz minha parte. Faça a tua também!



TEMOS VÁRIOS ABAIXO-ASSINADOS DE INTERESSE GERALCOMO SEGUE:

http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/7013

http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/5563

http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/4335

http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/5866

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Essa é para o pessoal que votou na Dilma e morre nas filas do SUS

Governo negocia compra de novo avião presidencial

Força Aérea Brasileira pediu proposta para duas aeronaves, uma delas com área VIP, o Aerodilma


Modelo favorito custa cinco vezes os R$ 98 mi gastos com o Aerolula, que não tem autonomia para voos muito longos


Airbus-319ACJ (Aerolula)

IGOR GIELOW

SECRETÁRIO DE REDAÇÃO

DA SUCURSAL DE BRASÍLIA



Sem alarde para evitar a repetição da polêmica que envolveu a compra do Aerolula, o governo negocia a aquisição de um avião maior e mais caro que poderá servir à presidente eleita, Dilma Rousseff, e a seus sucessores.

O Aerodilma, caso seja adquirido mesmo com o cenário de contenção de gastos do governo, deverá ser um aparelho europeu da Airbus -um modelo de reabastecimento aéreo A330-MRTT, equipado com área VIP presidencial e assentos normais.

O avião custa até cinco vezes os US$ 56,7 milhões (R$ 98 milhões na sexta-feira) pagos em 2005 pelo Aerolula, um Airbus-A319 em versão executiva.

Justificar tal despesa seria complicado, como foi em 2005, e seria fonte certa de desgaste para Dilma, que até onde se sabe não foi informada sobre a ideia. Assim, juntou-se a fome com a vontade de comer, e a nova compra está sendo camuflada por uma necessidade real.

A FAB (Força Aérea Brasileira) precisa substituir seus dois aviões grandes de reabastecimento. São os antigos Sucatões presidenciais, versões com quase 50 anos de uso do vetusto Boeing-707.

Por falta de condições, foram excluídos do último grande exercício aéreo da Força Aérea Brasileira.

No fim da década, os militares estimam ter 150 caças, e reabastecimento é vital dadas as distâncias do país.

Como no caso dos Sucatões, o novo avião poderia cumprir a tarefa de reabastecimento e ser o aparelho de transporte intercontinental dos presidentes. Para viagens internas, o governo já usa dois Embraer-190.



AEROLULA

Do lado da Presidência, segundo a Folha apurou, o problema é o Aerolula. O presidente Lula reclama da necessidade de paradas para reabastecimento do avião, que tem cerca de 8.500 km de autonomia -o que não garante um voo tranquilo Brasília-Londres, por exemplo.

Não deixa de ser irônico, já que à época da compra do Aerolula uma das alegações para a aquisição do modelo europeu era que ele poderia fazer voos intercontinentais que os similares da Embraer não poderiam. Meia verdade: sua lista de destinos sem escala não é tão grande.

Já o A330-MRTT pode voar até 12,5 mil km sem reabastecer, podendo viajar sem escalas de Brasília a todas as capitais europeias e americanas. Não é comparável como produto com o Aerolula, modelo só de transporte VIP.

Na compra de cinco Airbus em 2008, a Austrália pagou quase US$ 300 milhões (R$ 519 milhões) a unidade. Os EUA chegaram a selecionar o modelo em uma concorrência que acabou suspensa, e pagariam algo como US$ 200 milhões (R$ 346 milhões) por avião. Mas cada venda é diferente. No caso americano, eram quase 200 aeronaves com especificações diferentes, o que dilui custos. Então, os preços citados são apenas referência.

Uma versão executiva do A330, sem ser avião-tanque, foi estreada neste mês pelo presidente francês Nicolas Sarkozy. Ganhou, além das críticas pelos R$ 400 milhões gastos, o apelido de "Air Sarkô" na França.

Em setembro, a FAB emitiu o pedido de propostas à fabricante EADS europeia (A330-MRTT), à Boeing americana (767) e para a israelense IAI (que adapta os 767). Não há previsão orçamentária, e verbas extras terão de ser aprovadas no Congresso.

O pedido requer duas aeronaves. Uma com capacidade de reabastecimento em voo, transporte de carga e de passageiros. A outra, tudo isso mais a previsão de uma área VIP -normalmente, uma suíte com chuveiro.



EUROPEUS

Segundo a Folha apurou, a Boeing não cogita participar da disputa enquanto não for definido qual avião será escolhido nos EUA, o 767 ou o A330. A IAI é vista sem grandes chances na FAB.

Sobram então os europeus. Procuradas, EADS e Boeing alegaram sigilo do pedido da Aeronáutica para não se manifestar. A IAI não respondeu ao contato. Oficialmente, a FAB apenas confirma que emitiu o pedido de propostas, e que até aqui só a EADS respondeu.

Se a compra ocorrer em 2011, estima-se que o primeiro avião seja integrado até 2014. O Aerodilma só voaria então no fim do mandato da presidente, deixando o apelido que carregaria após 2015 para especuladores.

Dilma acerta permanência de Jobim

Ministro da Defesa do governo Lula e filiado ao PMDB continuará no cargo na gestão da presidente petista


Em encontro na sexta-feira, Dilma e Jobim acertaram a retirada da área de aviação civil do comando da pasta

KENNEDY ALENCAR

VALDO CRUZ

DE BRASÍLIA



O ministro da Defesa, Nelson Jobim, continuará no posto no governo de Dilma Rousseff. A Folha apurou que Jobim recebeu e aceitou o convite da presidente eleita em reunião na sexta-feira. Dilma e Jobim acertaram, nesse encontro, a retirada da área de aviação civil do Ministério da Defesa.

O objetivo de Dilma é remodelar o setor, abrindo o capital à iniciativa privada e acelerando a construção de aeroportos para a Copa-2014 e a Olimpíada-2016.

Como a Folha revelou ontem, será criada uma secretaria especial, provavelmente com status de ministério, para cuidar desses assuntos. Responderão à nova pasta a Infraero, estatal que administra aeroportos, e a Anac, agência reguladora do setor.

O presidente Lula sugeriu a Dilma a manutenção de Jobim, que conduz uma reforma da política de defesa. Para Lula, o passado de guerrilheira de Dilma precisava ser levado em conta. O presidente avalia que uma substituição nessa área poderia gerar atritos com as Forças Armadas -e que Jobim tem perfil conservador e agrada aos militares.

Tanto Lula como Dilma acham, também, que Jobim tem atuado bem nas tratativas com as Forças Armadas para dar apoio ao governo do Rio de Janeiro no combate ao crime organizado.

MAIS NOVIDADES

Dilma e seus assessores retomam hoje as negociações sobre o primeiro escalão com os partidos aliados -ontem a presidente eleita descansou em Brasília, sem agenda.

Já foram anunciados os quatro principais nomes da área econômica -Guido Mantega (Fazenda), Alexandre Tombini (BC), Miriam Belchior (Planejamento) e Luciano Coutinho (BNDES).

Antonio Palocci e Gilberto Carvalho aceitaram convite para o núcleo político -provavelmente na Casa Civil e na Secretaria Geral, respectivamente. Outro nome confirmado é José Eduardo Cardozo, quase certo na Justiça.

Alexandre Padilha, das Relações Institucionais, é outro ministro que deverá continuar em seu posto. Lula pediu a Dilma que mantenha Fernando Haddad na Educação. A presidente eleita pretende atendê-lo.

No atual desenho do ministério de Dilma, o atual ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, comandará as Comunicações. André Barbosa, assessor especial da Casa Civil para assuntos de radiodifusão, deverá ser o secretário-executivo da pasta.

Fernando Pimentel, ex-prefeito de Belo Horizonte, também é nome certo no governo. Está cotado para a pasta da Previdência ou para a do Desenvolvimento, Indústria e Comércio.

Lula fica devendo à Amazônia

28/11/2010

10:05

Chagas: Lula fica devendo à Amazônia

Em seu artigo deste domingo (28) Carlos Chagas lembra que o presidente Lula deixará o governo sem ter realizado tudo, como por exemplo, um assunto de grande importância para o Brasil: a aquisição de terras por estrangeiros, na Amazônia. “Eles continuam comprando glebas como quem compra bananas. Faz tempo que o país foi alertado para essa omissão do governo, mas nada aconteceu.”

Também teve oito anos para regulamentar o imposto sobre grandes fortunas. Na realidade como sempre não sei não vi. Não li.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

NA HORA DE REAJUSTE SALARIAL NÃO SOMOS LEMBRADO, MAS NO ABERTO....

Apoio do Exército a combate ao crime no Rio de Janeiro é autorizado


Rio de Janeiro, 26 nov (EFE).- As operações da Polícia contra os narcotraficantes que vêm espalhando pânico pelo Rio de Janeiro e que deixaram 30 mortos serão reforçadas a partir desta sexta-feira com 800 soldados do Exército, dois helicópteros da Força Aérea e outros tanques blindados, informaram fontes oficiais.

O reforço adicional das Forças Armadas às operações da Polícia contra os grupos de criminosos que atuam na segunda maior cidade do país foi autorizado na noite desta quinta-feira pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, segundo um comunicado do Ministério da Defesa.

Os militares também cederão material de logística e equipes especiais como óculos de visão noturna.

A Polícia já tinha contado na quinta-feira com o inédito reforço de seis blindados da Marinha, que permitiram a ocupação sem vítimas da favela Vila Cruzeiro, que era considerada até então como a mais perigosa do Rio de Janeiro pelo número de bandidos armados que estavam concentrados na área.

Na madrugada desta sexta-feira foram registrados cinco novos ataques que deixaram um ônibus e quatro veículos incendiados em Mesquita e São Gonçalo, ambos municípios da região metropolitana; na estrada Presidente Dutra, que liga o Rio a São Paulo; e no bairro de Ipanema.

A Polícia informou que um suspeito morreu quando tentava queimar um veículo em um local próximo a um centro comercial no bairro de Madureira e dois menores foram detidos com material inflamável após o ataque de Ipanema. EFE

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

NADA MUDOU

Palocci assumirá Casa Civil e Carvalho a Secretaria-Geral--fonte


Por Carmen Munari

PUBLICIDADE

SÃO PAULO (Reuters) - O ex-ministro Antonio Palocci vai assumir a chefia da Casa Civil no governo da presidente eleita Dilma Rousseff. Convidado na véspera, Palocci estará à frente da nova missão, conforme informou à Reuters na quinta-feira uma fonte próxima ao futuro governo.

Gilberto Carvalho, chefe de gabinete da Presidência e um dos auxiliares mais próximos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, irá para a Secretaria-Geral da Presidência, de acordo com a mesma fonte.

Com essas duas escolhas, Dilma fecha alguns dos principais postos do Palácio do Planalto. A Casa Civil, mesmo que venha a perder a gestão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) como vem sendo cogitado, é estratégica no assessoramento do presidente. Depois da queda do deputado cassado José Dirceu, foi ocupada pela própria Dilma.

A Secretaria-Geral, assumida por oito anos por Luiz Dulci, cuida da interlocução com a sociedade civil.

O interlocutor, que pediu para se manter no anonimato, relatou ainda que Paulo Bernardo, à frente da pasta do Planejamento no governo Lula, deve ir para as Comunicações.

Na quarta-feira, ele confirmou que recebeu um "convite genérico" de Dilma, indicando que seu destino estava sendo analisado no xadrez do ministério. Se confirmada a indicação, o PMDB teria que desembarcar das Comunicações, mas poderá alcançar a pasta de Cidades, hoje com o PP.

"O governo é Dilma, não é o governo Lula", disse o interlocutor sobre as possíveis mudanças entre partidos e cargos. Afirmou ainda que o senador Aloizio Mercadante (PT-SP), derrotado na eleição para o governo paulista, deve integrar o primeiro escalão e que o deputado Ciro Gomes (PSB) é outra aposta, uma vez que a presidente eleita tem muito apreço por ele.

INFLUÊNCIA GARANTIDA

Mais cedo, outra fonte também ligada ao novo governo havia informado à Reuters sobre a possibilidade de indicação de Palocci tanto para a Casa Civil quanto para a Secretaria-Geral.

"Provavelmente, não importa que cargo ele ocupará, Palocci terá grande influência de qualquer jeito", havia dito a fonte.

Dilma anunciou oficialmente sua equipe econômica na quarta-feira. Ela manterá o ministro da Fazenda, Guido Mantega, no cargo, indicou Alexandre Tombini para a presidência do Banco Central e Mirian Belchior para o Ministério do Planejamento.

Palocci, ministro da Fazenda entre 2003 e 2006, foi o autor principal das políticas de austeridade econômica que marcaram o primeiro mandato do presidente Lula.

O rigor daquele período ajudou o país a apagar o ceticismo do mercado financeiro, abrindo o espaço para o atual boom econômico brasileiro após décadas de inflação e crises constantes.

Esse desempenho de Palocci não foi suficiente para segurá-lo no cargo depois do episódio em que foi acusado de violar o sigilo bancário de um caseiro.

A equipe econômica de Dilma surpreendeu os investidores por prometerem na quarta-feira grandes cortes orçamentários. Mantega disse à Reuters que Dilma exigiu "mão pesada" nos gastos orçamentários e vai implementar cortes de pelo menos 20 bilhões de reais.

"Isso é principalmente a Dilma, mas Palocci teve um papel nisso", disse a fonte.

(Reportagem adicional de Brian Winter; edição de xxxxx)

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Saiba quem é Miriam Belchior, futura ministra do Planejamento

FICA TUDO EM CASA. E O POVO??????????

Saiba quem é Miriam Belchior, futura ministra do Planejamento


Atual ministro Paulo Bernardo confirmou indicação de Belchior para o cargo.

Ela coordena o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Do G1, em Brasília e em São Paulo

A coordenadora do PAC, Miriam Belchior
A futura ministra do Planejamento, Miriam Belchior, 54 anos, está há oito anos no governo. Em 2002, ela participou da equipe que fez a transição do governo de Fernando Henrique Cardoso para o de Luiz Inácio Lula da Silva.

Miriam Belchior foi confirmada no cargo nesta quarta-feira (24) pelo atual titular do ministério, Paulo Bernardo, que afirmou ter sido convidado para continuar no governo, em pasta a ser definida.

A futura ministra é a atual coordenadora do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), cuja gestão, a partir do ano que vem, passará para o âmbito do Ministério do Planejamento. Ela era secretária-executiva do PAC quando substituiu na função a presidente eleita, Dilma Rousseff, que coordenava o programa na condição de ministra da Casa Civil.

No primeiro governo Lula, Belchior foi assessora especial do presidente até junho de 2004, quando foi chamada pelo então ministro da Casa Civil, José Dirceu, para desempenhar a função de subchefe de Avaliação e Monitoramento da pasta. No primeiro mandato de Lula, Belchior também auxiliou o governo na integração dos programas sociais.

Paulo Bernardo confirma Miriam Belchior no PlanejamentoDilma prepara anúncios de Mantega, Belchior e Tombini como ministrosMeirelles confirma saída do Banco CentralOriunda dos movimentos sociais, Miriam Belchior iniciou a vida política no ABC paulista. No atual governo, é muito próxima do chefe de gabinete da Presidência, Gilberto Carvalho, que também ocupou cargos no Prefeitura de Santo André antes de integrar o governo Lula.

Engenheira de alimentos, formada pela Universidade de Campinas (Unicamp), a futura ministra se tornou mestre em Administração Pública e Governamental pela Fundação Getulio Vargas (FGV), de São Paulo, com a dissertação “A Aplicação do Planejamento Estratégico Situacional em Governos Locais: Possibilidades e Limites – os casos de Santo André e São José dos Campos”.

Entre 2001 e 2008, foi professora da Fundação de Pesquisa e Desenvolvimento de Administração, Contabilidade e Economia (Fundace), ligada à Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (USP), em Ribeirão Preto. Entre 1999 e 2002, lecionou na Universidade São Marcos, em São Paulo.

Miriam foi casada por dez anos com o ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel, assassinado em 2002, após ter sido sequestrado em 18 de janeiro daquele ano. Os dois já estavam separados quando ele foi assassinado.

De janeiro de 1997 a dezembro de 2000, ela foi secretária de Administração e Modernização Administrativa da Prefeitura de Santo André, e, de janeiro de 2001 a novembro de 2002, secretária municipal de Inclusão Social e Habitação.

Na Prefeitura de Santo André, coordenou ainda o Programa de Modernização Administrativa, selecionado como uma das 100 melhores práticas públicas do mundo pela ONU em 2000.

sábado, 20 de novembro de 2010

Agora é pra valer: PT declara guerra à imprensa livre

20/11/2010


às 7:09

Agora é pra valer: PT declara guerra à imprensa livre

Já havia um monte de gente tentando embarcar na Dilma Tchutchuca da Democracia? É mesmo? Pois a “resolução política” do Diretório Nacional do PT deixou claras as prioridades. Alguns tolinhos dirão que uma coisa é o partido, e outra, o governo. O auto-engano é um direito. Releiam o texto. Para o PT, são quatro os objetivos estratégicos do novo governo:

- erradicar a pobreza absoluta;

- reagir à crise internacional que hoje assume a feição do conflito cambial;

- fazer a reforma política;

- democratizar os meios de comunicação.
“Democratizar”, em petês, significa “controlar” em português. Voltem ao documento e reparem que a questão da “mídia”, como eles chamam, foi a que ocupou mais tempo do redator. E o partido deixa claro que não se trata, sei lá, de uma questão jurídica ou outra que estariam por ser resolvidas. Não! Os petistas querem um “debate qualificado acerca do conservadorismo que se incrustou em setores da sociedade e dos meios de comunicação”
“Incrustar”, nesse sentido, quer dizer “alojar-se”, “esconder-se”, “acoitar-se”, como se esses supostos conservadores fossem, sei lá eu, bandidos, uma gente má, que precisa, para recorrer a um verbo da predileção de Lula, ser “extirpada”. Não se enganem: a natureza do lobo continua a ser a mesma. Não vai mudar. Mas atenção! O PT quer preservar a liberdade de expressão, tá? Seguindo os passos daquele “companheiro” iraniano dos petistas (ver post sobre Irã), todos devem ser livres. Isso só depende “do que querem dizer”… Ainda voltarei a este assunto na madrugada. Uma coisa é certa: eles vão tentar botar pra quebrar.
O documento também tem um lado cômico, quando identifica o PT como “partido de esquerda e socialista”. Essas palavras, obviamente, não valem pelo seu valor histórico. Modernamente, querem dizer apenas que o PT se considera monopolista das tais “lutas populares” e que, de fato, conserva o mesmo horror à democracia que marca a história das esquerdas — de qualquer esquerda. Nesse particular, ele é a expressão de uma tradição. E só nisso. Ou como explicar que uma das figuras de proa do partido seja o “socialista” José Dirceu, cuja profissão hoje em dia é “consultor de empresa privada”?
É preciso saber ler: a resolução política do PT é uma declaração de guerra à imprensa livre. E vai se dar em várias frentes: 1) na legal, tentando aterrorizar as empresas de radiodifusão por intermédio das concessões públicas; 2) na política, tentando patrulhar o pensamento divergente; 3) na econômica, tentando asfixiar as fontes de financiamento do jornalismo independente e financiando regiamente os áulicos.
Quem topa fazer uma aposta?
PS - Só os tolos imaginam que, num momento como esse, tal resolução tenha sido tornada pública sem o aval de Dilma a cada linha.
Texto publicado originalmente às 22h33 de ontem

Por Reinaldo Azevedo

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

PolíticaAumento de deputados e senadores

19.11.2010


PolíticaAumento de deputados e senadores

A relação salarial Judiciário-Legislativo mostra outro ângulo de processo que o cidadão não percebe, que é a apropriação por uns dos recursos de todos

É mais ou menos assim que funciona: o Supremo Tribunal Federal estradula o seu Orçamento para o ano seguinte, o que é aprovado pelo Legislativo. Entrado o ano, propõe o aumento de salários dos seus ministros (subsídios, preferem eles), sob dois argumentos: a óbvia previsão orçamentária e o exercício de suas prerrogativas, entre as quais está a de decidir quando elevar seus ganhos e em quanto (às vezes o Congresso reduz o percentual, como neste ano, em que pediram 14% e levaram 9%). O Legislativo aprova. E aí chega a vez dos deputado federais e senadores discutirem o seu próprio reajuste salarial, como agora, na véspera da próxima legislatura. De quanto será? A tendência é de equiparação com o dos integrantes do STF, que ganham o que eles, legisladores, aprovaram. Questão de justiça. Logo, de R$ 16.5 mil passarão a R$ 26.7 mil (e a R$ 30.6 mil, se aceito o novo aumento pedido pelo Judiciário, para valer em 2011).

O resultado da manobra até teria sentido, abstraída a esperteza (a palavra certa é esta?), se os deputados federais e senadores não recebessem as escamosas verbas extras, destinadas a financiar o exercício do mandato, nos valores médios atuais de R$ 102 mil e R$ 131 mil ao mês, respectivamente. Detalhe: ao contrário do subsídio, que, segundo a Constituição, deve ser estabelecido no início da legislatura, as tais verbas podem ser elevadas em qualquer dos quatro anos legislativos, a depender da coragem ou do descaramento das Mesas Diretoras. Por fim, o processo se completa nas Assembléias Legislativas, cujos integrantes recebem dois terços do que percebem seus colegas da Câmara dos Deputados. Ou seja, aprovado o aumento lá, na base especulada, os deputados estaduais do Rio Grande do Sul passarão de R$ 11.5 mil para R$ 17.8 mil, fora as verbas de gabinete, os reembolsos de despesas e a caixa-preta, as diárias.
Por EricoValduga.com.br

Lula: a Ficha Limpa em suas mãos

Lula: a Ficha Limpa em suas mãos

EnviarAvaaz.org protegerá sua privacidade. 60,00048,63148,631 enviaram uma mensagem para o Lula. Nos ajude a conseguir 60,000

O destino da Lei Ficha Limpa está por um fio, pois o presidente Lula está prestes a nomear o Ministro que irá desempatar as votações do STF nas apelações dos políticos "ficha suja".

O Lula está sendo pressionado pelos partidos, por políticos corruptos e interesses particulares, para designar um Ministro que vote contra a constitucionalidade da Lei Ficha Limpa, abrindo as portas para que Paulo Maluf, Jader Barbalho e outros candidatos corruptos assumam seus cargos.

Não temos tempo a perder. Vamos reagir e enviar ao gabinete de Lula uma enxurrada de mensagens pedindo que ele escolha um Ministro do Supremo que tenha integridade e sólido currículo anticorrupção.

http://www.avaaz.org/po/ministro_ficha_limpa/?cl=836174618&v=7592

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

O QUE NOS BRASILEIROS SOMOS? BURRO OU OTÁRIO?

Governadores mais ricos comandam regiões mais pobres


Seg, 15 Nov, 08h16

Os 27 governadores eleitos no mês passado declaram à Justiça Eleitoral uma fortuna de R$ 63,53 milhões em patrimônio pessoal. Na média, cada chefe de executivo estadual tem R$ 2,35 milhões em bens. São 14 os que informaram ter patrimônio acima do R$ 1 milhão. O mais rico deles é o governador reeleito de Alagoas, Teotônio Vilela Filho (PSDB), que apresentou declaração de bens que soma R$ 14,62 milhões.

PUBLICIDADE

Levantamento feito na base de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostra ainda que oito governadores eleitos apresentaram evolução patrimonial superior a 200% nos últimos anos. Neste caso, a líder é a governadora também reeleita do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB). Em 2006, a declaração dela listava 15 bens, mas informava apenas o valor depositado em seu fundo de previdência privada: R$ 172.734,71 - em valores corrigidos. Para esta eleição, Roseana apresentou declaração com 25 bens e valor total de R$ 7.838.530,34. O crescimento foi de 4.437,90% em quatro anos.

As Alagoas de Teotônio e o Maranhão de Roseana ocupam a 25.ª e a 26.ª posição, respectivamente, no ranking do Produto Interno Bruto (PIB) per capita dos Estados, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dois Estados também estão nas duas últimas posições do ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que lista indicadores na área de Educação, renda e expectativa de vida.

Entre os governadores eleitos que tiveram expressiva evolução patrimonial, também destacam-se o de Rondônia, Confúcio Moura (PMDB), e o do Acre, Tião Viana (PT). Prefeito eleito de Ariquemes em 2008, Moura informou à Justiça Eleitoral na ocasião ter patrimônio de R$ 385.775,34, em valores atualizados. Agora, apresentou declaração de R$ 8.554.881,14. Crescimento de 2.117,58%. Quando se elegeu para o Senado em 2006, Viana disse ter patrimônio de R$ 28.794,65. Agora, passou para R$ 551.098,50, avanço de 1.813,89%.

domingo, 14 de novembro de 2010

Partidos Politicos X Empreiteiras

Empreiteiras irregulares no PAC doaram R$ 70 mi ao PT


Empresas responsáveis por obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) consideradas irregulares pelo Tribunal de Contas da União (TCU) doaram R$ 240,5 milhões para campanhas políticas ao longo do primeiro turno das eleições deste ano.

PUBLICIDADE

O partido mais beneficiado pelas contribuições dessas empreiteiras foi o PT, cujas campanhas receberam R$ 70,5 milhões. Somente a direção nacional da legenda foi agraciada com R$ 18,7 milhões.

Com base em processos disponíveis no site do TCU, o jornal O Estado de S. Paulo identificou empresas responsáveis ou integrantes de consórcios de 9 das 18 obras do PAC que apresentaram irregularidades graves e que, portanto, terão de ser paralisadas.

Entram nesse grupo a Camargo Corrêa, integrante do consórcio contratado para realizar melhoramentos no Aeroporto de Vitória (ES). Foi a empreiteira que mais doou no primeiro turno:R$ 91,7 milhões.

Em seguida,vem a Construtora Queiroz Galvão. A empresa é responsável pela construção do Canal do Sertão, em Alagoas, da Adutora Pirapama, em Pernambuco, e faz parte do pool de empreiteiras que deveria reformar e ampliar o Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo. A construtora contribuiu com R$ 58,2 milhões.

Ainda integram o grupo as construtoras OAS (R$ 41,2 milhões), Egesa (12,3 milhões), Mendes Júnior (R$ 12,2 milhões), Constran (R$ 3,8 milhões), EIT - Empresa Industrial Técnica (R$ 9,7 milhões), Serveng (R$ 9,3 milhões) e Odebrecht (R$ 2,1 milhões). Todos esses montantes deverão ainda ser reajustados.

Depois do PT, a legenda que mais recebeu recursos das empreiteiras das obras irregulares do PAC foi o PMDB,com R$ 38,4 milhões.Logo atrás aparece o PSDB, com R$38,1 milhões.O crescimento do PSB nas urnas se refletiu nas doações às campanhas do partido.

O outro lado

A Odebrecht informou que adota como critério para doações a campanhas eleitorais "uma visão republicana". De acordo com nota enviada ao jornal pela empresa, os recursos repassados aos políticos são"em prol da democracia e do desenvolvimento econômico e social do País, respeitando os limites e condições impostas pela legislação".

A assessoria do Consórcio Pirapama, formado por Queiroz Galvão, Odebrecht e OAS, informou em nota que o contrato que consta do pedido de suspensão do Tribunal de Contas da União(TCU) "é o contrato de fiscalização das obras,(e)não se refere ao contrato da obra de construção do sistema, executada pelo consórcio". As empresas são responsáveis pela construção do sistema de água de Pirapama,em Pernambuco.

A Construtora Camargo Corrêa, por sua vez,informou que deixou de atuar há mais de um ano nas obras de ampliação do Aeroporto de Vitória. "O contrato do consórcio com o aeroporto de Vitória foi rescindido em 2009", explicou a empresa.

A Mendes Júnior, que também integrava o mesmo consórcio liderado pela Camargo Corrêa para as obras do aeroporto, disse que somente a empresa-líder, no caso, a Camargo Corrêa, poderia explicar os problemas relacionados à obra.A companhia alegou também que não comenta doações de campanha.

Da mesma forma, a Camargo Corrêa não se posicionou sobre o assunto.

A Constran informou que "todas as contribuições da empresa (a campanhas eleitorais) estão de acordo com a legislação e estão registradas publicamente no Tribunal Superior Eleitoral". A empreiteira, contudo, não quis se manifestar sobre o relatório do Tribunal de Contas da União.

Procuradas pelo Estado,as assessorias de EIT e Serveng disseram que as construtoras não se manifestariam sobre a reportagem.

A Queiroz Galvão e a Egesa não responderam até o fechamento da reportagem. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.